Clarence Seedorf

Meio campista
976 Jogos Oficiais
21 Títulos Oficiais
146 Gols Marcados
Clarence Seedorf Holanda - Paramaribo - Suriname
Nascimento 31 de agosto de 1976
Falecimento -
Apelidos CS10
Carreira Início: (1992) Ajax
Término: (2013) Botafogo
Características Altura: 1,76 m
Ambidestro
Posição / Outras posições Meio-campista
UEFA Champions League

1994-95, 1997-98, 2002-03, 2006-07

Mundial de Clubes

1998, 2007

Bola de prata

2013

Perfil / Estilo do jogador

Um verdadeiro regente dentro de campo, corroborando com o seu estilo culto fora dos gramados, Clarence Seedorf atuava em diversas faixas do meio-campo, mostrando toda a sua versatilidade. Além de organizar o setor intermediário tanto como marcador, ou como um verdadeiro camisa 10, o jogador também tinha muita qualidade em seu chute, sendo capaz de marcar verdadeiros golaços de fora da área, sendo que alguns deles de falta. Além disso, o meia se destacava por conta de sua força física, habilidade e velocidade, características bastante notadas pelos apreciadores de seu futebol.

Categoria de base

Data Clube    
1990-1992 Ajax    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1992-1995 Ajax 90 11
1995-1996 Sampdoria 34 4
1996-2000 Real Madrid 159 20
2000-2002 Internazionale 93 14
2002-2012 Milan 432 62
2012-2013 Botafogo 81 24

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
1994-2008 Holanda 87 11

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Ajax Copa da Holanda 1992-93
Ajax Campeonato Holandês 1993–94, 1994–95
Ajax Supercopa da Holanda 1993, 1994
Ajax Liga dos Campeões 1994-95
Real Madrid Campeonato Espanhol 1996-97
Real Madrid Supercopa da Espanha 1997
Real Madrid Liga dos Campeões 1997-98
Real Madrid Copa Intercontinental 1998
Milan Liga dos Campeões 2002–03, 2006–07
Milan Campeonato Italiano 2003–04, 2010–11
Milan Copa da Itália 2003
Milan Supercopa da UEFA 2003, 2007
Milan Supercopa da Itália 2004, 2011
Milan Mundial de Clubes 2003, 2007
Botafogo Campeonato Carioca 2013

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Talento do Futebol Holandês 1992–93, 1993–94 Ajax
Bola de Ouro da Serie A 2003–04 Milan
Melhor meio-campista da Liga dos Campeões 2002-03, 2006-07 Milan
Bola de Prata do Mundial de Clubes da FIFA 2007 Milan
Bola de Ouro do Campeonato Carioca 2013 Botafogo
Bola de Prata Campeonato Brasileiro 2013 Botafogo

Desempenho

0,14
Média
Gols por jogo
1
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
4
Passe
5
Controle de Bola
4
Drible
3
Velocidade
4
Técnica
5
Finalização
4
Condicionamento Físico
4
Fundamentos Defensivos
3

Biografia

Clarence Seedorf: O senhor “Liga dos Campeões”

Clarence Seedorf: o senhor "Liga dos Campeões"

Conhecido por ser um jogador carismático e culto dentro e fora dos gramados, Clarence Seedorf era especialmente inteligente em seu posicionamento nos limites das quatro linhas. Como meio-campista, ele dominava as diversas faixas do campo, atuando praticamente como volante em seus primeiros anos de carreira e como maestro nos anos posteriores.

Nascido no Suriname, teve que partir com a sua família para a Holanda como imigrante e foi lá que sua história no futebol começou. Com a camisa do Ajax, o meia conquistou o seu primeiro título de Liga dos Campeões, em 1994-95, o último da história do clube. Tal competição, Seedorf voltaria a conquistar em pouco tempo, mais precisamente em 1997-98, dessa vez com as cores do Real Madrid.

Fora da capital Madrid, partiu para a Itália e por lá, encantou o lado rossonero de Milão. Na equipe do Milan, faturou mais dois títulos de Ligas dos Campeões nas temporadas 2002-03 e 2006-07. Com esse feito, o craque conseguiu se tornar o único jogador da história a faturar a Liga dos Campeões por três clubes diferentes.

Ao deixar o Milan, ainda deu tempo de o meia vir para o Brasil, país natal de sua esposa, onde já tinha certa familiaridade. Em terras tupiniquins, Seedorf vestiu o manto do Botafogo e se tornou um dos jogadores mais emblemáticos da história do clube.

Após encerrar a carreira, Seedorf foi desenvolver o seu lado culto fora dos gramados, ao conseguir um mestrado em negócios na universidade italiana de Bocconi, uma das mais renomadas do mundo. Esse feito só veio a completar um dos jogadores mais cultos do futebol mundial, que ao longo da carreira aprendeu a falar seis línguas diferentes e se tornou o senhor “Liga dos Campeões”.

Infância, histórico e inspirações

Neto de escravos, Clarence Clyde Seedorf herdou seu sobrenome de seu avô, que já havia herdado o mesmo sobrenome de um senhor de terras alemão. Nascido no dia 1 de abril de 1976, na cidade Paramaribo, no Suriname, com apenas dois anos se mudou para a Holanda como imigrante junto com sua família.

Naquele período, o Suriname tinha acabado de conseguir sua independência da Holanda, enquanto o futebol era a liberdade da família de Seedorf. Até porque, seu pai Johann Seedorf foi jogador de futebol, assim como seus irmãos Jürgen e Chedric Seedorf.

Dessa forma, seria difícil o pequeno garoto gostar de outra coisa se não desse tão amado esporte. Sendo assim, com apenas seis anos, ele começou a jogar nas categorias de base do VV AS ’80 e do Real Almere, duas equipes amadoras locais. Logo nesse inicio, o jovem jogador começou a impressionar aqueles que o observavam por conta de sua mobilidade e imposição física.

Esse talento também foi logo observado pela Urgent Scoutingteam, uma agencia caçadora de talentos do Ajax, criada por Johan Cruyff. Sendo assim, Seedorf integrou as categorias de base da equipe holandesa em 1990, quando tinha 14 anos.

Foi então, que naquele período, nascia uma nova geração de craques do Ajax, substituindo a vitoriosa geração de van Basten, Rijkaard e Gullit. Inclusive, o próprio Rijkaard que sempre foi o ídolo de Seedorf, por coincidência, jogou ao lado dele anos mais tarde pelo Ajax.

Ajax: muito sucesso logo no início da carreira

Clarence Seedorf estreou pelo profissional do Ajax em 1992, com apenas 16 anos, em partida contra o Groningen, no Campeonato Holandês. Com essa estreia, o meia se tornou o jogador mais jovem da história a estrear com a camisa da equipe holandesa.

Naquela partida, o jogador atuou por apenas alguns minutos, mas nos jogos seguintes, ele passou a receber mais chances do técnico Louis van Gaal. Mesmo não sendo titular absoluto, o meia foi um dos destaques daquele inicio de uma das melhores gerações da história do Ajax. Uma façanha e tanto, pois ao seu lado, atuaram jogadores como Marc Overmars, os irmãos Ronald e Frank De Boer, Edgar Davids, van der Sar e Dennis Bergkamp.

Junto com esse elenco, Seedorf faturou o título da Copa da Holanda logo em seu ano de estreia. Após essa conquista, o jogador se firmou de vez entre os titulares da equipe na temporada 1993-94 e foi um dos principais destaques do título do Campeonato Holandês. Título esse que ele viria a conquistar também na temporada seguinte, em 1994-95.

Além disso, o meia ainda conquistaria um dos títulos mais importantes da história do Ajax, a Liga dos Campeões. Naquela conquista, Seedorf novamente seria o grande destaque do meio-campo, comandando o time ao lado de outros jogadores que foram base da seleção holandesa. Dentre eles, o próprio Edgar Davids e o atacante Patrick Kluivert.

Após o feito histórico de conquistar a Liga dos Campeões, Seedorf sabia de seu potencial e preferiu alçar voos mais altos na Europa. Dessa forma, o jogador que estava em fim de contrato, resolveu tentar a sorte em outro clube. Assim, ele deixou o Ajax com 89 partidas e 11 gols marcados, que curiosamente foi a única equipe em que ele atuou no futebol holandês.

UEFA Champions League 1994-95: ajuda o Ajax a levantar o caneco europeu

Como titular imprescindível no meio-campo do Ajax, Clarence Seedorf atuava basicamente como um coringa. Sua movimentação em campo dava a sustentação e tranquilidade necessária para a sua equipe no setor ofensivo. Até porque, o jogador tanto atacava com qualidade, como voltava para cobrir a defesa com muita firmeza. Para se ter uma ideia, o craque atuou em mais de uma posição no setor do meio-campo só na edição de 1994-95 da Liga dos Campeões.

Contando com um jogador tão importante, o Ajax passou com tranquilidade da primeira fase da competição. Em um grupo que contava com o poderoso Milan, Red Bull Salzburg e AEK Atenas, os holandeses se classificaram em primeiro lugar.

Interminável, Seedorf seguiu como titular do torneio, atuando praticamente em tempo integral em todos os jogos. Sendo assim, o Ajax passou sem muitos problemas contra o pequeno Prishtina FC do Kosovo e Bayern Munich até reencontrar o Milan na final.

Na decisão, em placar apertado, os holandeses venceram o time de George Weah pelo precioso triunfo de 1 a 0. Sem contar que aquele resultado foi a cara de Clarence Seedorf, na base de muita raça e garra. Símbolo daquela conquista, não à toa o jogador foi eleito o talento do futebol holandês nos dois anos anteriores.

Formação do “Cabo”: grupo formado por afro-holandeses

Em boa parte de sua passagem pelo Ajax, Clarence Seedorf dividiu os gramados com outras verdadeiras lendas como Michael Reiziger, Winston Bogarde, Edgar Davids e Patrick Kluivert. Por coincidência, todos os jogadores tinham as sua origens do mesmo lugar, o Suriname.

Como se não bastasse, eles foram essenciais para na conquista da Liga dos Campeões de 1994-95 pelo Ajax. Por conta disso, também acabaram formando a base da seleção holandesa comandada por Guus Hiddink.

Porém, na seleção laranja, a impressão era de que os jogadores viviam isolados de grande parte do elenco por serem negros e nascidos no Suriname. Dessa forma, eles foram apelidados de “O Cabo” pela imprensa holandesa, como uma espécie de linha de resistência em relação aos demais. Embora, esse fato seja negado por alguns jogadores do escrete holandês, naquele período existiam indícios que davam conta de que o elenco vivia segregado. Sem contar os constantes desentendimentos do treinador Guus Hiddink com o próprio Seedorf e Edgar Davids em algumas ocasiões, no que muitos acreditavam ser por esse assunto.

Sampdoria: Clarence Seedorf não renova e vai para clube mediano da Itália

Breve passagem pela Sampdoria.

Após não renovar com o Ajax, Clarence Seedorf gostou da proposta apresentada pela Sampdoria e acertou com a equipe em 1995-96. Na época, ele chegava para atuar com outros grandes craques como Sinisa Mihajlovic e Roberto Mancini, sob o comando do lendário ténico sueco Sven-Göran Eriksson.

Porém, mesmo ao lado de grandes craques, Seedorf não conseguiu conquistar um mísero título pela Sampdoria, tendo terminado em oitavo lugar no Campeonato Italiano. Entretanto, nem tudo foi decepção, pois o jogador conseguiu se destacar em meio a uma temporada coletiva ruim e logo chamou atenção do Real Madrid.

Assim, os merengues acertaram a sua contratação e o meia deixou a Sampdoria depois de apenas uma temporada. Assim, ele encerrava seu ciclo com a equipe italiana com 34 jogos com 4 gols anotados.

Real Madrid: Clarence Seedorf levanta mais uma Champions League

 

Impressionado com o talento de Clarence Seedorf, o técnico Fábio Capelo, que estava de saída do Milan para o Real Madrid, recomendou a contratação do jogador. Foi então que o craque holandês acertou sua ida ao clube merengue na temporada de 1996-97. Logo de cara, ele recebeu a camisa 10, por conta do tamanho respaldo que tivera do seu então treinador.

Mas, todo esse respaldo não foi em vão, pois o jogador foi essencial na conquista do título da La Liga, logo em seu ano de estreia. Inclusive, na competição, ele marcou um verdadeiro golaço contra o rival Atlético de Madrid em jogo válido pela 20º rodada. Além disso, o jogador ainda obteve tal conquista ao lado de icônicas lendas como Roberto Carlos, Raúl, Davor Suker, Fernando Redondo e Fernando Hierro. Contudo, as conquistas não pararam por aí.

Na temporada seguinte, já sob o comando de Jupp Heynckes, Seedorf conduziu o Real Madrid a um histórico título de Liga dos Campeões, após seca de 32 anos. Como titular absoluto, o jogador marcou dois gols durante a competição, sendo ambos anotados contra o Bayern Leverkusen nos jogos de ida e volta das quartas de finais.

Ainda deu tempo de ele conquistar o Mundial de Clubes no final de 1998, em duelo disputado contra o Vasco da Gama. Na ocasião, os merengues venceram pelo placar apertado de 2 a 1.

Saída conturbada após chegada de antigo desafeto

Curiosamente, com o passar do tempo, Seedorf começou a perder força dentro do time do Real Madrid. Tanto que já no final da temporada 1998-99, o jogador quase foi envolvido em uma troca com Zidane, craque atual campeão mundial com a França, que atuava pela Juventus.

Até que na temporada 1999-00, Seedorf deixou o Real Madrid, após a chegada de Guus Hiddink, seu antigo treinador de seleção holandesa, com quem teve alguns atritos. Sendo assim, o meia basicamente deixava o Real de Madrid de uma maneira não muito amigável apesar de importantes conquistas.

Além dos títulos, Seedorf colecionou 159 partidas com a camisa merengue e anotou 20 gols.

Inter de Milão: Clarence Seedorf tem passagem rápida e sem títulos

Após deixar o Real Madrid, Clarence Seedorf retornou à Itália para jogar na Internazionale. Na ocasião, o meia foi contratado pelo valor de 25 milhões de dólares, sendo a terceira maior contração nerazzuri até então, atrás apenas de Christian Vieri e Ronaldo.

Chegando a equipe no meio da temporada 1999-00, Seedorf estreou com o pé direito na Internazionale. Até porque, logo em sua estreia, ele anotou um dos cinco gols marcados em cima do Peruggia. No restante da temporada não foi diferente, pois o meia também foi importante com gols e assistências. Sem contar que dentre seus tentos, o mais memorável foi em cima da Juventus na 30° rodada da série A.

Com boas atuações em pouco tempo, o jogador conseguiu ajudar a sua equipe a alcançar o modesto 4º lugar no Campeonato Italiano. De quebra, ainda na temporada 1999-00, ele fez com que a Inter chegasse longe na Copa da Itália, porém sem a conquista do caneco. Em final contra a Lazio, o meia bem que balançou as redes, mas não foi o suficiente, já que os adversários venceram por 2 a 1.

Mas, após a saída do técnico Marcelo Lippi ao final daquela temporada, Seedorf começou a perder espaço no time nerazzurri. Os técnicos Marco Tardelli e posteriormente Héctor Cúper, tiveram preferências táticas que não incluíam o jogador.

Contudo, quando requisitado, Seedorf continuou jogando em alto nível, tanto que anotou um golaço decisivo em empate contra a Juventus pelo Campeonato Italiano de 2001-02. Na ocasião, esse gol dava um ponto importante para a Internazionale, que na altura daquela 26º rodada da competição, era a grande líder. Porém, a equipe perdeu o fôlego na reta final e deixou escorrer de suas mãos um título dado como certo.

Saída para o rival

Na temporada de 2001-02, Seedorf já não estava sendo muito utilizado pelos atuais treinadores da Internazionale. Dessa forma, ele foi envolvido em uma negociação com o arquirrival Milan. Na ocasião, o meia foi trocado pelo zagueiro italiano Francesco Coco, que naquela época também representava a seleção Azurra e era considerado uma grande promessa. Curiosamente, anos mais tarde, todos viram qual das equipes levou a melhor nessa inusitada negociação.

Sendo assim, Seedorf deixou a Internazionale após 93 partidas com 14 gols marcados. Além disso, mesmo tendo jogado ao lado de verdadeiras lendas como Ronaldo, Christian Vieri, Iván Córdoba e Javier Zanetti, o jogador não conquistou títulos.

Milan: Clarence Seedorf se torna grande ídolo e ganha mais 2 Champions League

No Milan, Clarence Seedorf fatura mais duas Ligas dos Campeões.

Apesar da troca de Clarence Seedorf e Francesco Coco serem considerada bizarra anos depois, na temporada 2002-03, nem todos pensavam assim. Até porque, o zagueiro italiano era tido como uma promessa e futuro sucessor de Paolo Maldini. Já o meia da seleção holandesa ainda era visto com desconfiança em Milanello por conta de sua fase recente.

Porém, toda desconfiança foi rapidamente dissipada. Seedorf se tornou um dos homens de confiança do treinador Carlo Ancelotti. Ao lado de Rui Costa, Andrea Pirlo e Genaro Gattuso, Seedorf formou um dos melhores meio-campo da história da equipe rossonera, que sempre foi muito famosa em ter grandes craques nesse setor.

Além disso, Seedorf foi um dos protagonistas da equipe não só na formação do meio-campo, como também nas participações no ataque. Até porque, ele foi importante na caminhada do título da Liga dos Campeões da temporada 2002-03, a sua primeira com o Milan, com um gol e quatro assistências. A mais emblemática delas foi contra a rival Internazionale, que garantiu um empate em 1 a 1 que deu vaga ao Milan na final contra outra rival, a Juventus.

Ainda em sua temporada de estreia, Seedorf conquistou o título da Copa da Itália pelo Milan. Mas, suas conquistas nacionais não pararam por ai, já que na temporada seguinte, ele conquistou o título italiano 2003-04, oportunidade em que também foi eleito o melhor jogador do torneio.

Porém, a saga de grandes títulos de Seedorf no Milan teve um pequeno intervalo, já que o time rossonero bateu na trave em 2005 na final contra o Liverpool no milagre de Istambul e no Campeonato italiano. Porém, o meia voltaria a conquistar o título da Liga dos Campeões em 2006-07, dando quatro assistências e anotando dois gols, sendo o mais emblemático na semifinal contra o Manchester United.

Já veterano, Seedorf ainda conquista mais títulos pelo Milan

Após a vingança contra o Liverpool na final da Liga dos Campeões de 2006-07, Seedorf ainda conquistou o título do Mundial de Clubes no final do ano de 2007. Na campanha do título, o jogador chegou a marcar um gol na vitória de placar mínimo contra o Urawa Reds. Na final, ele foi importante na construção do placar de 4 a 2 contra o Boca Juniors, onde Kaká, Filippo Inzaghi (duas vezes) e Nesta, anotaram os gols.

Porém, a partir dali, o envelhecido elenco do Milan começou a passar por mudanças. Kaká foi negociado com o Real Madrid, Maldini e Inzaghi se aposentaram, enquanto Shevchenko, que passou duas vezes pela equipe, também havia se despedido.

Entretanto, em meio a uma nova geração que se formava no Milan, que contou com breves passagens de Ronaldinho e Beckham, o meia de 35 anos conseguiu ser mais uma vez campeão italiano em 2010-11. Porém, na temporada seguinte após o título, Seedorf começou a conviver com constantes lesões e por conta da fase de reformulação promovida por Adriano Galliani e Silvio Berlusconi, ele deixou o clube.

Assim, Seedorf encerrou a passagem mais vitoriosa de sua carreira, contando 432 jogos com 62 gols marcados. Inclusive, com tantas partidas assim, ele se tornou o jogador estrangeiro com o maior número de jogos pelo Milan, superando o lendário sueco  Nils Liedholm.

Botafogo: Clarence Seedorf ajuda o Botafogo a vencer o carioca

Na reta final de carreira, aos 36 anos, Clarence Seedorf fez um acerto no mínimo inusitado para o seguimento de sua carreira e fechou com o Botafogo. Na ocasião, o seu casamento com a modelo carioca Luviana, foi um fator decisivo para que o jogador acertasse com o Fogão, mesmo que naquela época, alguns setores da imprensa o apontavam no Corinthians.

O torcedor botafoguense não poderia estar mais alegre, tanto que recebeu o jogador de braços abertos no aeroporto. Inclusive, logo de cara, Seedorf já chegou esbanjando simpatia, respondendo as perguntas da imprensa em português. Sem contar que seus seis primeiros meses com a camisa do clube foram repletos de boas atuações.

Porém, a temporada de 2013 foi ainda melhor para o jogador e o Botafogo. Seedorf foi peça principal da equipe de General Severiano no título carioca daquele ano. Inclusive, ele ainda foi eleito o melhor jogador da competição estadual, conquistando o prêmio Bola de Ouro.

No Campeonato Brasileiro daquele ano não foi diferente, já que o meia continuou atuando em alto nível. Após muits anos de participações bastante ruins, Seedorf conduziu o Botafogo ao 4º lugar da competição, resultado que de quebra recebeu o prêmio Bola de Prata, como o melhor jogador de sua posição.

Mas, embora estivesse em boa fase no Botafogo, Seedorf recebeu uma ligação no mínimo inusitada de Milão. Na ocasião, ele recebeu uma oferta para ser treinador do Milan em janeiro de 2014. Com isso, arrumou as malas e rumou de volta para Itália. Assim, o jogador encerrou sua breve, porém brilhante, passagem pela estrela solitária, com 81 gols e 24 gols.

Clarence Seedorf e Luviana Seedorf: a origem do vínculo com o Brasil

Passista da Mocidade Independente no final dos anos 1990, Luviana conheceu Clarence Seedorf em uma viagem internacional para Milão. A partir daquele encontro, ambos continuaram se relacionando até se casarem.

O casamento dos dois pombinhos dura até hoje e foi fundamental para a chegada de Seedorf ao Botafogo. Até porque, Luviana é torcedora botafoguense declarada e sua influência foi um empurrão a mais para que o jogador acertasse com o clube.

Aposentadoria e carreira pós-aposentadoria

Breve carreira como treinador.

Inteligente e culto, Clarence Seedorf é um verdadeiro poliglota. O Holandês de origem surinamesa  fala seis línguas: holandês, inglês, italiano, português, espanhol e sranan tongo. Todo esse seu conhecimento logo foi muito bem utilizado, pois antes mesmo de encerrar a carreira, ainda em 2009, o então jogador logo comçou a escrer alguns artigos para o respeitado jornal The New York Times. Em 2010, ele continuou trabalhando na mídia, ao cobrir a Copa do Mundo daquele ano e a Eurocopa de 2012, pela BBC.

Nesse meio tempo, Seedorf não se esqueceu do seu país de origem, o Suriname, fazendo muitas ações sociais por lá. Tanto que dentro do país, ele possui a sua própria instituição, a Fundação Champions for Children, que ajuda crianças carentes. De quebra, esse trabalho lhe rendeu o prêmio Comandante da Ordem Superior da Estrela Amarela no Suriname. Como se não bastasse, o então jogador ainda construiu um estádio com seu próprio nome, que hoje em dia, abriga jogos de torneios juvenis no Suriname.

Logo após encerrar a carreira, prestes a completar 38 anos, Seedorf teve a missão de substituir Massimiliano Allegri como técnico do Milan, em janeiro de 2013. Porém, apesar do bom início, o ídolo da equipe não conseguiu repetir os mesmo feitos dos tempos de jogador e deixou o cargo após apenas 4 meses.

Depois de dois anos sem treinar, Seedorf prosseguiu com a carreira de treinador em 2016, ao dirigir o Shenzhen da China. Porém, no clube, ele não obteve sucesso e ficou mais dois anos estudando para se aprimorar na nova profissão. Então, em 2018 o ex-jogador assumiu o clube espanhol Deportivo La Coruña, mas também sem sucesso. Após insucesso na La Liga, partiu meses depois para assumir a seleção de Camarões, cargo em que também não obteve muito brilho.

Clarence Seedorf na Seleção Holandesa

Clarence Seedorf na seleção holandesa.

Com sua dupla cidadania, Clarence Seedorf foi convocado pela seleção holandesa em sua primeira oportunidade em 1994, aos 18 anos de idade, enquanto jogava no Ajax FC. E logo na estreia, contra a Luxemburgo pelas eliminatórias da Euro, o jogador já deixou seu gol, em goleada por 5 a 0.

Inclusive, por fazer parte da campanha que classificou a Holanda para a Eurocopa de 1996, Seedorf foi convocado para o torneio europeu. Porém, na competição, sua seleção não passou das quartas de finais.

Mas logo depois, dentro do escrete holandês, o jogador participou de campanhas melhores nos anos seguintes. Na Copa do Mundo de 1998, a Holanda chegou até a semifinal da competição, obtendo o mesmo resultado na Euro de 2000 e 2004. Inclusive, essa última edição da Eurocopa teve Seedorf como titular absoluto, já que ele não se firmou na posição nas outras competições e não participou da Copa do Mundo de 2002, pois sua seleção não se classificou.

Dessa forma, Seedorf participou de apenas quatro competições pela seleção holandesa na carreira, dentre elas, apenas uma Copa do Mundo. Sem contar que ele não foi convocado para o mundial em 2006, sendo preterido pelo técnico Marco van Basten. Na ocasião, uma nova geração passava a ser convocada com as presenças de Robben, van Nistelrooy, Wesley Sneijder e Robin van Persie. Sendo assim, a antiga geração de Davids, Kluivert, Overmans e Frank de Boer ficava para trás.

Ainda deu tempo de Seedorf ser convocado pela seleção holandesa em algumas oportunidades até 2008. Portanto, seu último jogo foi em um amistoso contra a Áustria, em que a Holanda venceu pelo placar de 4 a 3. Esse jogo foi a sua cereja do bolo de um período de 87 jogos e 11 gols com a camisa laranja.

Copa do Mundo de 1998: Seedorf cai com a Seleção Holandesa para o Brasil nas semi-finais

Participação na Copa do Mundo de 1998.

Após fazer boas aparições em seus quatro primeiros anos com a seleção holandesa, Clarence Seedorf garantiu sua vaga para a Copa do Mundo de 1998, na França. Mesmo não tendo sido titular absoluto nos anos anteriores, o jogador recebeu a oportunidade de estrear entre os titulares contra a Bélgica.

Porém, nas duas partidas seguintes, o meia perdeu a vaga entre os titulares da equipe e sequer entrou em campo. Sua titularidade só foi recuperada nas oitavas de finais em vitória contra a Iugoslávia por 4 a 1. Entretanto, mais uma vez Seedorf ficou de fora, dessa vez em jogo pelas quartas de finais contra a Argentina.

Já na fase semifinal, contra o Brasil, o meia voltou a campo, porém, jogou apenas 9 minutos e não impediu a derrota de sua seleção por 2 a 1. Com a disputa pelo terceiro lugar sendo o único caminho possível, o jogador atuou em tempo integral no duelo contra a Croácia, que resultou em derrota holandesa pelo placar de 2 a 1.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.