Thierry Henry

Atacante, Ponta-esquerda
628 Jogos Oficiais
20 Títulos Oficiais
309 Gols Marcados
Henry Arsenal
Thierry HenryFrança - Les Ulis - Essonne
Nascimento 16 de agosto de 1977
Falecimento -
Apelidos Tití
Carreira Início: (1995) Mônaco
Término: (2014) New York Red Bull
Características Altura: 1,88 m
Ambidestro
Posição / Outras posições Ponta esquerda / Segundo atacante / Centroavante / Meio-campo
Copa do Mundo

1998

UEFA Champions League

2008-09

Mundial de Clubes

2009

Perfil / Estilo do jogador

Dono de uma habilidade ímpar, Thierry Henry tinha o talento de entortar qualquer defesa adversária e resolver o jogo para sua equipe. Era um exímio construtor de jogadas, além de ter muita velocidade, o que lhe permitia jogar pelos lados do campo. No início de carreira, jogava como centroavante e por isso conseguia fazer muitos gols, mesmo quando passou a atuar recuado. Seu poder de finalização coroava todas as usas imprescindíveis habilidades.

Categoria de base

Data Clube    
1983-1989 Co Les Ulis    
1989-1990 US Palaiseau    
1990-1992 ES Viry-Châtillon    
1992 Clairefontaine    
1992-1995 Mônaco    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1995-1998 Mônaco 139 28
1998-1999 Juventus 18 3
1999-2007 / 2012 Arsenal 376 228
2007-2010 Barcelona 121 49
2010-2014 New York Red Bull 135 52

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
1997-2010 Francesa 124 51

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Mônaco Campeonato Francês 1996-97
Mônaco Supercopa da França 1997
Arsenal Premier League 2001-02, 2003-04
Arsenal Copa da Inglaterra 2001–02, 2002–03, 2004–05
Arsenal Supercopa da Inglaterra 2002, 2004
Barcelona Liga dos Campeões 2008-09
Barcelona Supercopa da UEFA 2009
Barcelona Mundial de Clubes 2009
Barcelona Campeonato Espanhol 2008–09, 2009–10
Barcelona Copa do Rei 2008-09
Barcelona Supercopa da Espanha 2009
New York Red Bull MLS Supporters' Shield 2013

Conquistas pela Seleção

Título Ano
Copa do Mundo 1998
Eurocopa 2000
Copa das Confederações 2003

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Futebolista Francês do Ano 2000, 2003, 2004, 2005, 2006 Arsenal
Chuteira de Ouro da Premier League 2001–02, 2003–04, 2004–05, 2005–06 Arsenal
Líder de assistências da Premier League 2002-03 Arsenal
Chuteira de Ouro da UEFA (artilheiro da Europa) 2003–04, 2004–05 Arsenal
FIFA 100 2004 Arsenal
Melhor jogador da Premier League 2003-04, 2005-06 Arsenal
Ballon d'Or (Melhor do Mundo) - 2º lugar 2003 Arsenal / Seleção Francesa
Ballon d'Or (Melhor do Mundo) - 3º lugar 2006 Arsenal / Seleção Francesa
Time do ano da MLS 2011, 2012, 2013, 2014 New York Red Bulls
Dream Team da história do Bola de Ouro - 3o lugar - Ponta Esquerda 2020 Mônaco / Arsenal / Barcelona / New York Red Bull

Desempenho

0,49
Média
Gols por jogo
1,25
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
3
Passe
4
Controle de Bola
4
Drible
5
Velocidade
5
Técnica
4
Finalização
4
Condicionamento Físico
4
Fundamentos Defensivos
1

Biografia

Thierry Henry, o maior ídolo do Arsenal

Thierry Henry é o maior ídolo do Arsenal.

Thierry Henry é um nome que ninguém esquece quando se trata de um bom futebol. O atacante francês é muito reconhecido pela sua grande passagem na equipe do Arsenal. Inclusive, foi lá que ele de fato mostrou todo o seu talento, até se tornar um dos maiores, se não o maior, ídolo dos Gunners.

Em seu início de carreira, Henry jogava mais avançado, porém, durante o seu período no Arsenal, ele passou a jogar mais recuado. Até porque, no elenco da equipe inglesa, outro jogador atuava mais adiantado e se tratava de ninguém mais que Denis Bergkamp.

Apesar das mudanças táticas, o craque francês conseguiu se adaptar pelos lados do campo. Sua velocidade e habilidade lhe permitiram dominar sua nova posição e formar uma ótima dupla de ataque com Bergkamp. Dessa forma, Thierry Henry mostrou sua grande eficácia nas assistências, mesmo não sendo o grande responsável pelos gols do Arsenal.

Sua genialidade já era vista desde jovem, quando fez parte do seleto grupo que conquistou a Copa do Mundo em 1998 pela Seleção Francesa. Com apenas 21 anos, o atacante mostrou que entrou no futebol para vencer, conquistando dois anos depois, a Eurocopa.

Além dos títulos pela seleção, Thierry Henry conquistou importantes títulos por seus clubes. Em sua principal equipe na carreira, o Arsenal, ele ganhou a Premier League, foi vice-campeão da UEFA e venceu duas vezes a FA Cup. No Barcelona ele faturou uma Champions League, um Mundial de Clubes, dois Campeonatos Espanhóis e duas Copas da Espanha.

Em sua vitoriosa carreira, o craque realizou 915 partidas e marcou 273 gols, sendo uma dos maiores jogadores de sua geração.

Em seus primeiros anos, Henry mostra seu talento com a bola

Thierry Henry na base do Viry-Châtillon.

Nascido em 17 de agosto de 1977 na região francesa de Les Ulis, subúrbio de Paris.  Sua infância não foi nada fácil, já que sua família era de origem humilde e por isso, seu pai o incentivou a se dedicar ao futebol.

Ainda criança, ele iniciou a sua trajetória no futebol, mas de maneira amadora, demonstrando um talento impressionante. Devido a isso, ele foi chamado para compor o CO Les Ulis, passando depois para o US Palaiseau e ainda pelo Viry-Châtillon.

Antes de entrar no profissional, Henry teve alguns ídolos no futebol como George Weah, Ronaldo e Romário. Mas foi o atacante brasileiro Sony Anderson que mais o inspirou, não apenas em sua maneira de jogar, mas também pela forma em que usava os meiões acima do joelho. Anos depois, o jovem francês conheceria seu ídolo, pois ambos atuaram pela equipe do Mônaco.

1994-1998 – Início da Carreira: jogando pelo Mônaco

Antes de entrar para o Mônaco, Thierry Henry chamou a atenção de um olheiro da equipe quando ainda estava no Viry-Châtillon. Esse fato ocorreu porque o craque francês marcou nada mais nada menos do que 6 gols em uma partida.

Assim, Henry passou a integrar a equipe do Mônaco, passando antes pela equipe juvenil, a fim de completar seus estudos. Foi então que em 1995, o jovem francês estreou no time principal. De inicio, ele jogou como meia-esquerda, por opção do treinador Arsène Wenger, que viria a ser seu mentor na carreira.

Anos depois, o craque venceu a Ligue 1 com a sua equipe e no ano seguinte faturou a Supercopa da França. Até que em 1998, ele conquista seu título mais importante, a Copa do Mundo. Na temporada seguinte, Henry leva o Mônaco à semifinal da Liga dos Campões, perdendo para a Juventus.

Foi justamente nessa partida, que a equipe italiana observou mais de perto o talento do jogador. Dessa forma, os italianos tiveram interesse em Henry e o contrataram pelo valor de 10 milhões de libras.

No Mônaco, Thierry Henry fez 139 partidas e marcou 28 gols, marcando seu nome como um dos grandes ídolos da equipe.

1999 – Passagem apagada pela Juventus

O craque francês teve período ruim na Juventus.

Após seu grande desempenho com a camisa do Mônaco e o título da Copa do Mundo, Thierry Henry chegou à Juventus sob muitas expectativas. Ainda mais que dois conterrâneos o aguardavam na equipe, David Trezeguet e Zinedine Zidane. Porém, ele não conseguiu repetir o mesmo feito de anos anteriores.

O craque francês não conseguiu render dentro do esquema tático da Vecchia Signora, que era uma equipe muito defensiva. Por isso, o desempenho do jogador foi muito inferior à vista do que ele fazia no Mônaco. Foram apenas 18 jogos com a camisa da Juve e apenas 3 gols marcados.

Por causa desse desempenho ruim e da sua própria frustração, Thierry Henry foi para outro clube, onde ele faria uma história que nunca seria apagada. A pedido de seu antigo treinador, Arsène Wenger, o craque francês se transfere para o Arsenal.

1999-2007 – Henry no Arsenal: uma das mais lindas parcerias do futebol

Assim que chegou ao Arsenal em 1999, a sua função era preencher o espaço deixado por Nicolas Anelka, que havia deixado o clube. No entanto, não demorou muito para que Thierry Henry mostrasse seu talento, tomando contando do setor ofensivo dos Gunners, passando a ser um parceiro e futuro sucessor do ídolo Dennis Bergkamp. Vestindo a camisa 14, o jogador também contou com a parceria de seus conterrâneos, Robert Pirès e Patrick Vieira, e que sob o comando do também francês Arsène Wenger, logo começaria a escrever sua história na equipe inglesa.

Dessa forma, o resultado de Thierry Henry no Arsenal não demorou a aparecer, tanto que logo o craque conquistou a Premier League da temporada 2001-02. Porém, a conquista da competição na temporada seguinte foi a que teve um gosto ainda mais especial. Até porque, além ter vencido o torneio,  o francês foi o principal jogador na Premier League  de 2004, como o líder técnico de uma equipe que ficou 49 jogos sem perder, marca a ser batida até hoje.

Além da Premier League, Henry venceu duas vezes a Supercopa da Inglaterra e três vezes a Copa da Inglaterra. Inclusive, seu desempenho em todas essas conquistas lhe rendeu importantes títulos individuais.

Como por exemplo, a artilharia da Europa na temporada 2003-04 e a chuteira de ouro da Premier League por quatro temporadas seguidas.  Por conta disso, Henry ficou entre os melhores jogadores do mundo no final de 2003, obtendo o 2º lugar na briga pela Bola de Ouro. Ele voltou ao pódio em 2006, quando conquistou a 3ª colocação. Portanto, podemos considerar que seu maior feito foi ter sido eleito o melhor jogador da história da Premier League.

Outra marca registrada de Henry no futebol não está ligada apenas às suas conquistas individuais, mas também ao Arsenal. Até porque, o craque francês se tornou o maior artilheiro da história do clube, recebendo a alcunha de ídolo e uma estatua em frente ao Emirates Stadium.

Em sua histórica passagem pelo Arsenal, Thierry Henry atuou em 376 partidas, com 228 gols e 104 assistências.

2007-2010 – No Barcelona, Thierry Henry conquista a Europa em poderoso trio

Thierry Henry conquista seu único título da Champions League.

Em 2007, Thierry Henry se transfere para o Barcelona por uma quantia de 26 milhões de Euros. O craque voltou a vestir a camisa14, número que o consagrou no Arsenal. Um dado curioso é que Henry disse que só sairia do Arsenal para o Barcelona e de fato isso aconteceu.

O jogador deixava um Arsenal que vinha de más campanhas no cenário nacional e europeu. Além disso, ele nada pode fazer pela sua equipe, já que vinha de algumas lesões e no Barcelona Henry esperava rumos diferentes.

Logo de cara, o francês chega ao Barcelona para formar um poderoso trio de ataque, ao lado de Lionel Messi e Samuel Eto’o. Na temporada 2007-08, a equipe catalã tinha um dos setores ofensivos mais fortes do futebol mundial.

E para treinar uma equipe tão forte, Pep Guardiola foi designado, mesmo com pouco tempo na função. O técnico que gostava de um futebol ofensivo tinha Thierry Henry como peça importante em seu ataque. Isso foi importante na carreira do jogador, que sempre desempenhou um estilo de jogo vistoso, caindo como uma luva naquele Barcelona.

Com a equipe catalã, Thierry Henry ganhou campeonatos importantes como a Liga dos Campeões da Europa, Além disso, ele venceu um mundial de clubes, 2 Campeonatos Espanhóis, uma Copa do Rei e uma Supercopa da Espanha. Dentre essas conquistas, o craque conseguiu a façanha de ser o artilheiro em seu primeiro ano na Liga da Espanha.

Com a camisa azul e grená, Thierry Henry marcou 49 gols em 121 jogos, dando 27 assistências.

2010 – 2014: Novo desafio na carreira, dessa vez nos EUA

Em seus meses finais com a camisa do Barcelona, Thierry Henry não estava em seu auge físico e técnico. Dessa forma, o francês foi para os Estados Unidos, em busca de novos desafios. O time da vez foi o New York Red Bull, no qual ele defendeu entre 2010 e 2014, sendo emprestado ao Arsenal em 2012.

Nesse período, o futebol estava voltando a se desenvolver nos Estados Unidos e as equipes da MLS passaram a investir em jogadores renomados. Entre esses nomes estava o de Thierry Henry, que chegou ao clube a custo zero, recebendo apenas o valor das luvas.

Com a camisa do New York Red Bull, o craque conquistou a MLS Supporters1 Shield, no ano de 2013. Henry também foi destaque na liga nacional, a MLS, na qual ele marcou um total de 258 gols. Seus números também foram bons no torneio continental da CONCACAF, ao anotar 59 tentos.

Além de títulos, Thierry Henry conseguiu premiações individuais, a exemplo do que aconteceu em outros clubes. Ele conseguiu se tornar o jogador do mês de março na temporada de 2012. Isso foi reflexo de suas grandes atuações, como por exemplo, na partida contra o Montreal Impact, em que o francês marcou um hat-trick, em vitória por 5 a 2.

Seus desempenhos fizeram que o atacante se tornasse a referência técnica da equipe norte-americana. Inclusive, no final de 2011, o craque conseguiu uma boa média de gols, marcando 14 tentos em 26 partidas, mostrando seu lado artilheiro.

Porém, para se adaptar a um novo estilo de jogo, Henry teve que treinar bastante. Até porque em seu inicio pelo Red Bull, o francês ainda deixava a desejar, quando o assunto era colocar a bola na rede.

Em 2012, retorna ao Arsenal, mas emprestado

No ano de 2010, Henry passou para o New Yourk Red Bulls e, dois anos depois, ele retornou ao Arsenal na categoria de jogador emprestado. Ele cobriria dois jogadores: Marouane Chamakh e Gervinho, tendo ficado por lá durante aproximadamente dois meses.

Levou somente 11 minutos de jogo para que o então camisa 9 marcasse o gol na sua reestreia pelo clube. Esse feito foi necessário para classificar o Arsenal contra o Leeds United na terceira fase da Copa da Inglaterra.

Porém, no último jogo, o Milan bateu o Arsenal por nada menos que 4 a 0, fazendo com que Thierry Henry voltasse para o New Yourk Red Bulls. O jogador deixou seu clube com o sentimento de frustração, sabendo que aquela equipe não era a mesma que venceu a Premier League de maneira invicta.

2014: Thierry Henry pendura as chuteiras

Passagem como treinador no Montreal Impact.

Ao sentir que já não estava em seu melhor condicionamento físico e longe do período que o consagrou, Thierry Henry decide se apostar. Foi no ano de 2014 e no New York Red Bull, que o craque francês deixava os gramados. Sua última partida oficial foi contra o New England Revolution pelo playoff da MLS, ostentando a braçadeira de capitão.

O anúncio de sua aposentadoria foi aos 37 anos de idade, quando o craque publicou em suas redes sociais que estava deixando os gramados. Após pendurar as chuteiras, Henry passou a se dedicar à função de comentarista esportivo.

Em seguida, Thierry Henry decidiu trabalhar em uma nova função do futebol, dessa vez como técnico. Sua primeira experiência na função, foi como auxiliar da seleção da Bélgica, entre os anos de 2016 e 2018. Logo depois, veio o seu primeiro trabalho como treinador efetivado, na equipe do Mônaco, clube que o revelou para o mundo. Porém, sua passagem fora das quatro linhas na equipe foi sem sucesso e ele quase rebaixou a equipe em 2019.

Após sua passagem pelo Mônaco, Henry retorna à MLS para treinar o Montreal Impact do Canadá. Na equipe, ele conseguiu ficar entre 2019 e 2021, conseguindo um relativo sucesso, apesar de não conquistar nenhum título. Porém, ele decidiu deixar o clube em meio à pandemia do coronavírus e por saudade de sua família que estava na França.

1997-2010: Thierry Henry na Seleção Francesa

Título da Eurocopa de Thierry Henry com a França.

Quando se trata de sua passagem na seleção francesa, Thierry Henry obteve sucesso e foi um dos grandes nomes da história do escrete francês. Ele atou pelos Le Blues, durante 13 anos, de 1997 até 2010.

Henry foi convocado para a seleção francesa pela primeira vez em um amistoso contra a África do Sul. Porém em seu jogo de estreia, uma derrota, em um placar de 2 a 1 para os sul-africanos. Em seguida, o craque atuou em mais dois amistosos até estrear na Copa do Mundo de 1998.

Em seu período com a camisa dos Le Blues, o craque conseguiu a façanha de levar a Copa do Mundo de 1998 e venceu a Eurocopa de 2000. Nos anos seguintes, ele esteve em uma fraca seleção na Copa de 2002, que foi eliminada na fase de grupos. Porém, junto com o selecionado francês, deu a volta por cima e chegou à final do mundial de 2006. Encerrando sua passagem na França, Henry já não estava em seu auge técnico e viu seu país fracassar, caindo mais uma vez na fase de grupos.

Durante seus anos com os Le Blues, Henry esteve ao lado de grandes jogadores de diferentes gerações. O craque esteve ao lado de Zinedine Zidane, Didier Deschamps, Lilian Thuram, Marcel Desaily na Copa do Mundo de 1998. Com o passar dos anos, o atacante foi contando com novos parceiros na seleção, como Trezeguet, Anelka, Ribery, Malouda e Benzema.

Após esses 13 anos com a seleção francesa, o craque conquistou a chuteira de ouro nas competições FIFA e se tornou os 100 melhores da história pela entidade máxima do futebol. Isso tudo, ao longo de 124 partidas, na qual ele conseguiu marcar 51 gols.

 Ainda jovem promissor, Henry conquistava o mundo

Já na estreia da Copa do Mundo de 1998, Thierry Henry marcou um gol contra a África do Sul, em vitória por 3 a 0. Na sequência ele voltou a brilhar, anotando dois tentos em goleada por 4 a 0 contra Arábia Saudita. No terceiro jogo, os franceses bateram a Dinamarca por 2 a 1.

Na fase oitavas de finais, o jogador continuou sendo importante nas construções de jogadas e ajudou a França na dura classificação contra o Paraguai em 1 a 0. Contra Itália mais um jogo difícil e após empate em 0 a 0, Henry converteu sua penalidade e ajudou sua seleção para chegar à semifinal.

Henry voltou a ajudar a França na semifinal contra a Croácia, em vitória por 2 a 1. Porém, o técnico Aimé Jacquet optou por deixar o atacante no banco, em plena final, para deixar a equipe mais defensiva, já que Desailly estava suspenso. O jovem de 21 anos viu sua seleção conquistar o mundo pela primeira vez, em casa e em cima do Brasil.

Por pouco Thierry Henry não se torna bicampeão mundial

Em 2006, Thierry Henry era um jogador muito mais consagrado do que em 1998, pois sendo um dos líderes da equipe. Junto com o atacante, Zidane era o grande destaque individual do selecionado francês na Copa do Mundo daquele ano.

Henry passou em branco na estreia, em empate por 0 a 0 contra a Suíça, mas desencantou contra Coréia do Sul e Togo. Nas oitavas de finais, fez bom jogo contra a Espanha em vitória por 3 a 1, mas sua grande atuação foi contra o Brasil. Em uma vitória magra por 1 a 0, o atacante marcou o único gol  da partida, contra uma seleção que tinha Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo, Adriano e Kaká.

Na semifinal, Henry deu a assistência do único gol da partida contra Portugal e na final o adversário era a Itália. Após empate em 1 a 1 no tempo normal e com expulsão de Zidane, a decisão foi para os pênaltis. O craque havia sido substituído e viu Trezeguet desperdiçar a cobrança dos Le Blues.

REFERÊNCIAS:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Thierry_Henry#T%C3%ADtulos

https://en.wikipedia.org/wiki/Thierry_Henry#Honours

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Thierry_Henry

https://www.transfermarkt.com.br/thierry-henry/erfolge/spieler/3207 

https://premierleaguebrasil.com.br/thierry-henry-arsenal

https://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/thierry-henry-deixa-de-ser-tecnico-na-mls-por-motivos-familiares.ghtml

https://www.terra.com.br/esportes/lance/alegando-motivos-familiares-thierry-henry-nao-e-mais-tecnico-do-montreal-impact-da-mls,b69f9c75ad09cbb3aabe569d37cc019dzvev4ivy.html

https://istoe.com.br/thierry-henry-renuncia-ao-cargo-de-treinador-do-montreal-por-razoes-familiares/

https://www.uol.com.br/esporte/ultimas-noticias/afp/2021/02/25/thierry-henry-renuncia-ao-cargo-de-treinador-do-montreal-por-razoes-familiares.htm

https://sportbuzz.uol.com.br/personalidades/thierry-henry-treinador-de-futebol.html

https://www.transfermarkt.com.br/thierry-henry/erfolge/spieler/3207

https://lifebogger.com/pt/thierry-henry-inf%C3%A2ncia-hist%C3%B3ria-plus-untold-biografia-fatos/

https://esportefera.com.br/noticias/futebol,henry-revela-que-brasileiro-foi-inspiracao-para-utilizar-meias-ate-o-joelho,70003278402

https://www.vavel.com/br/futebol-internacional/2018/04/09/franca/861820-guia-da-copa-do-mundo-thierry-henry-o-carrasco-brasileiro-que-foi-campeao-em-1998-e-vice-campeao-em-2006.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Liga_dos_Campe%C3%B5es_da_UEFA_de_1997%E2%80%9398

https://www.transfermarkt.com.br/spielbericht/index/spielbericht/53491

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *