Robin van Persie

Atacante, Centroavante
695 Jogos Oficiais
7 Títulos Oficiais
323 Gols Marcados
Van Persie - Manchester United
Robin van PersieHolanda - Rotterdam
Nascimento 05 de outubro de 1983
Falecimento -
Apelidos RvP
Carreira Início: (2001) Feyenoord
Término: (2019) Feyenoord
Características Altura: 1,83 m
Canhoto
Posição / Outras posições Centroavante / Segundo atacante / Ponta esquerda

Perfil / Estilo do jogador

Atacante versátil, Robin van Persie atuava em mais de uma posição em sua função, seja como centroavante, segundo atacante ou ponta esquerda, pois suas qualidades permitiam isso. Além de ser um exímio finalizador dentro ou fora da área, o holandês possuía muita velocidade e habilidade, com o poder de desenvolver jogadas individuais, sendo extremamente perigoso no ataque. Além de fazer muitos gols, o craque se destacava coletivamente, sendo vital nas construções de jogadas ofensivas. Por tamanha referência técnica, se tornou um líder em campo e na reta final de sua carreira atuava muitas vezes como capitão.

Categoria de base

Data Clube    
1994-1997 Excelsior    
1996-2001 Feyenoord    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
2001–2004 / 2018-2019 Feyenoord 123 46
2004–2012 Arsenal 278 133
2012–2015 Manchester United 105 58
2015–2017 Fenerbahçe 87 36

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
2005-2017 Holanda 102 50

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Feyenoord Copa da UEFA 2001-02
Feyenoord Copa dos Países Baixos 2017-18
Feyenoord Supercopa dos Países Baixos 2018
Arsenal Supercopa da Inglaterra 2004
Arsenal Copa da Inglaterra 2004–05
Manchester United Premier League 2012–13
Manchester United Supercopa da Inglaterra 2013

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Jogador jovem do ano no futebol holandês 2001–02 Feyenoord
Chuteira de Bronze Eurocopa 2008 Seleção Holandesa
Líder de assistências da Premier League 2008-09 Arsenal
Jogador do Ano na Inglaterra pela PFA 2012 Manchester United
Chuteira de ouro da Premier League 2011-12 , 2012-13 Arsenal / Manchester United
Futebolista do Ano na Inglaterra pela FWA 2012 Manchester United
Artilheiro da Supercopa da Inglaterra 2013 Manchester United
Artilheiro das eliminatórias da Copa do Mundo 2014 Considerando todos os continentes 2013-2014 Seleção Holandesa
3º lugar - Prêmio Puskas (Gol contra a Espanha - Copa do Mundo 2014) 2014 Seleção Holandesa
Maior artilheiro de todos os tempos da Holanda 2005-2017 Seleção Holandesa

Desempenho

0,46
Média
Gols por jogo
0,38
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
3
Passe
4
Controle de Bola
4
Drible
3
Velocidade
4
Técnica
4
Finalização
5
Condicionamento Físico
3
Fundamentos Defensivos
1

Biografia

Robin van Persie: Craque na Inglaterra e artilheiro na Holanda

Robin van Persie é o maior artilheiro da seleção holandesa.

Um dos atacantes mais talentosos da última geração, Robin van Persie era conhecido por sua versatilidade, atuando em mais de uma posição no ataque. Ele passou a jogar mais dessa maneira justamente em seu período de Arsenal, por conta da presença de Thierry Henry, que era a referência lá na frente. Assim, o holandês passou a jogar com mais frequência não apenas como centroavante, mas também como ponta e segundo atacante.

Foi dessa forma que Van Persie fez sucesso no Arsenal, sendo que na equipe viveu uma das melhores fases de sua carreira. Porém, após oito anos de dedicação, o holandês trocou os Gunners pelo Manchester United, time que no qual também se destacou. Tanto que com a camisa dos Red Devills, logo de cara faturou o título mais importante de sua carreira, a Prermier League da temporada 2012-13.

Apesar dessa importante conquista, o atacante conseguiu poucos títulos em sua carreira, mesmo se destacando individualmente por onde passou. O grande exemplo disso foi a sua passagem na seleção holandesa, onde se tornou o maior artilheiro da história, mas não levantou nenhuma taça sequer. Porém, esse seu feito como goleador é louvável, ainda mais em um escrete que já contou com craques como Cruyff, Van Basten, Robben, Kluivert, Bergkamp, Van Nilsteroy, entre outros.

Apesar da falta de títulos na seleção, Van Persie fez parte de uma das mais gerações mais brilhantes de país, ao lado de Robben e Wesley Sneijder. Nesse período ele obteve notáveis campanhas em Copas do Mundo, como o vice-campeonato em 2010 e o terceiro lugar em 2014.

No total de sua carreira, Van Persie atuou em 695 jogos e anotou 323 gols, conquistando entre seus títulos mais importantes uma Copa da Inglaterra e uma Premier League.

Infância, histórico e inspirações

Robin van Persie nasceu no dia 6 de agosto de 1983, na cidade de Rotterdam, Holanda. Filho de pais artistas, sendo que sua mãe era pintora e seu pai escultor, o garoto decidiu desde cedo ser artista da bola.

Desde pequeno, já impressionava a muitos com o seu talento com a bola nos pés, inclusive seu pai, que observou que o filho tinha muito futuro no futebol. Tanto que mesmo com Van Persie recebendo reclamações na escola por seu um mau aluno, seu pai já sabia que o dom do garoto não era em atividades acadêmicas.

Por jogar muito futebol na rua, o garoto passou a chamar atenção de olheiros do Excelsior com apenas 11 anos de idade. Na época, o pequeno clube de sua região, desenvolvia um projeto com crianças que jogavam futebol na rua. Dessa forma, profissionais do clube deixavam as crianças jogando livremente e ao mesmo tempo davam alguns treinamentos a fim de melhorar o condicionamento dos garotos.

Foi dessa maneira que Van Persie passou a integrar o elenco de juvenis do clube. Mesmo com pouca idade, seu desempenho foi avassalador, sendo suficiente para criar uma boa reputação dentro da equipe. Tanto que hoje, Van Persie possui um setor exclusivo no estádio do Excelsior.

Seu talento era tão impressionante, que desde cedo era comparado com um grande ídolo holandês, Johan Cruyff. Assim, não demorou muito para que despertasse atenção de um time de maior expressão em sua cidade, o Feyenoord.  Então, aos 13 anos de idade, Van Persie passou integrar as categorias de base da equipe que o revelaria ao futebol.

2001–2004: Robin van Persie inicia sua trajetória como jogador pelo Feyenoord

Robin van Persie em seu primeiro clube no profissional, Feyenoord.

Em 1996, Robin van Persie chegava às categorias de base do Feyenoord como uma grande promessa. Logo de cara, mostrou muito talento e foi subindo de degrau em degrau nas equipes de base do clube. Dos 13 aos 18 anos, o jogador saiu do time sub-15 até chegar ao elenco profissional em 2001.

Apesar de integrar a equipe principal do Feyenoord na metade de 2001, Van Persie viria a entrar em campo pela primeira vez como profissional apenas em fevereiro de 2002. Na ocasião, o jogador atuou em apenas 11 minutos na goleada sobre o Roda JC, pelo Campeonato Holandês.

Assim, no restante da temporada 2001-02, o jogador passou a oscilar entre titular e reserva. Porém, na conquista do título da Copa UEFA daquela temporada, o atacante atuou em todos os jogos desde as oitavas de finais. Inclusive, na semifinal deu importante assistência contra a Internazionale, o que garantiu sua equipe na decisão contra o Borussia Dortmund.

Por ser um jogador promissor em sua temporada de estreia, Van Persie recebeu o prêmio de talento jovem do futebol holandês. Esse fato fez com que o jogador recebesse mais oportunidades entre os titulares e na temporada 2002-03, quando começou a fazer mais gols. Tanto foi assim que ele chegou a marcar 5 tentos em uma partida contra o AGOVV Apeldoorn pela Copa do Holanda.

Tamanho desempenho garantiria ao jogador uma vaga na equipe titular do Feyenoord, se não fosse o seu desentendimento com o técnico Bert van Marwijk. Assim, Van Persie passou mais tempo no banco de reservas do que gostaria. Inclusive, ainda no mesmo ano, o atacante foi agredido por hooligans que invadiram o campo no clássico holandês entre Feyenoord e Ajax.

Sem clima no Feyenoord, Van Persie sabia de seu potencial, então na temporada 2003-04, ele conseguiu deixar o clube.

2004–2012: No Arsenal, Robin van Persie se torna ídolo

No Arsenal, o holandês teve sua maior passagem em clubes, mesmo sem títulos.

Na temporada 2003-04, Robin van Persie chegava ao Arsenal após saída conturbada do Feyenoord. A equipe holandesa estava desesperada para negociar o jogador, que claramente não queria ficar. Assim, os Gunners ofereceram 2,75 milhões de libras e fecharam contrato com o holandês.

Então, aos 20 anos de idade, Van Persie teve a oportunidade de vestir a camisa de seu clube de infância, que também era o mesmo de seu pai. Porém, a sua missão não era das mais fáceis, já que teria que substituir a longo prazo, o seu conterrâneo e lendário atacante Dennis Bergkamp.

Tanto que em sua primeira temporada na equipe dirigida por Arsène Wenger, o jovem atacante atuava muito mais como reserva. O mesmo ocorreu na temporada seguinte, 2005-06, quando dificilmente atuava nos 90 minutos. Van Persie passou a ganhar mais chances entre os titulares só depois da saída de Bergkamp.

Então, em 2006-07, sua primeira temporada como titular, Van Persie formou uma parceria de sucesso com o astro Thierry Henry. Ambos conseguiram comandar o ataque dos Gunners e enquanto o holandês organizava as jogadas, o francês era a principal referência ofensiva.

Na temporada seguinte, Henry deixou o Arsenal e Van Persie se tornou a grande referência da equipe. Porém, uma lesão grave o afastou por dois meses dos gramados, o que atrapalhou sua sequência na temporada.

Já recuperado, Van Persie assumiu o protagonismo do Arsenal, sendo auxiliado por jogadores como Césc Fábregas, Theo Walcoltt e Emmanuel Adebayor. Tanto que em 2008-09, ele era o jogador mais participativo em todos os ataques dos Gunners. Por tamanho desempenho, o holandês passava a se tornar ídolo da equipe, tanto que em 2010-11, foi lhe oferecida a camisa 10, que antes pertencia a Bergkamp.

Mesmo destaque, Van Persie não conquista títulos relevantes e deixa o Arsenal

Em uma boa sequencia de temporadas, Van Persie viria a conquistar seu primeiro prêmio individual pelo Arsenal em 2011-12. O craque conseguiu a façanha de se tornar o artilheiro da Premier League daquele ano, após figurar entre os principais artilheiros nos anos anteriores.

Com tamanho desempenho, o jogador esperava conquistar pelo menos um título como protagonista dos Gunners. Algo que parecia difícil, já que a equipe vinha atuando de maneira irregular e nem mesmo a boas atuações de Van Persie estavam sendo suficientes. Assim, o atacante decidiu não renovar com o Arsenal, a fim de retomar sua carreira em outro lugar.

Então, o Arsenal resolveu negociar o jogador para não deixa-lo sair de graça. A Juventus surgiu como a primeira interessada, mas os ingleses pediram cerca de 20 milhões de libras, valor que assustou os italianos.

Quem aceitou pagar essa quantia foi o rival Manchester United, que conseguiu fechar acordo e contratar o jogador. Essa negociação causou a ira dos torcedores do Arsenal, que consideraram Van Persie um traidor. Várias camisas do atacante foram queimadas em um ato de protesto.

Dessa forma, encerrava-se a mais linda passagem de Van Persie em clubes. O jogador deixou o Arsenal como o terceiro maior artilheiro da história equipe e como um dos seus maiores ídolos. Sua única baixa no clube foram os poucos títulos conquistados como uma Copa da Inglaterra e uma Supercopa da Inglaterra, em 2004, quando ainda estava em começo de carreira.

No total de 278 partidas com a camisa do Arsenal, Robin van Persie anotou 133 gols.

2012–2015: Chegada ao Manchester United para conquistar títulos

Após outra saída conturbada em clubes na sua carreira, Robin van Persie chegava ao Manchester United por uma quantia de 24 milhões de libras. O jogador tinha um objetivo pessoal: conquistar pelo menos um importante título enquanto profissional.

Essa missão não parecia muito difícil, pois o jogador passou a integrar um forte elenco comandado pelo lendário Sir Alex Fergunson. Aquela equipe contava com algumas estrelas como Wayne Rooney, Paul Scholes, Rio Ferdinand, Patric Evra e De Gea.

Em meio a tantos craques, o holandês faturou o título mais importante de sua carreira, já em sua primeira temporada pelo United. Van Persie conquistou a Premier League de 2012-13 e de quebra foi o artilheiro da competição. Esse feito não foi surpresa para um atacante que marcou dois hat-tricks contra Southampton e Aston Villa. Assim, o holandês caiu nas graças dos Red Devills e foi eleito o melhor jogador da equipe na temporada.

Na temporada seguinte, sob o comando de David Moyes, o craque faturou mais um título, o da Supercopa. Além disso, ele continuou mostrando seu lado artilheiro e, junto com Wayne Ronney, formou uma ótima dupla de ataque. Ambos brigavam por artilheiras no clube e em competições, até a última temporada de Van Persie na Inglaterra, em 2014-15.

Naquela temporada, o holandês passou por dois grandes problemas no Manchester United. O primeiro deles foi com seu treinador, Loius Van Gaal, após tomar cartão amarelo ao comemorar um gol contra o Real Madrid. O segundo foi uma lesão em seu tornozelo que atrapalhou sua carreira no clube.

Em baixa na equipe e preterido por Van Gaal, Van Persie deixou os Red Devills com uma Premier League e uma Supercopa da Inglaterra. Em 105 jogos, o atacante marcou 58 gols, média melhor do que em seus tempos de Arsenal.

2015–2018: Robin van Persie passa a jogar no futebol turco, pelo Fenerbahçe

Longe de sua forma física ideal, com apenas 32 anos, Robin van Persie não encontrou espaço em grandes mercados do futebol. Dessa forma, o atacante holandês foi jogar em um time médio da Europa, porém gigante no futebol turco, o Fenerbahçe, que o contratou por 3,84 milhões de libras.

A equipe turca tinha um grande poder de investimento, tanto que quando contratou Van Persie e trouxe também seu então companheiro de United, o português Nani. Além disso, o clube tinha outros jogadores conhecidos no cenário do futebol europeu, como Diego Ribas e os portugueses Raúl Meireles e Bruno Alves.

Em meio a essa equipe, Van Persie chegava para ser a principal referencia no ataque. Porém, acabou não conseguindo ser tão efetivo. Apesar continuar com seu faro artilheiro, o atacante ficou muitas vezes fora dos gramados pelas diversas lesões que sofreu. Assim, em três anos de equipe, era muito raro vê-lo atuar em uma sequência de jogos.

Jogando menos do que o ideal, o único título em que o jogador esteve próximo foi o da Copa da Turquia de 2015-16, perdida na final para o rival Galatasaray. Sem conquistas e com 87 partidas realizadas e 36 gols, Robin van Persie encerrava sua passagem no Fenerbahçe.

2018–2019: Robin van Persie retorna ao Feyenoord para se aposentar

Aposentadoria no Feyenoord.

Em 2003, Robin van Persie deixava o Feyenoord pela porta dos fundos, porém o carinho do clube pelo jogador sempre permaneceu vivo. E esse carinho era recíproco, tanto que o atacante voltou à equipe que o revelou na metade da temporada 2017-18. Ele chegava para ser treinado pelo seu ex-companheiro de seleção holandesa, Giovanni van Bronckhorst.

Aos 35 anos, o jogador sabia que estava longe das condições ideais para brilhar e por isso sua volta ao clube se dava em tom de despedida. Mesmo assim, ainda conseguiu atuar em uma temporada e meia pela equipe, obtendo uma boa média de gols. Para se ter uma ideia, em apenas pouco tempo nessa sua volta ao Feyenoord, Van Persie anotou 25 gols em 45 partidas. Nada mal para quem estava em fase final de carreira.

Então, no dia 12 de maio de 2019, aos 37 anos, o jogador realizou o seu último jogo como profissional, em derrota por 2 a 0 para o ADO Den Haag no Campeonato Holandês. O resultado pouco importava naquela partida, que tinha como objetivo ser palco da despedida Van Persie. O craque deixou o campo minutos antes do apito final e foi muito aplaudido por jogadores e torcida das duas equipes.

No total de suas duas passagens pelo Feyenoord, Robin Van Persie atuou em 121 partidas e marcou 46 gols.

Sua idolatria dentro do clube é tamanha que após pendurar as chuteiras, o holandês passou a fazer parte da comissão técnica. Em 2020, ele foi contratado para ser treinador de atacantes, função que dominou com maestria.

Robin van Persie e a seleção holandesa

Robin van Persie com a camisa da laranja mecânica.

Após atuar nas categorias de base da seleção holandesa, Robin van Persie finalmente recebeu a chance de representar a seleção principal. Seu primeiro jogo foi contra a Romênia, em 2005, nas eliminatórias para a Copa do Mundo. Já seu primeiro gol foi marcado logo na partida seguinte, em goleada contra a Finlândia.

Por começar muito bem a camisa laranja, Van Persie foi convocado para a Copa do Mundo de 2006 na Alemanha e de quebra atuou como titular, isso com apenas 23 anos. Na competição, ele foi autor de um gol contra a Costa do Marfim, na fase de grupos. Porém, sua seleção não foi muito longe naquele mundial, sendo eliminada para Portugal nas oitavas de finais.

Van Persie seguiu como titular da Holanda e participou de duas Eurocopas, em 2008 e 2012. Porém em nenhuma das edições obteve uma campanha expressiva, não passando das quartas de finais.

Ao contrário dessas fracas campanhas continentais, o jogador obteve melhores resultados em suas recentes Copas do Mundo. Em 2010, ele foi titular em um escrete que bateu na trave contra a Espanha e em 2014 conseguiu o terceiro lugar vencendo o Brasil.

Após dedicar todo esse tempo à seleção holandesa, o jogador atuou pela última vez com a camisa laranja em agosto de 2017. Na ocasião, a Holanda foi goleada por 4 a 0 pela França, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Na época, Van Persie mal estava sendo convocado e nem havia jogado a Eurocopa de 2016 por conta de problemas físicos.

Mesmo participando de importantes gerações da Holanda, com Robben, Sneijder, Van Nisteroy, Van der Vaart, entre outros, o atacante nunca faturou um título pela Laranja Mecânica. Mesmo assim, conseguiu fazer história sendo o maior artilheiro do escrete holandês, com 50 gols, após 102 partidas disputadas.

Copa do Mundo de 2010: Em copa na África, jogador bate na trave com escrete holandês

Robin van Persie na forte geração holandesa de 2010.

Na Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul, Robin van Persie chegava como um das principais estrelas da Laranja Mecânica. Ao seu lado, outros craques formaram aquela forte geração holandesa como Arjen Robben, Wesley Sneijder, Rafael van der Vaart, Dirk Kuyt, entre outros.

Naquela equipe, Van Persie tinha a missão de ser a referencia no ataque, que antes era ocupada pelo lendário Ruud van Nilsterooy. Porém, naquela copa, marcar gols não foi muito o seu forte, pois ele anotou apenas um, em jogo contra Camarões na fase de grupos. O atacante realizou muito mais a função de construir jogadas para que seus companheiros marcassem.

Ajudando muito mais no jogo coletivo, o craque holandês conduziu sua seleção até a decisão, passando por Eslováquia, Brasil e Uruguai no mata-mata. Na final, os holandeses tinha a missão de derrotar a Espanha, melhor seleção do mundo na ocasião.

Justamente naquele jogo decisivo, Van Persie não fez uma das suas atuações mais inspiradoras. Atuando em 120 minutos, incluindo a prorrogação, o jogador viu sua seleção ser derrotada com gol de Andrés Iniesta. Aquele havia sido o momento em que o holandês esteve mais próximo de um titulo com a camisa laranja.

Copa do Mundo de 2014: Já veterano, Robin van Persie marca gol icônico

Depois da frustração da copa de 2010, Robin van Persie estava novamente à frente da seleção holandesa na Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Dessa vez, mais experiente, ele tinha a missão de comandar uma nova geração holandesa na qual ele foi capitão. Além de ter atuado ao lado dos veteranos Robben e Sneijder, o atacante estava ao lado de jovens como Wijnaldum, Daley Blind e Memphis Depay.

Naquele mundial, o atacante esteve em uma fase mais goleadora, em relação à copa de 2010. Tanto que logo de cara, ele marcou dois gols na estreia contra a Espanha, sendo que um deles foi um golaço. Após um longo lançamento de Daley Blind pelo lado esquerdo, Van Persie meteu um peixinho na bola ainda na entrada da grande área, para marcar de cobertura. Esse gol inclusive, concorreu ao prêmio Puskas de 2014, ficando em 3º lugar.

Na sequência, o holandês voltou a marcar contra o Chile e ficou de fora por suspensão contra a Austrália, encerrando a primeira fase. No mata-mata, o jogador continuou sendo importante e levou sua seleção até a semifinal, perdida para a Argentina.

Na disputa do terceiro lugar, Van Persie marcou mais um gol, em vitória por 3 a 0 contra o Brasil. Assim, se encerrava sua passagem naquela copa, na qual ele foi o grande protagonista pela seleção holandesa.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *