Arjen Robben

Atacante, Ponta-direita
705 Jogos Oficiais
30 Títulos Oficiais
246 Gols Marcados
Arjen Robben é uma Lenda do Futebol.
Arjen RobbenHolanda - Bedun
Nascimento 22 de janeiro de 1984
Falecimento -
Apelidos -
Carreira Início: Groningen (2000)
Ainda atuando: Groningen
Características Altura: 1,80m
Canhoto
Posição / Outras posições Ponta Esquerda
Ponta Direita
UEFA Champions League

2012-2013

Mundial de Clubes

2013

Perfil / Estilo do jogador

Um dos maiores jogadores holandeses da história, Arjen Robben era um autêntico ponta-direita do Séc. XXI. Sua clássica jogada de cortar para o meio para tentar a finalização era imparável. Rápido e vigoroso atacante, atuou em gigantes do futebol mundial como Chelsea e Real Madrid, mas fez história mesmo é no Gigante da Baviera: o Bayern de Munique. Atuou em três Copas do Mundo, sendo vice-campeão na Copa de 2010.

Categoria de base

Data Clube    
1996-2000 Groningen    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
2000-2002 Groningen 54 12
2002-2004 PSV 75 21
2004-2007 Chelsea 106 19
2007-2009 Real Madrid 65 13
2009-2019 Bayern de Munique 309 144

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
2003-2017 Holanda 96 37

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
PSV Copa da Paz 2003
PSV Johan Cruijff Shield 2003
PSV Eredivisie 2002-2003
Chelsea Premier League 2004–2005, 2005–2006
Chelsea Copa da Liga Inglesa 2004–2005, 2006–2007
Chelsea Copa da Inglaterra 2006–2007
Chelsea Supercopa da Inglaterra 2005
Real Madrid La Liga 2007–2008
Real Madrid Supercopa da Espanha 2008
Bayern de Munique Bundesliga 2009–10, 2012–13, 2013–14, 2014–15, 2015–16, 2016–17, 2017–18, 2018–19
Bayern de Munique Copa da Alemanha 2009–10, 2012–13, 2013–14, 2015–16, 2018–19
Bayern de Munique Supercopa da Alemanha 2010, 2012 e 2018
Bayern de Munique Champions League 2012–2013
Bayern de Munique Supercopa da UEFA 2013
Bayern de Munique Mundial de Clubes da FIFA 2013

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Revelação do Futebol Holandês 2002–2003 PSV
Seleção da Bundesliga 2009–10, 2013–14 e 2014–15 Bayern de Munique
Jogador Alemão do Ano 2010 Bayern de Munique
Jogador da final da Champions League UEFA 2012–2013 Bayern de Munique
Bola de Bronze Copa do Mundo 2014 Holanda
Atleta do ano da Holanda 2014 Holanda
Pela Guardian 4º melhor jogador do ano 2014 Bayern de Munique / Holanda

Desempenho

0,34
Média
Gols por jogo
1,5
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
4
Passe
3
Controle de Bola
4
Drible
4
Velocidade
5
Técnica
4
Finalização
3
Condicionamento Físico
5
Fundamentos Defensivos
1

Biografia

Arjen Robben: Clássico jogador holandês do Séc. XXI

Rápido como uma flecha. Fominha, daqueles que pegam a bola e só enxergam o gol. Arjen Robben é considerado por muitos, o melhor jogador holandês do Séc. XXI, e olha que a disputa é boa já que a Holanda é uma das escolas da bola que mais colocam o jogo ofensivo e livre na sua formação. Herança que vem de, ao menos, dois gênios na história do futebol: o técnico Rinus Michels, e o craque dentro e fora dos gramados, Johan Cruijff. E Robben é uma versão atualizada disso. Ele é quase uma síntese do futebol moderno. Rápido, ágil, forte fisicamente e imparável.

Na luta contra as lesões, uma carreira vitoriosa

Arjen Robben é uma Lenda do Futebol.

Foi em 23 de janeiro de 1984, na cidade de Bedum, na Holanda, que nascia uma das lendas do futebol mundial do Séc. XXI. Arjen Robben começou sua carreira no pequeno Groningen, onde se profissionalizou e jogou de 2000 a 2002, quando chamou a atenção do gigante holandês PSV. E foi lá que, em 2003, o jogador com então 20 anos descobriu um câncer nos testículos. Ele retirou o tumor e, como forma de superação e, um ano depois, foi o destaque da seleção holandesa na Eurocopa 2004, quando a Laranja Mecânica chegou a semifinal da competição.

Na temporada 2004-2005, Arjen Robben foi para a Inglaterra defender o Chelsea. Nos Blues, mesmo em meio a lesões, o jogador conseguiu se destacar e conquistar títulos, o que acabou despertando o interesse do poderoso Real Madrid, que passava por um momento de transição pós-galáticos, e na Espanha o holandês não conseguiu brilhar. Para reconquistar seu espaço no cenário mundial, na temporada 2009-2010 Robben acabou acertando a sua ida para o futebol alemão, para defender o Gigante da Baviera, Bayern de Munique. E lá ficou por 10 anos, conquistando todos os títulos possíveis e se tornando em um símbolo dos Bávaros.

Após a temporada 2018-2019, Arjen Robben decidiu se aposentar aos 35 anos. Porém, em 2020 o ponta canhoto decidiu voltar a atuar pelo clube que o revelou, o Groningen, para ajudar a passar por uma crise financeira devido ao Covid-19.

Robben e sua canhota fatal!

O holandês, famoso pela sua carequinha, não era assim no início de carreira. Aos poucos foi perdendo os cabelos e aderindo ao visual que é lembrado até os dias de hoje e que ficou marcado, assim como a canhota, ligeira e indestrutível. E além dessa canhota fatal, dentro de campo o seu jogo sempre foi baseado na velocidade, com uma jogada característica que é atuar na ponta direita e cortar para dentro para tentar a finalização.

Como destaque, Arjen Robben conquistou a Liga dos Campeões, Supercopa Europeia, Bundesliga, Copa da Alemanha, Supercopa da Alemanha, Campeonato Espanhol, Supercopa da Espanha, Campeonato Holandês, Premier League, Copa da Inglaterra e Supercopa da Inglaterra. É uma carreira recheada de conquistas.

O início de Arjen Robben no Groningen 2000 – 2002

Robben no Groningen em 2001.

Arjen Robben chegou ao Football Club Groningen ainda para a equipe juvenil, no ano de 1996 aos 12 anos de idade. Estreou nos profissionais quatro depois, aos 16, no dia 3 de dezembro de 2000, em um duelo diante do RKC Waalwijk. Partida essa válida pela Eredivise, o Campeonato Holandês. Nesta estreia, o jogo terminou empatado e sem gols.

Na equipe do Groningen, Robben ainda não era aquele ponta-direita pelo qual ficou conhecido, principalmente atuando pelo Bayern de Munique. Atuava muito pelo lado esquerdo do ataque, por muitas vezes centralizando. Como se fosse um camisa 10 mais clássico. Chamava a atenção pela sua pouca idade e consistência, sendo a válvula de escape do clube dentro de campo. Em 52 partidas oficiais atuando pelo Groningen, foram 12 gols, além de cinco assistências.

2002 – 2004: Arjen Robben brilha no gigante PSV

Arjen Robben no PSV.

Em julho de 2002, o PSV desembolsou 4,30 milhões de euros para contratar Arjen Robben. Um valor completamente insignificante por tudo o que ele acabou por render no clube, um dos principais da Holanda. Na equipe, o carequinha (que na época tinha cabelo) conquistou a Copa da Paz, Campeonato Holandês e a Supercopa, chamada de Johan Cruijff Shield. Ele ainda foi eleito a revelação do ano no futebol holandês.

Na temporada 2004 – 2005, Arjen Robben foi vendido ao inglês do Chelsea, novo milionário do futebol, pela quantia de 18 milhões de euros. Ou seja, quase cinco vezes mais que o valor pago pelo PSV ao Groningen. Robben, a cada ano que passava, ele ganhava o mundo.

Ao todo, no PSV, Robben atuou por 70 partidas oficiais, anotou 21 gols e contribuindo com 17 assistências. Foi na equipe do PSV que o rápido jogador descobriu um câncer nos testículos, com apenas 20 anos. Porém, ele superou as enfermidades, passou por cirurgia e seguiu trilhando a sua brilhante carreira.

Chelsea 2004 – 2007: Holandês supera lesões e vira ídolo

Arjen Robben no Chelsea.

Em sua primeira temporada com a camisa do Chelsea(2004 – 2005), Arjen Robben atuou em “apenas” 27 jogos, já que o atleta sofreu com duas lesões que o tiraram de um total de 18 duelos, como mais de 100 dias de recuperação. Mesmo assim, ele anotou oito gols e ainda deu mais dez assistências para os seus companheiros, sempre encantando a torcida inglesa com o seu estilo de jogo com muita velocidade e dribles. Nos Blues conquistou a Copa da Liga Inglesa e, também, a Premier League.

Na temporada, seguinte, Arjen Robben conseguiu se manter saudável, e entrou em campo por 40 vezes. Foram sete gols e seis assistências, além de diversas participações em jogadas ofensivas, sendo um dos destaques do Chelsea e também da Premier League. Tanto que os Blues levaram o bicampeonato da Premier League, além da Supercopa da Inglaterra. A passagem de Robben na Inglaterra era promessa de títulos e conquistas na carreira.

A temporada 2006 – 2007 foi a última da lenda holandesa no Chelsea. Ele atuou em 37 jogos, anotou apenas três gols e contribuiu com oito assistências. E apesar dos números baixos, Arjen Robben era um jogador importante para o elenco azul, e ajudou o clube a ficar com os títulos da Copa da Inglaterra e da Copa da Liga Inglesa.

Holandês queria novos desafios

Porém, parecia que Robben não estava deslanchando no clube inglês como todos esperavam, e uma proposta do Real Madrid foi vista pelo clube e jogador como excelente oportunidade para ele deslanchar na carreira. Isso em um campeonato que se mostrava menos equilibrado e duro, e que parecia se adaptar melhor ao seu estilo e qualidades de jogo. Dessa forma, os espanhóis desembolsaram 35 milhões de euros para ficar com o atacante.

No Real Madrid, Arjen Robben não rende o esperado

Arjen Robben no Real Madrid.

Foram apenas duas temporadas na cidade de Madrid, e Arjen Robben nunca conseguiu render o que dele esperavam, como um promissor para alcançar o topo num dos maiores times do mundo. Com atuações algumas boas atuações, e outros lampejos, ficou longe da regularidade que todos contavam que o holandês teria.

A sua estreia foi no dia 18 de setembro, em um duelo diante do Werder Bremen pela Liga dos Campeões. Neste jogo o Real Madrid venceu os alemães por 2 a 1. Ainda com uma concorrência dura – entre outros estavam por lá, Van Nistelroij, Higuain e Robinho – ficou mais tempo na reserva, e também não conseguiu ter uma sequência que mostrasse a todos, seu valor.

Além disso, o jogador teve novas lesões, como fibra muscular rasgado, torção no tornozelo e ruptura muscular, mas nenhuma que o tirasse de combate por muito tempo. Entre altos e baixos, Arjen Robben ainda conseguiu atuar em seus quase dois anos de Real Madrid por 65 vezes, tendo anotado 13 gols e contribuindo com 14 assistências para o time Merengue. Lá ainda, conquistou o Campeonato Espanhol e a Supercopa da Espanha na temporada 2007 – 2008.

Arjen Robben no Real Madrid.

No dia 28 de agosto de 2009, o Real Madrid confirmou a saída do atacante holandês para o Bayern de Munique, por uma quantia de 10 milhões de euros a menos do valor que havia pago para tirá-lo do Chelsea: 25 milhões de euros.

2009 – 2019: Robben e Bayern de Munique, o casamento perfeito

Quando Arjen Robben chegou ao Bayern de Munique em 2009, existia a expectativa de que o holandês voltasse a brilhar, mas talvez nem mesmo o jogador imaginava o status que atingiria com a camisa dos Bávaros.

Robben e Van Gaal no Bayern de Munique.

Vendido no dia 28 de agosto pelo Real Madrid, lá ele encontrou o compatriota Louis Van Gaal como técnico do clube. Robben estreou no dia seguinte a sua contratação, e marcou dois gols na vitória por 3 a 0 diante do Wolfsburg, em partida válida pela Bundesliga, o Campeonato Alemão. Porém, não demorou para que o atleta voltasse a sofrer com as lesões, dessa vez, no joelho direito, tirando de combate por quase 1 mês. No retorno, bola na rede e vitória do Bayern por 2 a 1 contra o Eintracht Frankfurt.

Logo no primeiro ano, Robben se tornou em um dos principais jogadores da equipe, anotando 23 gols e contribuindo com oito assistências em 37 jogos, conquistando a Copa da Alemanha e o Campeonato Alemão logo de cara, mas batendo na trave na Champions League, caindo na final para a Inter de Milão.

Porém, como em toda história longa, existiram as falhas. O holandês também ficou marcado por perder um pênalti em na Liga dos Campeões em 2011-2012 contra o Chelsea, numa partida em que os Baváros acabaram perdendo o título para os ingleses e Robben saiu como grande vilão. Mas a redenção viria no ano seguinte. Após campanha impecável, o Bayern encontrou o grande rival Borussia na final. Arjen Robben foi o grande jogador da final, marcou o gol do título aos 89 minutos de jogo, e escolhido como o melhor da partida. Devido a uma lesão, acabou ficando de fora do Mundial de Clubes daquele ano que teve o Bayern como campeão.

Em dez temporadas no clube alemão, Arjen Robben conquistou 19 títulos, uma média de quase dois troféus por temporada. Foram 302 partidas disputadas oficialmente, anotando 141 gols e contribuindo com 84 assistências. A excelente passagem o tornou num dos maiores ídolos da recheada história de ídolos do clube alemão. Formou ao lado do francês Frank Ribery, uma dupla de talento histórico na segunda década do Séc. XXI.

A final da Champions League de 2013

Robben no Bayern de Munique em 2013.

O título de maior destaque na carreira de Arjen Robben foi a Champions League na temporada 2012-2013. E não poderia ser diferente para o craque holandês, marcado por um pênalti perdido na temporada anterior, contra o Chelsea. Com o gol decisivo ontra o arqui-rival Borussia Dortmund, ele finalmente colocou um ponto final em várias discussões acerca da sua carreira, a principal de que “pipocava” nas finais.

E para chegar até a grande final, os Bávaros fizeram uma campanha perfeita. Passaram em primeiro num grupo que ainda tinha o Valencia, BATE Borisov e Lille. Em seguida, nas oitavas de final passou pelo Arsenal, e num confronto de grandes campeões, bateu a Juventus. Já nas semifinais o encontro era contra o super favorito Barcelona, de Lionel Messi e cia. Porém, o time espanhol não teve chance contra o Bayern.

A decisão contra o maior rival da Alemanha, o Borussia Dortmund, aconteceu no mítico estádio de Wembley, na Inglaterra, com a presença de mais de 86 mil torcedores nas arquibancadas. Após um primeiro tempo truncado, com poucas oportunidades, na segunda etapa aconteceram as principais emoções.

Aos 60 minutos de jogo, Arjen Robben recebeu do parceiro Frank Ribéry, limpou a marcação e só rolou para Mandžukić abrir o placar. Mas a vantagem durou só sete minutos. Gündoğan, de pênalti, deixou tudo igual.

A partida encaminhava para a prorrogação, mas o craque holandês voltou a se mostrar decisivo, e acabar com um sina de anos. Ribéry recebeu lançamento, fez o pivô e apenas rolou para Arjen Robben. O holandês recebeu em velocidade, passou por dois adversários e tocou na saída do goleiro alemão. O gol, aos 89 minutos, fechou o marcador em 2 a 1, e deu mais um título para os Bávaros. E além do gol, Arjen Robben também foi eleito o melhor jogador da final.

Com Pep Guardiola, Robben vive grande momento da carreira

Antes mesmo da conquista da Champions League, o Bayern de Munique já havia acertada a chegada do treinador Pep Guardiola. E ter o melhor técnico do mundo foi de grande valia não apenas para Arjen Robben, como para todo o elenco do Bayern que tiveram temporadas excelentes sob o comando do espanhol.

Robben e Guardiola no Bayern.

Para muitos a passagem de Pep Guardiola poderia causar um grande atrito com as principais e já veteranas estrelas do time alemão, leia-se aqui Robben e Ribery. Mas mostrando que tanto o técnico quanto os jogadores souberam se adaptar, a passagem deles, juntos, no maior time da Alemanha foi inesquecível para todos, com a soberania no futebol alemão e, ainda assim, mesmo sem conquistarem uma Champions League juntos.

Durante a passagem de Guardiola pelo Bayern, de 2013 a 2016, o time alemão foi comandado em 160 partidas, com 121 vitórias, 20 empates e 19 derrotas. Com um time super ofensivo, evolui a foram do Barcelona atuar e pressionou ainda mais os adversários utilizando da força física. No total marcaram 396 gols e sofreram 111.

Arjen Robben evoluiu, foi destacado por Pep Guardiola como a grande estrela do time alemão – de um time muito coletivo. Comandado por grandes e reconhecidos treinadores em toda a sua carreira, porém, Robben não hesita em dizer qual o melhor com qual trabalhou.

“Quando Pep Guardiola chegou eu já tinha 30 anos. Nessa idade você só quer se manter constante e não piorar. Mas sob o seu comando, fiquei melhor. De repente passei a jogar em posições que nunca pensei que atuaria”.

Arjen Robben e Franck Ribéry: uma parceria de sucesso

Franck Ribéry chegou antes ao Bayern de Munique, em 2007/08. Porém, foi com a chegada de Arjen Robben que ambos cresceram, conquistando títulos coletivos e individuais, e sendo coroados com a Champions League, onde ambos decidiram.

A característica de ambos era parecida, com muita velocidade, dribles rápidos e sempre em direção ao gol. O francês jogava na ponta esquerda, enquanto o holandês na direita, sendo as armas dos Bávaros. Curiosamente, ambos deixaram o clube juntos, com Ribéry indo para a Fiorentina e Robben pausando a carreira.

A despedida no Bayern de Munique

Na temporada 2019, Arjen Robben anunciou a sua aposentadoria do futebol (que se tornaria uma pausa). Além dele, saíram também Ribéry e Rafinha, outros símbolos de sucesso na equipe.

A despedida foi uma verdadeira coroação por tudo o que eles fizeram, conquistando o sétimo título do Campeonato Alemão seguido para o Bayern, o 29º da história, e com goleada.

Na ocasião, em duelo contra o Eintracht Frankfurt, vitória por 5 a 1, contando com gols de Arjen Robben e Ribéry. Além da Bundesliga, a temporada de despedida rendeu os títulos da Supercopa da Alemanha e da Copa da Alemanha, fechando um ciclo com chave de ouro.

Arjen Robben: Os números nos clubes

Foram 30 títulos coletivos conquistados por Arjen Robben, além de 28 títulos individuais, contabilizando apenas o que o holandês fez pelos clubes. O maior destaque, claro, foi a Liga dos Campeões da UEFA em 2012-13, conquistada diante do maior rival do Bayern de Munique, o Borussia Dortmund, com o gol do título sendo marcado por Robben aos 89 minutos, fechando o jogo em 2 a 1.

Na ocasião, o atleta ainda foi eleito o melhor jogador da final. Ao todo, por clubes, foram 599 jogos, 207 gols e 144 assistências de Arjen Robben até a sua “pausa”. Agora, ele segue aumentando os números no Groningen, onde deve atuar até o final da temporada 2020/21.

2020: Pelo Groningen, Robben sai da aposentadoria

Após menos de um ano de sua aposentadoria, Arjen Robben decidiu retornar aos gramados em 2020 pelo clube que o projetou, o Groningen. Em meio a pandemia do Coronavírus, o Groningen, pequeno clube da Holanda, passava por dificuldades financeiras, e o retorno de Robben ao futebol ajudaria a dar maior visibilidade na busca de melhore patrocínios.

Mesmo como um atleta competitivo, o papel de Arjen Robben no Groningen acaba sendo mais extracampo do que nos gramados. Mas, de toda forma, Robben ajuda e mostra todo o carinho pela equipe.

(2003 – 2017) Arjen Robben e a passagem na seleção holandesa

Arjen Robben foi, juntamente com os parceiros Wesley Sneijder e Robbie Van Persie, um trio de muito sucesso no futebol mundial, inclusive juntos, vestindo a camisa da Seleção Holandesa. Porém, como muitos outros ídolos da Laranja Mecânica, repetiram a sina de não levar uma Copa do Mundo, inclusive como o time mais famoso – de 1974 e 1978 – que chegaram a  final dos mundiais nos respectivos anos.

Euro 2004: Primeiro torneio importante

Robben e Sneijder na Eurocopa 2004.

Aos 20 anos de idade, Robben disputou com a seleção holandesa a sua primeira competição oficial, a Eurocopa de 2004, e foi muito bem sendo um dos destaques do selecionado holandês. Inclusive contra a Suécia, nas quartas de finais, teve a última cobrança de penalidades em seus pés, e não decepcionou. Porém, a Laranja Mecânica parou ali, caindo para a dona da casa Portugal, nas semifinais, pelo placar de 2 a 1.

Dois anos depois, em 2006, Robben foi convocado para disputar a sua primeira Copa do Mundo, que aconteceu na Alemanha. Na estreia, contra a Sérvia, o atacante foi eleito o homem do jogo, anotando um gol no duelo. Já na segunda partida da competição, contra a Costa Rica, novamente veio a premiação. Após empate sem gols com a Argentina, a Holanda avançou na segunda posição, encarando assim a pedra no sapato da Euro, Portugal, e caindo mais uma vez, ao perdeu por 1 a 0.

Apesar de vir muito bem nos clubes e na seleção, Arjen Robben foi para o banco de reservas da seleção na disputa da Eurocopa de 2008, decisão do treinador e ex-craque, Marco van Basten. O técnico ainda tirou Robin van Persie do time, para mudar todo o esquema de jogo. Porém, mesmo vindo do banco, o ponta conseguia mostrar boas atuações, em especial destaque na vitória por 4 a 1, sobre a França. Partida que foi eleito o melhor em campo. Mas, após passar da primeira fase com 100% de aproveitamento, a Laranja Mecânica caiu logo nas quartas de finais, para a poderosa campeã do mundo dois anos antes, a Itália.

Em 2010, Robben e Holanda ficam novamente com o vice

Arjen Robben contra o Uruguai em 2010.

Um pouco antes do início da Copa do Mundo de 2010, na Áfricado Sul, Arjen Robben se lesionou no último amistoso. Porém, o treinador Bert van Marwijk apostou em manter o jogador na convocação, acreditando em uma rápida recuperação. Robben ainda perdeu os dois primeiros jogos da competição, mas na terceira partida da Copa, no duelo contra Camarões, ele estava em campo ao final da partida, tendo ainda participado de um gol.

Nas oitavas de final, diante da seleção da Eslováquia, Arjen Robben iniciou já como titular, e marcou um dos gols na vitória por 2 a 1, sendo considerado, mais uma vez, o homem do jogo. Nas quartas de finais, contra a forte seleção brasileira de Kaká e Robinho, o atacante foi fundamental para a classificação holandesa. Um dos momentos mais marcantes desse confronto foi a forte entrada de Felipe Melo em Robben, que acabou com a expulsão do volante brasileiro. De virada, a Holanda se classificou para as semifinais por 2 a 1.

Arjen Robben na final da Copa do Mundo 2010.

Nas semifinais, diante do Uruguai, Robben marcou um dos gols da vitória em um jogão, 3 a 2, para a Holanda e a classificação para uma final de Copa do Mundo, 32 anos depois. Porém, na decisão diante da Espanha de Xavi, Iniesta e Casillas, os holandeses bateram na trave mais uma vez. Perderam o confronto por 1 a 0, e Arjen Robben saiu como o grande vilão ao perder um gol cara a cara com Iker Casillas. Neste lance o jogo ainda não tinha saído do zero.

2014 -2017: O último ato de Arjen Robben pela Holanda

A Copa do Mundo de 2014, no Brasil, foi a última de Arjen Robben com a camisa da seleção da Holanda. Na estreia, dois gols na goleada por 5 a 1 sobre a Espanha, no reencontro da última final. Na segunda rodada, mais um gol do jogador, na vitória por 3 a 2 sobre a Austrália. Ao lado de Wesley Sneijder e Van Persie, o trio seguia decidindo. Ainda passaram pelo México e Costa Rica, nas oitavas e quartas de finais, respectivamente. Porém, nas semifinais, empate sem gols com a Argentina e derrota nos pênaltis. Na decisão do terceiro lugar, vitória diante dos donos da casa, o Brasil, por 3 a 0.

Arjen Robben foi eleito o homem do jogo em três duelos em 2014: contra Austrália, Chile e Brasil. Seu nível ainda era altíssimo, tanto que ele ficou na seleção da Copa do Mundo, e foi eleito o terceiro melhor jogador da competição.

Essa foi a última Copa do Mundo de Robben, já que para o Mundial de 2018, a Holanda não conseguiu a classificação. No último duelo, onde precisavam vencer a Suécia por sete gols de diferença para conseguir uma vaga, vitória por 2 a 0, com dois gols do já veterano de 33 anos, Arjen Robben. Situação que,  em seguida, o levou a anunciar sua aposentadoria da seleção holandesa.

Em toda a sua carreira pela Holanda, Robben participou de 96 jogos, anotou o total de 37 gols, e contribuiu com 29 assistências. Não há dúvidas que, mesmo sem conquistar um grande troféu pela seleção de seu país, Arjen Robben está na história também da Laranja Mecânica, como uma Lenda Holandesa.

Robben em sua despedida da seleção da Holanda.

 

REFERÊNCIAS:

https://fcbayern.com/en

https://www.fifa.com/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Arjen_Robben

https://www.transfermarkt.com.br/arjen-robben/profil/spieler/4360

https://www.ogol.com.br/player.php?id=2737

https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas/2004/12/09/ult1777u21297.jhtm

https://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/robben-anuncia-volta-ao-futebol-no-groningen-da-holanda-um-ano-depois-de-adeus-no-bayern.ghtml

https://www.transfermarkt.com.br/arjen-robben/verletzungen/spieler/4360

https://pt.wikipedia.org/wiki/Liga_dos_Campe%C3%B5es_da_UEFA_de_2012%E2%80%9313

https://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA_de_2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *