França

7 Títulos Oficiais
França
Seleção Francesa
Principais rivais Inglaterra / Itália / Brasil
Apelidos Le Bleus, Les Tricolores, La Sélection, Fierté Blue (Orgulho Azul), Les Coqs (Os Galos)
Mascote Galo Gaulês
Copa do Mundo

1998, 2018

Eurocopa

1984, 2000

Títulos conquistados

Títulos Mundiais

Competição Títulos Ano
Copa do Mundo 2 1998, 2018
Copa das Confederações 2 2001, 2003

Títulos Continentais

Competição Títulos Temporada
Eurocopa 2 1984, 2000

Outros títulos

Competição Títulos Ano
Jogos Olímpicos 1 1984

História

Índice

Seleção Francesa de Futebol: uma das principais potências mundiais

Seleção Francesa de Futebol em seu primeiro título da Copa do Mundo, em 1998.

A Seleção Francesa, uma das maiores potências do futebol atual, é conhecida por ter grandes craques desde a década de 1980. Atualmente, seu selecionado é multicultural, com jogadores advindo de outros países.

Os Les Bleus (os azuis no idioma francês) conquistaram com sua seleção os títulos mais importantes do futebol mundial ao longo de sua história. Entre essas conquistas estão duas Copas do Mundo, duas Eurocopas, duas Copas das Confederações e uma vez os Jogos Olímpicos. Essas conquistas colocaram os Azuis no seleto grupo de Brasil, Alemanha e Argentina como únicas seleções que venceram essas competições.

A Seleção Francesa de Futebol teve muitos craques desde os primeiros momentos de sua existência. Hoje em dia é uma das mais temidas e respeitadas seleções de todo o mundo. Nomes como Just Fontaine, Raymond Kopa, Jean-Pierre Papin, Éric Cantona, Michel Platini, Didier Deschamps, Thierry Henry e Zinedine Zidane escreveram seus nomes na história do futebol francês e foram grandes estrelas do futebol mundial em suas épocas.

A geração atual, vencedora do mundial de 2018 na Rússia é considerada muito talentosa e conta com grandes craques da atualidade. Assim como os grandes craques das gerações anteriores, muitos jogadores desta equipe serão lembrados como alguns dos maiores da história dos Les Bleus.

Surgimento e as primeiras décadas da Seleção Francesa de Futebol

Escrete francês em jogo contra a Bélgica em 1905.

A primeira partida que reuniu os melhores jogadores da França, registrada pela Federação Francesa de Futebol (FFF), foi em maio de 1904. O jogo foi contra a Bélgica em Bruxelas, e o placar final foi de 3 a 3.

No ano seguinte a Seleção Francesa de Futebol realizou sua primeira partida em casa, diante da Suíça. O jogo em Paris reuniu aproximadamente 500 pessoas e teve a primeira vitória e primeiro gol marcado no solo francês da história do escrete. O gol de Gaston Cyprès foi o único da partida.

Em meio a desentendimentos das organizações que surgiram para tomar conta do futebol na França, o país buscava criar uma forma para disputar os jogos olímpicos. Isso só foi possível após o Comitê Interfederal Francês reconhecer a FIFA como responsável pelo futebol nos jogos seguintes. Depois disso, a instituição transformou-se FFF em 1919.

Copa do Mundo de 1938: França é a sede da 3ª edição do Mundial

A Seleção Francesa de Futebol disputou os primeiros mundiais organizados pela FIFA, mas o começo não saiu como o esperado. Em 1930, após vencer o México na rodada inaugural, derrotas para Argentina e Chile eliminaram os azuis. Em 1934, a eliminação se deu na primeira partida, frente a Áustria. Mesmo assim, os jogadores foram recebidos como heróis no retorno à Paris por 4.000 torcedores.

Na Copa de 1938, o torneio foi disputado em casa e contou com o primeiro negro convocado para defender as cores francesas, Raoul Diagne e realizou sua melhor campanha até então em mundiais.

Os Les Bleus chegaram às quartas de finais do campeonato, que representou a segunda fase da disputa, após vencerem seus rivais belgas, por 3 a 1 na primeira fase. Na fase seguinte, a derrota pelo mesmo placar contra a Itália que posteriormente venceu a Copa daquele ano, acabou com o sonho de vencer o torneio em casa.

Na Copa do Mundo de 1958, os franceses chegam até as semifinais

Depois de não disputar a Copa de 1950 e ser eliminada na primeira fase de 1954, a França chegou à Suécia com um grande elenco para o mundial de 1958. Jogadores como Raymond Kopa e Just Fontaine eram os grandes destaques da equipe que não fez feio na disputa.

Estreou vencendo o Paraguai pelo elástico placar de 7 a 3, mas na partida seguinte foram derrotados por 3 a 2 para a Iugoslávia. Para conseguir chegar a fase seguinte, a vitória por 2 a 1 sobre a Escócia foi o suficiente, e a França chegou novamente às quartas de final do torneio. Nesta fase, venceram facilmente a Irlanda do Norte pelo placar de 4 a 0 e foram pela primeira vez para as semifinais, para enfrentar o Brasil de Pelé e Garrincha.

Na partida decisiva, os franceses liderados pelos gols de Fontaine viram a jovem estrela de 17 anos, Pelé, marcar um Hat-Trick. Assim, a Seleção francesa de Futebol perdeu a oportunidade de disputar o título após um grande jogo frente aos brasileiros. Na decisão de terceiro lugar os Les Bleus não se abateram e conseguiram vencer a Alemanha por 6 a 3, conquistando a melhor colocação em mundiais.

Just Fontaine: primeiro grande craque francês e artilheiro da Copa

A primeira grande estrela do futebol francês, que defendeu com sucesso as cores do país foi com certeza o goleador Just Fontaine. O atacante tinha um faro de gols muito apurado e estava sempre bem posicionado para concluir seus arremates para o fundo das redes.

E assim, Fontaine conseguiu um feito jamais repetido em uma edição de Copa do Mundo, marcou 13 gols na edição de 1958, incluindo 4 gols na mesma partida. Esse feito é  algo raro de ocorrer, principalmente em partidas de alto nível, como a decisão de terceiro lugar desta Copa.

Eurocopa 1960: A França sedia a primeira edição do torneio

A primeira Eurocopa da história foi disputada em 1960 com o apoio da UEFA e o nome de Copa das Nações Europeias até o momento. As fases preliminares foram realizadas com partidas de ida e volta, até as semifinais que foram sediadas na França.

Os anfitriões chegaram à fase decisiva e enfrentaram a Iugoslávia no Parc des Princes em Paris. Foi uma grande partida que terminou com a vitória dos iugoslavos por 5 a 4. Na disputa de terceiro lugar, os Les Bleus foram derrotados novamente, agora para a Tchecoslováquia, pelo placar de 2 a 0, terminando a primeira competição continental na quarta colocação.

 

1970-1980: Seleção Francesa de Futebol começa a obter destaque

Depois de passar pela década de 1960 sem brilho, a Seleção Francesa de Futebol chegou às décadas seguintes em busca de espaço no alto escalão europeu. A equipe não se classificou à Copa do Mundo de 1962 e à Eurocopa de 1964. No mundial de 1966 a campanha foi apagada, configurando a eliminação na fase de grupos do torneio.

O começo da década de 1970 não foi tão fácil. Em meio a muitas mudanças no comando técnico, os Les Bleus não conseguiram se classificar para as Copas de 1970 e 1974 e para a Eurocopa de 1976. Após estes fracassos, o ex-jogador Michel Hidalgo assumiu o cargo de treinador do selecionado francês, e com ele veio a renovação do elenco com ótimos nomes do país no período. O meio campista Michel Platini era o principal deles, ao lado dos defensores Marius Trésor e Maxime Bossis, os meio campistas Jean Tigana, Alain Giresse, Luis Fernández e o atacante Dominique Rocheteau.

Michel Platini começa a brilhar na Seleção Francesa de Futebol

Esta geração teve como sua grande estrela, o craque Michel Platini. O meio campista era muito habilidoso e achava seus companheiros com muita facilidade em campo para executar passes precisos> Sua finalização era impecável , o que lhe rendia muitos gols importantes com a camisa azul de seu país.

O meia atuou por 72 vezes pelos Les Bleus e marcou 41 gols. Foi o principal jogador de sua geração no período de 1976 até 1987 pela Seleção da França profissional. Platini se consolidou no futebol mundial por conta de suas atuações internacionais, onde chegou a duas semifinais de Copa de Mundo e conquistou uma Eurocopa.

Copa do Mundo de 1982: Seleção Francesa termina na 4ª colocação

A Copa de 1982, disputada na Espanha, trouxe a Seleção Francesa de Futebol de volta às primeiras colocações do futebol mundial. Na primeira fase de grupos, passou por pouco ao perder para a Inglaterra, vencer o Kuwait e empatar com a Tchecoslováquia. Na segunda fase de grupos, venceu a Áustria e a Irlanda do Norte para chegar às semifinais contra a Alemanha.

Em um dos maiores jogos da história de todas as Copas, os franceses e os alemães empataram por 3 a 3 e a partida foi decidida nos pênaltis com vitória alemã. A França chegou a abrir 3 a 1 na prorrogação, mas a Alemanha buscou o empate em 6 minutos, frustrando os Les Bleus. A França terminou o mundial em quarto lugar, após ser derrotada pela Polônia na disputa de terceiro lugar.

Eurocopa 1984: França conquista o 1º título de expressão

Seleção Francesa de Futebol conquista seu primeiro título da Euro.

Joie de Michel PLATINI – FRANCE / PORTUGAL – 23.06.1984 – Euro 1984 – foot football – joie largeur

A geração que foi quarta colocada em 1982 na Copa do Mundo, se consolidou no cenário europeu e alcançou um patamar mais alto no continente após este mundial. Com isso, a seleção passou a ser mais temida e respeitada no continente, o que lhe resultou no seu primeiro título de expressão.

Depois de 24 anos sem conseguir disputar a fase final da Eurocopa, a Seleção Francesa de Futebol estava de volta à principal competição de seu continente, e nesta edição, a fase final foi em casa. Na primeira fase, 3 vitórias garantiram os Les Bleus nas semifinais contra Portugal. A vitória de 3 a 2 na prorrogação levou a equipe a primeira final continental, contra a Espanha. Os franceses dominaram a partida no Parc des Princes e venceram por 2 a 0 os espanhóis, para assim vencer seu primeiro título importante, e com Platini grande destaque do torneio, com 9 gols marcados.

Copa do Mundo de 1986: Seleção Francesa termina na 3ª colocação

França vs Brasil nas quartas de finais da Copa do Mundo de 1986.

A Seleção Francesa de Futebol continuou alcançando ótimos resultados na década de 1980, após a conquista da Eurocopa de 1984, a equipe conquistou no mesmo ano o ouro nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. No ano seguinte o troféu Artemio Franchi, precursor da Capa das Confederações.

Com isso, a França chegou à Copa do Mundo de 1986, no México, como uma das favoritas. O escrete francês alcançou novamente as semifinais do mundial após eliminar o Brasil nos pênaltis na fase anterior. Novamente enfrentou a Alemanha nesta fase e acabou eliminada como 4 anos antes, desta vez por 2 a 0. A equipe conquistou o terceiro lugar após bater a Bélgica por 4 a 2 depois da prorrogação. Esta foi a última Copa de Platini com os Les Bleus, e assim o capitão passou o bastão para uma nova geração.

1990: França produz nova geração promissora

A nova geração da Seleção Francesa de Futebol tinha uma grande responsabilidade pela frente, manter os resultados da geração comandada pelo astro Michel Platini. E a nova geração não só manteve bons resultados, como superou em títulos a geração anterior.

Jogadores como Christophe Dugarry, Youri Djorkaeff, Bixente Lizarazu, Laurent Blanc, o capitão Didier Deschamps, Lilian Thuram, Fabián Barthez, Thierry Henry e claro, o maior astro Zinedine Zidane fizeram parte da equipe que conseguiu alcançar os melhores resultados do país.

O primeiro bom resultado que a equipe conseguiu, foi chegar às semifinais da Eurocopa de 1996, disputada na Inglaterra. Depois de ficar em primeiro lugar de seu grupo, os franceses eliminaram a Holanda nas quartas de final nos pênaltis e depois, também nos pênaltis perderam para a República Tcheca. Alcançar as semifinais do torneio, foi o primeiro de muitos bons resultados que a equipe conquistou nos anos seguintes, comandados por Zidane que se consolidou como um dos maiores jogadores da sua geração.

Copa do Mundo 1998: Seleção Francesa finalmente conquista o mundo

Após 60 anos, a Copa do Mundo voltou a ser disputada em solo francês. Desta vez, a equipe da casa era uma das favoritas à conquista do troféu mais importante do futebol, devido seu ótimo elenco que mesclava a experiência de jogadores como Dugarry, Blanc, Marcel Desailly e Deschamps com a juventude de Thierry Henry e David Trezeguet e o talento de jogadores como Patrick Vieira, Emmanuel Petit, Youri Djorkaeff

Zidane era a maior estrela da equipe, e o craque havia se consolidado no futebol italiano atuando pela Juventus de Turim, e foi ele quem teve maior destaque pela equipe na competição. Os Les Bleus passaram pela primeira fase sem maiores dificuldades. Na estreia venceram a África do Sul por 3 a 0, e nas rodadas seguintes venceram a Arábia Saudita e a Dinamarca por 4 a 0, e 2 a 1 respectivamente.

Para as oitavas de final, a equipe não contou com Zidane, por conta de uma suspensão após ser expulso contra a Arábia Saudita, e a equipe sentiu sua falta contra o Paraguai. Os sul-americanos tinham uma defesa muito poderosa e os franceses encontraram muita dificuldade. Os Le Bkues conseguiram a vitória após o Gol de Ouro de Laurent Blanc, aos 9 minutos do segundo tempo da prorrogação.

Nas quartas de final, a Seleção Francesa de Futebol encarou a Itália. A partida foi muito equilibrada e terminou em um empate sem gols, que levou a disputa para os pênaltis. Em uma disputa nervosa, os anfitriões venceram e colocaram novamente o país entre os 4 melhores do planeta.

Semifinal contra zebra e decisão contra o Brasil

Nas semifinais encontraram a sensação do torneio, a Croácia de Davor Suker. Os croatas abriram o placar no início do segundo tempo, mas a França reagiu rápido e com dois gols de Lilian Thuram, a França chegou pela primeira vez a uma final de Copa do Mundo.

A grande final foi cercada de expectativas de um grande jogo, contra o Brasil de Ronaldo, Rivaldo e Taffarel. Mas na prática não foi o que aconteceu, os brasileiros entraram em campo atordoados por conta das convulsões de Ronaldo na concentração no dia da partida, e o que vimos em campo foi a França dominando amplamente a final. Zidane marcou duas vezes de cabeça e Petit fechou o placar em 3 a 0 e o título mundial ficou pela primeira vez com a França.

Escalação da Seleção Francesa 1998

Elenco da França na Copa de 1998.

A equipe campeã do mundo em 1998, comandada pelo treinador Aime Jacquet, contou com o que tinha de melhor em relação aos jogadores do país. O treinador tinha jogadores muito versáteis que possibilitavam muitas alterações táticas ao longo das partidas. No geral, os principais esquemas eram o 4-4-2 e o 4-5-1.

Fabián Barthez foi o goleiro e titular incontestável, mesmo com Bernard Lama no banco e sua baixa estatura para goleiros. Os zagueiros Marcel Desailly e Laurent Blanc, e os laterais Bixent Lizarazu e Lilian Thuram comandaram o sólido sistema defensivo da equipe, que só teve alterações por conta de suspensões diante do torneio.

No meio campo e no ataque, era onde Jacquet realizava as maiores mudanças, Zidane, Deschamps e Djorkaeff saiam pouco da equipe, mas alteravam seu posicionamento em campo para encaixar peças como Patrick Vieira, Emmanuel Petit, Robert Pires e Alain Boghossian. O ataque contava com os jovens Thierry Henry e David Trezeguet, que atuavam conforme a necessidade da equipe. Porém, a  preferência do treinador era Stephane Guivarch e Christophe Dugarry, que atuavam com maior frequência.

Eurocopa 2000: Seleção Francesa de Futebol confirma o favoritismo e é campeã

Título da Euro de 2000.

Os campeões mundiais chegaram para a disputa do Eurocopa de 2000 como os grandes favoritos. O torneio foi disputado em conjunto na Holanda e na Bélgica. Os franceses terminaram a fase de grupos em segundo lugar de seu grupo, após duas vitórias e uma derrota.

Nas fases seguintes eliminaram a Espanha e Portugal para enfrentar a Itália na grande final. A partida foi decidia com o gol de ouro de David Trezeguet, fechando o placar em 2 a 1 que deu o segundo título continental para a França. Zidane foi o grande destaque da equipe no torneio, que também viu a consolidação de Henry e Trezeguet como grandes jogadores. Não houve muitas mudanças no elenco campeão de 1998, a exceção de Sylvain Wiltord convocado para a disputa da Euro.

Copa do Mundo de 2002: França vai de favorita a decepção total

Depois de conquistar os dois campeonatos mais importantes do mundo em sequência, a França chegou ao mundial de 2002, na Coréia do Sul e no Japão, novamente como uma das favoritas ao título. O elenco sofreu algumas mudanças e não contou com o capitão de 1998, Didier Deschamps e o zagueiro Laurent Blanc, por exemplo.

No mundial, a equipe contou com a mesma base que venceu a Copa da Confederações um ano antes, mas a performance foi um fracasso. O escrete francês saiu da Copa sem marcar sequer um gol, e com uma derrota surpreendente conta Senegal na primeira partida. O grande líder e craque da equipe, Zidane, chegou lesionado ao mundial, e só participou da terceira partida na derrota por 2 a 0 contra a Dinamarca.

Copa do Mundo de 2006: Seleção Francesa finalista e o Grand Finale de Zidane

O fracasso em 2002 e a eliminação da Eurocopa de 2004 para a Grécia, fizeram a equipe a mudar o comando técnico, e com isso Raymond Domenech assumiu a seleção. O treinador aproveitou as principais estrelas do país como Zidane, Henry, Thuram, Trezeguet, Barthez e Vieira, e os juntou com jovens promissores como Florent Malouda e Franck Ribery.

O time se encaixou rapidamente e realizou uma ótima campanha que os levou à final da Copa de 2006, na Alemanha. Na primeira fase, os Les Bleus passaram raspando, com dois empates contra Suiça e Coréia do Sul e uma vitória contra Togo, que os habilitaram às oitavas de final contra vizinha Espanha.

Os espanhóis também eram um dos favoritos ao título, mas Zidane assumiu o protagonismo como de praxe na seleção, em seus últimos momentos como jogador profissional, uma vez que declarou antes da disputa que se aposentaria após a Copa. Zizu e os franceses dominaram a Espanha e se classificaram para enfrentar o Brasil nas quartas de final, onde novamente Zidane foi o melhor jogador da equipe na vitória com gol marcado por Henry.

A polêmica cabeçada de Zidane

Nas semifinais, jogo equilibrado contra Portugal e vitória magra por 1 a 0, em pênalti convertido por Zidane, e classificação garantida para a final contra a Itália. Na decisão, logo no início da partida, Zizu abriu o placar com uma cobrança de pênalti batido com enorme categoria, de “cavadinha” ou a lá Panenka, como é conhecida a forma do chute.

A Itália logo empatou o marcador com uma cabeçada potente de Marco Materazzi, e o jogo permaneceu empatado e nervoso até a prorrogação. No tempo extra, os dois autores dos gols se encontraram e trocaram provocações, que levaram Zidane a responder de forma agressiva com uma cabeçada no peito do italiano. O ato, além de ser o último em campo da carreira do craque francês, foi punido com um cartão vermelho. Por isso, o craque não esteve na disputa de pênaltis que deu o título à Itália, após Trezeguet desperdiçar uma cobrança pelos franceses.

Copa do Mundo de 2010: Seleção Francesa de Futebol decepciona de novo

Para o Mundial de 2010, a Seleção Francesa de Futebol sofreu com a renovação do elenco que havia conquistado tudo . Jogadores como Ribery, Malouda, Patrice Evra e Hugo Lloris teriam que assumir o protagonismo da equipe, mas os primeiros resultados não foram bons.

Na África do Sul, os franceses foram eliminados na primeira fase, e novamente com pouco brilho, apesar de contar com  estrelas como Henry, Nicolas Anelka e Eric Abidal. Depois de empatar com o Uruguai, perder para o México e para os anfitriões, os Les Bleus voltaram para casa precocemente.

A classificação para a Copa foi conturbada, e problemas do elenco com a comissão técnica de Domenech influenciaram no desempenho da equipe. Na repescagem das eliminatórias, a classificação francesa veio após Thierry Henry ajeitar a bola com a mão e cruzar para William Gallas marcar na prorrogação contra a Irlanda. Durante o mundial, Anelka se desentendeu com Domenech e causou um grande racha no elenco após sua dispensa da equipe. Isso resultou em um boicote por parte de alguns jogadores no meio da competição, um dos motivos da campanha que fracassou nesta Copa.

Eurocopa 2016: Seleção Francesa de Futebol joga em casa

Seleção Francesa de Futebol perde final da Euro 2016 em casa.

A França se viu novamente em meio a uma renovação no elenco e da comissão técnica, após o fracasso de Domenech em 2010 e na Euro de 2012, sob o comando de Lourent Blanc. Assim, o novo técnico escolhido foi o capitão das conquistas em 1998 e 2000, Didier Deschamps.

Com ele vieram novos jogadores promissores, que alcançaram as quartas de final no mundial de 2014 no Brasil, e foram eliminados pela Alemanha. Karim Benzema estava no elenco de 2014, mas por conta de escândalos envolvendo outros membros da equipe, nunca mais chamado para defender os azuis.

Com isso, na Eurocopa de 2016, disputada em território francês, o principal atacante do país não estava presente, mas a nova geração era muito promissora,.Antoine Griezmann, Paul Pogba, Dimitri Payet, Anthony Martial e Kingsley Coman formaram aquela equipe. Assim, a França passou sem problemas pela fase de grupos e alcançou a final após eliminar Irlanda, Islândia e Alemanha.

Na grande final, os Les Bleus ficaram diante de Portugal de Cristiano Ronaldo. O astro português se contundiu no início da partida e com isso o favoritismo francês aumentou em Saint-Denis no Stade de France. Porém, o favoritismo não foi confirmado, e com um gol na prorrogação de um herói português improvável, Eder, a França decepcionou o público no estádio e os demais franceses com a derrota e o vice-campeonato europeu.

Copa do Mundo de 2018: França é bicampeã contra a zebra Croácia

Apesar do fracasso em casa na Eurocopa de 2016, a Seleção Francesa de Futebol se manteve como uma das maiores favoritas à conquista da Copa do Mundo de 2018 na Rússia. O elenco sofreu algumas alterações em relação a competição de dois anos antes com as saídas de Patrice Evra, Bacary Sagna e Sissoko, e as lesões de alguns jogadores importantes que não puderam ir à Rússia, como Laurent Koscielny e Payet.

O grupo que já era muito talentoso contou com a chegada de jogadores que fizeram a diferença no torneio. Foram eles: Benjamin Pavard, Samuel Umtiti, Djibril Sidibe, Lucas Hernandez, Ngolo Kanté, Thomas Lemar, Ousmane Dembelé e a jovem estrela Kylian Mbappé. Com isso, o forte elenco francês passou pela fase de grupos com vitórias contra Austrália e Peru e um empate contra a Dinamarca.

Jogos difíceis no mata-mata

Nas oitavas de final, encontraram a Argentina, que mesmo com as confusões entre elenco e comissão técnica, foram um adversário dificílimo. Mas, com uma partida histórica do jovem Mbappé, os franceses venceram os sul-americanos em um jogo espetacular por 4 a 3. Nas quartas de final, o Uruguai foi o adversário, que mesmo sem um de seus principais jogadores, Edinson Cavani, fizeram jogo duro contra os Les Bleus. Porém, a Seleção Francesa de Futebol mostrou sua foça e venceu por 2 a 0.

Nas semifinais, a promissora geração da Bélgica buscava se consolidar e confirmar a expectativa criada acerca de seu elenco. Em uma partida muito disputada contra os rivais, a França venceu com um gol de Samuel Umtiti no início do segundo tempo, e a os azuis voltaram à final depois de 12 anos.

A grande final, disputada em Moscou, colocou o adversário das semifinais de 1998 a frente dos franceses. A Croácia chegou a sua primeira final, após disputar prorrogações em todas as fases anteriores. A França dominou a partida e de maneira muito segura, com grande atuação de Pogba, Mbappé, Kanté e Griezmann. O placar de 4 a 1 corou a geração com o bicampeonato mundial.

Seleção Francesa de Futebol em 2018: elenco

Elenco da Seleção Francesa de Futebol vicampeã do mundo em 2018.

O elenco francês, como nas décadas anteriores, era recheado de descendentes de imigrantes. Algo muito comum na França devido a colonização que o país exerceu em alguns países africanos nos séculos XIX e XX.

O país ao longo dos anos ficou conhecido por conta do grande número de imigrantes e parentes de refugiados que fizeram  sucesso pelos azuis. A equipe comandada por Didier Deschamps, que se tornou um membro do seleto grupo de vencedores de Copa do Mundo como jogador e treinador, tinha grande parte dos jogadores de origem de outras nacionalidades.

Entre eles estão: Ngolo Kanté, Paul Pogba, Dembelé, Fekir, Umtiti, Mbappé e Mandanda. Ambos se juntaram a Hugo Lloris, capitão da equipe, Griezmann, Raphael Varane e Olivier Giroud para formar uma equipe quase imbatível, muito habilidosa e veloz.

Deschamps utilizou o esquema 4-3-3 como o principal da equipe. O meio campo além de bom marcador, possuía grande facilidade para armar rapidamente as jogadas, principalmente com Pogba e Kanté. O ataque com Griezmann e Mbappé, era um dos mais rápidos do mundo, e contavam com Giroud de centroavante que mesmo sem marcar muitos gols, ajudava a armar ataques perigosos.

Referencias:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Sele%C3%A7%C3%A3o_Francesa_de_Futebol

https://www.fff.fr/la-fff/organisation/presentation-generale

https://pt.wikipedia.org/wiki/Federa%C3%A7%C3%A3o_Francesa_de_Futebol

https://trivela.com.br/a-selecao-francesa-sempre-foi-feita-por-imigrantes-e-ja-refletiu-diferentes-misturas-no-pais/

https://www.fff.fr/equipes-de-france/1/france-a/matchs/

https://en.wikipedia.org/wiki/France_national_football_team

https://www.fifa.com/worldcup/archive/france1938/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/sweden1958/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/spain1982/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Europeu_de_Futebol_de_1984

https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Europeu_de_Futebol_de_1996

https://www.fifa.com/worldcup/archive/france1998/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Europeu_de_Futebol_de_2000

https://www.fifa.com/worldcup/archive/koreajapan2002/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/germany2006/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/southafrica2010/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Europeu_de_Futebol_de_2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *