Michel Platini

Meio campista
659 Jogos Oficiais
9 Títulos Oficiais
354 Gols Marcados
Michel PlatiniFrança - Joeuf
Nascimento 20 de julho de 1995
Falecimento -
Apelidos O Rei ("Le Roi")
Carreira Início: (1972) Nancy Lorraine
Término: (1987) Juventus
Características Altura: 1,79 m
Destro
Posição / Outras posições Meio-campista
Melhor do Mundo/Bola de ouro

1983, 1984, 1985

UEFA Champions League

Juventus; 1984-85

Mundial de Clubes

1985

Perfil / Estilo do jogador

Com seu estilo de maestro, Michel Platini era capaz de conduzir um meio-campo de maneira refinada. Atuava de cabeça erguida, com visão de jogo para encontrar seus companheiros onde quer que eles estivessem. Ainda que possuísse um porte físico de grande atleta, porém, lhe permitia ter melhor precisão para conduzir suas equipes. A finalização de média e longa distância era um de seus pontos fortes também, situação que fez número impressionante de gols durante a carreira, mesmo não sendo atacante. Além disso, era um exímio batedor de faltas.

Categoria de base

Data Clube    
1966-1972 Joeuf    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1972-1979 Nancy Lorraine 217 127
1979-1982 Saint-Étienne 145 82
1982-1987 Juventus 224 104

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
1976-1987 França 72 41

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Nancy Lorraine Copa da França 1977-78
Saint-Étienne Campeonato Francês 1980-81
Juventus Copa Itália 1983
Juventus Campeonato Italiano 1983-84, 1984-85
Juventus Recopa Europeia 1983-84
Juventus Liga dos Campeões da UEFA 1984-85
Juventus Supercopa da UEFA 1984
Juventus Copa Intercontinental ("Mundial de clubes") 1985

Conquistas pela Seleção

Título Ano
Eurocopa 1984

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Ballon d'Or - melhor jogador do mundo 1983, 1984, 1985 Juventus/seleção francesa
Melhor jogador da Eurocopa 1984 Seleção francesa
Artilheiro da Eurocopa 1984 Seleção francesa
Artilheiro da Liga dos Campeões da UEFA 1984-1985 Juventus
Dream Team da história do Bola de Ouro - 3o lugar - Meio-campista ofensivo 2020 Juventus / Seleção francesa
Melhor time da história da Juventus 2017 Juventus

Desempenho

0,53
Média
Gols por jogo
0,60
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
3
Passe
4
Controle de Bola
4
Drible
4
Velocidade
4
Técnica
5
Finalização
5
Condicionamento Físico
3

Biografia

Michel Platini: Um dos melhores jogadores do Séc. XX?

No dia 21 de junho de 1955, nascia na cidade de Joeuf, localizada na região de Lorraine, na França, Michel François Platini. Ex-jogador francês que fez história no futebol mundial, marcou para sempre o seu nome entre os maiores, ainda mais em um período de grandes craques e camisas 10 como Zico e Diego Maradona.

Filho de imigrantes italianos, Michel Platini começou a sua carreira ainda garoto no Joeuf, em sua cidade natal. Porém, a profissionalização veio no Nancy, em 1973, onde atuou por sete temporadas e já chamava a atenção pelo talento. Mas foi quando se transferiu para o Saint-Étienne, também da França, e onde atuou por três temporada é que sua estrela começou realmente a brilhar. Mas foi na italiana da Juventus onde o meio campista realmente se destacou para se tornar um dos melhores jogadores do mundo, no período. Além de conduzir a seleção francesa para grandes momentos nas principais competições.

Mesmo sendo de uma época em que o futebol era agraciado por grandes talentos, o craque francês esteve sempre com o seu nome nos lugares mais altos da prateleira no período. Acumulou títulos e conquistas por onde passou, se tornando um dos principais jogadores franceses de todos os tempos, até os dias de hoje.

Platini vs Zidane: Qual o melhor jogador francês da história?

Platini ou Zidane, quem foi melhor?

A disputa é muito boa. Michel Platini e Zinedine Zidane foram sem dúvidas os dois maiores jogadores franceses de toda a hsitória. Cada um em sua época e com o seu estilo de jogo. Mas se formos colocar as conquistas que cada um conseguiu encaminhar no seu período na seleção francesa, Zidane teve mais conquistas e levou a França ao lugar mais alto do pódio no futebol mundial.

Como uma carreira brilhante, Zizou iniciou no Cannes e depois no Bordeaux, para brilhar mundialmente na Juventus, no Real Madrid e na Seleção Francesa. Pela França participou de três Copas do Mundo e três Eurocopas,. Foi campeão uma vez em cada uma das competições, além de chegar a outra final de Copa do Mundo. Nos clubes, conquistas que não acabam mais como Champions League e as ligas nacionais, além de muitos prêmios individuais, sendo eleito por três vezes o melhor do mundo.

Por outro lado, Michel Platini tem números parecidos ao de Zidane, porém, sem conquistar nenhuma Copa do Mundo. Participou de três Copas, uma Eurocopa – na qual foi campeão – e um Jogos Olímpicos. Ele também conseguiu sua orelhuda, a taça da Champions League (Europa League na época) atuando pela Juventus. Como premiação individual, o maior destaque foram as três bolas de ouro como o melhor da Europa, lembrando que na época não existia o prêmio de melhor jogador do mundo.

A disputa entre os dois é boa, sendo uma briga no primeiro escalão de craques da história do futebol mundial. Porém, na opinião de muitos Zinedine Zidane leva uma leve uma pequena vantagem por sua conquista de Copa do Mundo, mas Michel Platini não fica muito longe não, e é uma Lenda do Futebol.

Os primeiros passos como jogador

Platini e seus primeiros anos no Joeuf.

Michel Platini começou a ter destaque dentro das quatro linhas aos 11 anos de idade, quando atuava na equipe da sua cidade natal, Joeuf. Ele já demonstrava muita intimidade com a bola. Porém, por possuir problemas respiratórios e também com seu porte físico, normalmente era deixado na reserva da equipe.

Aos 16 anos, jogando pelo sub18 do Joeuf, participou de um duelo contra o Metz, da primeira divisão francesa. O jovem Michel Platino fez uma boa partida e chamou a atenção do clube, mas pelos “problemas físicos” não foi levado a sério e acabou seguindo no Joeuf.

AS Nancy: Michel Platini de casa nova

Aos 17 anos, no ano de 1972, Michel Platini teve a sua primeira grande oportunidade no AS Nancy, equipe da segunda divisão da França. Ganhando espaço aos poucos, na segunda temporada pelo clube já era titular absoluto, e levou o clube ao título e ao acesso para à elite na temporada seguinte, de 1974-1975.

Platini levanta seu primeiro título no profissional.

Pelo AS Nancy, Platini ainda conquistou a Copa da França no ano de 1978. Em sete temporadas no médio clube, foram 217 jogos com a camisa da equipe, onde anotou 127 gols.

1976: Estreia na Seleção Francesa

A primeira convocação de Michel Platini pela Seleção da França aconteceu no ano de 1976, para um amistoso que aconteceria contra a Tchecoslováquia, na cidade de Paris. Na ocasião, Platini pediu a bola para Henri Michel, capitão da Seleção Francesa, prometendo que o destino da bola ia ser o fundo das redes. Dito e feito, a pelota morreu no gol e ajudou a França no empate por 2 a 2, contra a seleção que iria ser futura campeã da Eurocopa daquela mesma temporada. Era só o início de uma grande história que seria escrita com a camisa francesa.

Copa do Mundo 1978: Disputa seu primeiro mundial e é contratado pelo Saint-Étienne

O ano de 1978 ficou marcado na história de Michel Platini. Com apenas 23 anos, recém completados, o meio campista foi convocado para participar da Copa do Mundo que aconteceria na Argentina. Em seu primeiro mundial, de um total de três, a França não teve bom desempenho, sendo eliminado ainda na primeira fase, após cair em grupo complicado.

Perderam para Itália e Argentina, ambos por 2 a 1, e venceram a Hungria por 3 a 1. Com esses resultados, a equipe acabou sendo eliminada, porém, individualmente, Platini foi destacado na competição, inclusive anotando seu primeiro gol em mundiais contra os donos da casa.

Platini diante da Itália na Copa de 78.

Após a Copa do Mundo, em 1979, o meio campista trocou de ares, mas continuou na França. Mudou do Nancy para o Saint-Étienne. Ele já era considerado um dos maiores atletas do seu país, desejado por diversos clubes da Europa, mas optou por ainda permanecer na França e escrever ainda mais a sua história. No novo clube, conquistou sua primeira liga nacional da primeira divisão, o Campeonato Francês de 1980-1981. Lá, permaneceu até o ano de 1982 quando, após fazer uma grande Copa do Mundo, na Espanha, acerta a sua transferência a gigante italiana da Juventus.

No total, pelo Saint-Étienne, Michel Platini atuou por 145 jogos e anotou 82 gols, clube onde atuou por três temporadas.

Copa do Mundo 1982: Michel Platini faz grande competição!

Pode se dizer que o ano de 1982 foi um dos principais ano da mágica carreira de Michel Platini. Ele chegou até a Copa do Mundo da Espanha como um dos maiores nomes da competição, atraindo olhares de todo mundo, e como a principal esperança da seleção francesa. Na estreia, dura derrota por 3 a 1 para a Inglaterra. Mas, ao contrário de quatro anos antes, a França se recuperou e conseguiu a classificação para a próxima fase após empatar com a Tchecoslováquia, e vencer a seleção do Kuwait por 4 a 1, com um gol de Platini.

Platini em semifinal da Copa de 82 contra a Alemanha.

Na segunda fase, guiados por seu maestro, a França eliminou a Irlanda do Norte e a Áustria. Porém, na semifinal, a equipe não resistiu à poderosa seleção da Alemanha. O jogo terminou em 1 a 1 no tempo normal, outro gol de Platini. Mas, na prorrogação, a França chegou a abrir dois gols de diferença e fazer 3 a 1. Porém, toda a tradição alemã em mundiais, provocou um reação incrível. Ele empataram o jogo, e levaram a decisão para as penalidades máximas e, pela primeira vez na história dos mundiais, uma partida acabou decidida nos pênaltis.

Infelizmente para os franceses e para Michel Paltini, deu Alemanha. Na disputa do 3º lugar, a França ainda acabou derrotada para a Polônia, por 3 a 2.

Michel Platini e Juventus: Uma história que deu certo!

Após a Copa do Mundo de 1982, na Espanha, Michel Platini chegou a Juventus de Turim como um dos maiores nomes do futebol no momento, ainda mais num time que era a base da seleção italiana, que havia se sagrado a campeã do mundo. Lá estavam craques como Paolo Rossi, Gentile e Dino Zoft.

O francês demorou um pouco para se adaptar ao estilo do futebol italiano, e não brilhou como o esperado em sua primeira temporada. Mesmo assim, a equipe chegou até a final da Champions League (Europa League), onde foram derrotados para o Hamburgo, da Alemanha. Michel Platini foi o vice artilheiro do clube na competição, com cinco gols. Ao todo, nesta primeira temporada de Juventus foram 28 gols em 48 jogos.

Se no primeiro ano de Juventus faltaram conquistas, os anos seguintes compensaram em muito. Além disso, Michel Platini se consolidou, nesse período, como o principal jogador europeu e um dos melhores do mundo à época.

Em solo italiano, o craque ficou com o bicampeonato do Campeonato Italiano (1983-1984 e 1985-1986), a Copa da Itália (1983), e a Supercopa da Itália (1983-1984). Ainda conquistou com a Juve a tão sonhada Champions League (1984-1985), além da Supercopa da UEFA (1984), e o Campeonato Mundial de Clubes (1985).

Platini levanta a taça da Liga dos Campeões com a Juve.

Na final da principal competição europeia no ano de 1985, contra o Liverpool, o craque francês foi autor do gol do título para a Vechia Signora, em partida realizada na cidade de Bruxelas, na Bélgica. O gol foi marcado na segunda etapa, aos 11 minutos.

Ao todo, em cinco temporadas vestindo a camiseta da Juventus, foram 224 jogos, com 104 gols. Entrando de vez para a história do clube como um de seus principais ídolos e consagrando a camisa 10, que muitos já haviam vestido, e muitos ainda a vestiriam.

Eurocopa 1984: Michel Platini coloca a França no lugar mais alto do pódio

Guiadas pelo camisa 10 e capitão, a França chegou na Eurocopa 1984 como uma das favoritas, além do melhor jogador da Europa no momento. E tudo estava e se mostrava como a favor de acontecer uma grande consagração. Michel Platini e a França iriam atuar dentro de seus domínios, com a torcida toda a favor, tudo para conquistar a Europa pela 1ª vez.

Logo na estreia da Euro, vitória por 1 a 0 sobre a Dinamarca, com gol marcado por Platini. Na 2ª rodada, 5 a 0 sobre a Bélgica, com dois do maestro. para encerrar a primeira fase, 3 a 2 contra a Iugoslávia, com um fantástico hat-trick de Michel Platini. Ele encantava e jogava demais, vivia seu grande auge na carreira e nada o poderia parar.

Na semifinal, contra o selecionado de Portugal, o duelo se mostrou duro, disputado, e com a França perdendo várias oportunidades de gol. Acabou por encerrar em 1 a 1. Na prorrogação, Portugal chegou a fazer 2 a 1 para desespero da torcida da casa, que via o sonho ir por água baixo. Porém, a França conseguiu a histórica virada com gols de Domergue e dele, claro, Michel Platini. O capitão francês anotou o gol da classificação no último minuto de jogo.

Platini acaba com a Espanha

A decisão da Euro 1984 aconteceu no dia 27 de junho, no Estádio Parc des Princes, na cidade de Paris. Contra a forte seleção espanhola , e quase 50 mil torcedores no estádio, o favoritismo era toda da seleção francesa. Seria o primeiro título francês numa Eurocopa, ainda em sua casa?

Gol de PLatini na final da Euro 1984 contra a Espanha.

Em uma partida dura e bem disputada, Michel Platini colocou a França na frente aos 12 minutos da segunda etapa, para a torcida francesa explodir de emoção. E ainda nos acréscimos, Bellone matou o jogo, fechando em 2 a 0 o placar final. Foi a coroação da seleção francesa que era conduzida pelo gênio Michel Platini dentro de campo. Era a França se consolidando como uma das principais seleções da Europa e também do mundo!

Bola de Ouro 83 / 84 / 85: Michel Platini domina a Europa!

Platini eleito 3 vezes Bola de Ouro na Juventus.

Como a primeira cerimônia da escolha de melhor do mundo foi realizada apenas no ano de 1991, quando o alemão Lotthar Mathaus recebeu o prêmio, a Bola de Ouro era a principal premiação no continente europeu. Oferecida pela conceituada revista francesa especializada em futebol France Football, era o prêmio que todos os atletas que atuavam na Europa queriam receber.

E foi nesse contexto que Michel Platini dominou a Europa por três anos consecutivos. Atuando simultaneamente pela Juventus e seleção francesa, o jogador ficou com o tricampeonato da Bola de Ouro nas temporadas de 1983, 1984 e 1985,. Período que viveu o ápice de sua carreira, e quando também havia grande expectativa sobre o Mundial de 1986, se a França conseguiria sua primeira Copa do Mundo. Porém, no México, foi o momento quando ele praticamente passou o bastão de melhor do mundo para um pequeno argentino, que logo seria conhecido como Deus: Diego Armando Maradona.

Apesar da época contar com muitas lendas durante aqueles anos, Platini, a seleção francesa e a Juventus de Turim eram praticamente unanimidade na Europa no período. Era o grande craque da Europa, em seu vigor físico e técnico.

1986: Platini e sua última Copa do Mundo

Michel Platini é uma Lenda do Futebol!

O ano de 1986 ficou marcado como a última busca de Michel Platini por conquista de Copa do Mundo. Era o título que faltava em sua galeria, que certamente o coroaria entre os dez maiores jogadores de todos os tempos –  e o maior da França. Favorita na competição, porém, o camisa 10 chegou não tão bem fisicamente, já que ele chegava com uma lesão no tornozelo. Ainda assim, o capitão guiou a França na vitória por 1 a 0 sobre o Canadá, e sobre a Hungria. por 3 a 0. Fecharam a primeira fase com empate por 1 a 1, contra a URSS.

Nas oitavas de finais, um duelo contra a atual campeã do mundo, a Itália. Com um dos gols de Michel Platini, a França venceu por 2 a 0 a seleção do páis onde era amado. Nas quartas de final, e no dia que completava 31 anos, o adversário era o poderoso Brasil, de Zico e cia. Em partida dominada pelos brasileiros, a França segurou empate no tempo normal, 1 a 1, gol de Platini. A decisão acabou indo para os pênaltis, e o maestro francês acabou desperdiçando sua cobrança, ainda assim a seleção brasileira perdeu duas cobranças e os franceses avançaram para as semifinais.

Alemanha encerra sonho francês

Quem entrava no caminho dos franceses era a poderosa Alemanha, de Karl-Heinz Rummenigge e Lotthar Matthaus. Em seu 3º confronto contra os alemães na carreira, infelizmente para ele e os franceses, a Alemanha venceu pelo placar de 2 a 0 e garantiu vaga na final onde seriam derrotados para a Argentina de Diego Maradona. E infelizmente, também, o futebol não teve a oportunidade de ver numa final de Copa do Mundo, um esperado confronto: Platini x Maradona.

Já na disputa pelo 3º lugar, a França bateu a Bélgica por 4 a 2, garantindo a honrosa terceira colocação para encerrar a participação de um dos maiores jogadores de todos os tempos em Copas do Mundo.

1986 – 1987: Finaliza grandiosa carreira, e passa bastão para Maradona

A temporada de 1986-1987 marcou a aposentadoria dos gramados de Michel Platini. Após conquistar praticamente todos os campeonatos que conquistou, numa Juventus histórica, o meia decidiu pendurar as chuteiras na própria Juventus, após cinco temporadas e com apenas 32 anos.

Dessa forma, e com o Calcio sendo considerado o principal campeonato de futebol do mundo, Platini praticamente passou o bastão para Diego Maradona, que já atuava no Napoli desde 1984. E havia sido campeão do mundo com o selecionado argentino. Sem o francês para “brigar” na Itália, Maradona estava voando baixo e assumiu o posto como destaque no futebol mundial e italiano. Ele ainda rivalizaria com o Milan dos holandeses e um pouco com os alemães na Inter de Milão.

Ao todo em sua carreira, Michel Platini disputou 652 jogos, anotando incríveis 353 gols. Números que podem ser considerados bem melhores do que muitos atacantes na história. Na seleção da França foram 72 jogos e 41 gols, maior artilheiro até então, sendo superado décadas depois pelo fenômeno Thierry Henry.

Michel Platini pós aposentadoria

Logo após pendurar as chuteiras, Michel Platini não conseguiu ficar muito tempo longe do futebol, e acabou assumindo como o técnico da Seleção Francesa. Ele ainda chegou a atuar em uma partida pela seleção do Kuwait, além de também ser um dos nomes fortes da UEFA e depois da FIFA, onde se complicou com diversas acusações de corrupção.

Jogo pela seleção do Kuwait

Em 27 de novembro de 1988, quando Platini já estava aposentado, ele foi convidado para um último jogo, num amistoso internacional entre Kuwait e União Soviética. Atuando durante 21 minutos pela Seleção de Kuwait, ele não impediu a derrota por 2 a 0, mas acabou fazendo história como um dos poucos nomes a vestir a camisa de duas seleções.

Técnico da seleção francesa

Platini esteve a frente da França entre 1988 e 1992.

Quando assumiu o comando técnico da seleção francesa, Michel Platini tinha o respeito de todos por tudo o que conquistou como atleta de futebol. Ele chegava para apagar o incêndio deixado por Henri Michel, que não conseguiu a classificação para a Copa do Mundo de 1990. A França passava por um período de renovação, ainda mais com a aposentadoria de Platini. Essa situação de reconstrução só tomaria um melhor caminho a partir de 1996, quando Zinedine Zidane assumiu como principal nome da seleção dentro de campo.

Sob o comando de Platini, os franceses chegaram a ficar 19 jogos invictos, se classificaram para a Eurocopa de 1992. Porém, o desempenho na competição não foi repetido, empatando com Suécia e Inglaterra, além de derrota para a Dinamarca, e eliminados ainda na primeira fase da Euro-1992. Após isso, Michel Platini decidiu por deixar o comando técnico da seleção.

Michel Platini como dirigente

Platini enquanto presidente da UEFA.

Em 1998, Michel Platini foi o presidente do Comité Organizador da Copa do Mundo da França, período que iniciou sua vida como dirigente. Nove anos mais tarde, chegou a presidência da UEFA, contando com muitos votos das federações dos países europeus mais fracos, que tinham a esperança de uma reformulação.

Atuando como dirigente, o francês foi um dos maiores responsáveis por algumas mudanças nas regras do futebol, como por exemplo na proibição que os goleiros pegassem uma bola recuada pelos pés com as mãos, e também no cartão vermelho em faltas violentas e por trás.

Porém, em 2016 o Tribunal Arbitral do Desporto decidiu afastar Platini de atividades ligadas ao futebol, após um  escândalo que foi descoberto. Ele teria recebido 1,8 milhões de euros no ano de 2011, alegando um trabalho com consultoria de Joseph Blatter, presidente da Fifa, sem nenhum contrato. O francês decidiu assim se demitir do cargo.

Em 2019, Platini chegou a ser detido por suspeita de corrupção, envolvendo as atribuições da Copa do Mundo de 2022, que tem como sede o Catar. Porém, após o interrogatório acabou liberado. Atualmente ele não trabalha mais com o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *