Paolo Rossi

Atacante
299 Jogos Oficiais
7 Títulos Oficiais
123 Gols Marcados
Paolo Rossi é uma lenda do Futebol.
Paolo RossiItália - Prato
Nascimento 22 de setembro de 1956
Falecimento 09/12/2020
Apelidos Pablito / Il Bambino d'Oro
Carreira Início: Juventus (1973)
Término: Hellas Verona (1987)
Características Alteura: 1,77m
Destro
Posição / Outras posições Atacante
Copa do Mundo

1982

UEFA Champions League

1985

Melhor do Mundo/Bola de ouro

1982

Perfil / Estilo do jogador

Paolo Rossi foi um jogador que inspirou uma geração inteira de centroavantes italianos. Com  as características mais conhecidas e necessárias para ser a referência de ataque, compensando seu porte franzino, era um jogador rápido, ágil e como excelente oportunismo dentro da área. O bom posicionamento entre os defensores, além de um ótimo cabeceio foram características que ficaram conhecidas, inclusive em sua partida mais famosa, quando anotou três gols contra o Brasil, de Zico, na Copa do Mundo de 1982.

Categoria de base

Data Clube    
1961-1967 Santa Lucia    
1967-1968 Ambrosiana    
1968-1972 Cattolica Virtus    
1972-1973 Juventus    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1973-1975 Juvetus 0 0
1975-1976 Como 6 0
1976-1979 Lanerossi Vicenza 94 60
1979-1980 Perugia 28 13
1981-1985 Juventus 83 24
1985-1986 Milan 20 2
1986-1987 Hellas Verona 20 4

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
1977-1986 Italia 48 20

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Vicenza Campeonato Italiano Série B 1977
Juventus Campeonato Italiano 1982 e 1984
Juventus Copa Itália 1983
Juventus Recopa Europeia 1984
Juventus Supercopa Europeia 1984
Juventus Copa dos Campeões 1985

Conquistas pela Seleção

Título Ano
Copa do Mundo 1982

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Artilheiro do Campeonato Italiano (Serie A) 1977-1978 Vicenza
Artilheiro do Campeonato Italiano (Serie B) 1976-1977 Vicenza
Bola de Ouro 1982 Itália
Melhor jogador da Copa do Mundo de 1982 1982 Itália
Artilheiro da Copa do Mundo de 1982 1982 Itália

Desempenho

0,41
Média
Gols por jogo
0,50
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
3
Passe
3
Controle de Bola
3
Drible
3
Velocidade
4
Técnica
4
Finalização
4
Condicionamento Físico
3
Fundamentos Defensivos
2

Biografia

Paolo Rossi: da Copa do Mundo de 1982 para a história

Paolo Rossi foi campeão do mundo na Itália em 1982.

Paolo Rossi, nascido em 23 de setembro de 1956 (falecido em 09 de dezembro de 2020), foi um jogador que inspirou uma geração de centroavantes italianos. Com  as características mais conhecidas e necessárias para ser o camisa 9 (também ficou conhecido por utilizar a 20), era um jogador rápido, ágil e como excelente oportunismo dentro da área. O bom posicionamento entre os defensores, além de um ótimo cabeceio, são algumas das características que ficaram conhecidas, inclusive em sua partida mais famosa, quando anotou três gols contra o Brasil na Copa do Mundo de 1982.

Mas Rossi não tinha apenas as habilidades clássicas de um homem de área. Possuía também dribles curtos desconcertantes, domínio de bola e velocidade suficiente para puxar contra-ataques.

Conhecido como o carrasco do Brasil na Copa do Mundo de 1982, Paolo Rossi presenteou os torcedores da Squadra Azzurra com o tricampeonato mundial, sendo o grande destaque da competição. Ele se destacou mundialmente ao anotar o hat-trick contra a seleção de Zico, Sócrates e Telê Santana que, até o momento, encantava o mundo com um futebol envolvente e ofensivo.

Esse acontecimento fez com que a carreira de Paolo Rossi desse a volta por cima e lhe garantisse o prêmio Ballon d’Or (Bola de Ouro), como o melhor jogador do mundo naquele ano.

Após a Copa de 1982, Paolo Rossi teve o seu melhor momento na carreira em clubes, atuando com a camisa da Juventus de Turim, onde conquistou a Taça dos Campeões da Europa, a Recopa Europeia, a Supercopa Europeia, além de dois campeonatos italianos e uma Copa Itália.

Com um porte físico nada vantajoso na luta contra fortes zagueiros, com seu corpo franzino de 1,74m, as lesões atrapalharam muito sua carreira profissional. Sem ter o mesmo rendimento de antes, passou pelo Milan no ano de 1985, mas sem muito brilho. Na Copa de 1986, Paolo Rossi foi convocado, mas acabou nem entrando em em campo, já que estava sem condições de jogo.

Pouco depois, em 1987, Paolo Rossi encerra sua carreira atuando pelo Hellas Verona.

1966 – 1973 – Primeiros anos de carreira de Paolo Rossi

Nascido em 1956, Paolo Rossi passou os primeiros anos de sua vida na província de Prato, na região da Toscana, mais precisamente no povoado de Santa Lúcia. Prestes a completar 9 anos de idade, o jovem atleta ingressou no clube que levava o nome do local onde nasceu, o Santa Lucia Calcio.

Junto com Paolo Rossi, seu irmão Rossano Rossi também ingressou no futebol para tentar sorte no pequeno Santa Lucia. Em seguida, os dois jogaram pelo Ambrosiana, time da região da Toscana. Ambos eram incentivados por seus pais, Vittorio Rossi e Amélia Rossi. Inclusive, o pai de Paolo e Rossano é quem dá nome ao campo do Santa Lucia, tamanha importância que teve ao longo da vida no clube em que viria a revelar o filho mais famoso.

Os caminhos de Paolo Rossi e seu irmão acabaram se separando. Rossano Rossi foi para as categorias de base da Juventus, enquanto Paolo permaneceu na Toscana, se transferindo para o Cattolica Virtus, de Florença, em 1967.

1973 1977 – De garoto a destaque na Itália: A estreia de Paolo Rossi como profissional 

Em 1973, Paolo Rossi chega para jogar na Juventus aos 17 anos de idade, onde passou a atuar nas categorias de base da equipe. Naquele mesmo ano recebeu a oportunidade de estrear na equipe principal da Vecchia Senhora, porém fazia parte do elenco sub-17. Depois,  passou a fazer parte do sub-19 da Juventus, até ser emprestado para o Calcio Como.

Na equipe do Como, foram apenas seis partidas disputadas por Paolo Rossi e nenhum gol marcado. Em 1976, o atacante retorna para a Juventus após o fim do empréstimo no Como. Mas em seguida, mais uma vez, é emprestado, dessa vez para o Vicenza, outra equipe pequena da Itália.

Paolo Rossi no Vicenza.

Na temporada 1976-77, Paolo Rossi é o destaque na Série B do Campeonato Italiano com a camisa do Vicenza. A química com o clube foi tão boa que, além de ser campeão e garantir vaga para a Série A do Italiano, Rossi foi o artilheiro da competição. Após a primeira temporada de destaque em sua trajetória profissional, não demorou e no ano seguinte Paolo Rossi é convocado pela primeira vez para a seleção italiana para jogar um amistoso contra a Bélgica.

1978 – Paolo Rossi disputa sua primeira Copa do Mundo

A temporada de 1977-1978 de Paolo Rossi impressionou ainda mais a torcida do Vicenza. O jogador se tornou mais uma vez artilheiro com a equipe, mas desta vez na primeira divisão italiana. Além desse feito, a equipe do Vicenza foi vice-campeã italiana, ficando atrás apenas da Juventus. Enorme feito para um clube que acabara de subir da segunda divisão.

Com o desempenho brilhante de Paolo Rossi por dois anos consecutivos, em 1977 e 1978, sua convocação para a seleção para jogar a Copa do Mundo de 1978 se tornou natural.

Copa do Mundo de 1978

Paolo Rossi na Copa da Argentina, 1978.

Ainda em 1978, Paolo Rossi estreou em uma Copa do Mundo com a seleção italiana. O primeiro jogo da seleção Azurra naquele mundial, que aconteceu na Argentina, em plena Ditadura Militar , foi contra a França. E, logo na estreia, Paolo Rossi não deixou barato e já deixou o seu pela primeira vez com a camisa da Azzurra. O atacante ainda repetiu o feito contra a Hungria, na segunda partida do Mundial, em vitória da Itália por 3 a 1.

Na segunda fase da Copa do Mundo, que ainda possui outra fase de grupos, a Itália empatou contra a Alemanha sem gols e derrotou a Áustria por 1 a 0, com outro gol de Paolo Rossi que, a cada rodada, agora encantava o mundo com seu faro de artilheiro. No ultimo jogo desse grupo, a seleção italiana perdeu para Holanda e disputou o terceiro lugar da Copa contra o Brasil, conta quem acabou sendo derrotada novamente. Rossi acabou recebendo o prêmio de segundo melhor jogador da Copa do Mundo.

Mas ainda assim, a estreia de Rossi em mundiais foi muito positiva e a Itália já demonstrava grandes esperanças do que estaria por vir nos anos seguintes. Porém, muitas polêmica estariam a frente dos anos que se seguiriam na carreira de Paolo Rossi.

1979-1980 – Passagem pelo Perugia e polêmicas

A despedida de Paolo Rossi com a camisa do Vicenza não foi como ele esperava. Apesar de marcar 15 gols na temporada 1978-1979, o atacante não conseguiu evitar o rebaixamento da equipe Biancorossi (Alvi-rubros). Dessa forma, Rossi acabou sendo emprestado para o Perugia, vice-campeão italiano daquela mesma temporada.

A temporada de 1979-1980 pelo Perugia não foi das melhores, já que a equipe caiu na fase dezesseis avos de final da Copa da Uefa e ficou em décimo lugar no campeonato italiano. Mas mesmo assim Paolo Rossi ficou entre os artilheiros da competição.

Ao final daquela temporada, Paolo Rossi se viu envolto em polêmicas. O atacante foi acusado de participar de um esquema de manipulação de resultados em que favorecia casas de apostas, num caso ficou conhecido como Totonero. Por causa disso, Rossi foi condenado a ficar três temporadas longe do futebol. Posteriormente, sua pena foi reduzida para dois anos.

1982 – Paolo Rossi volta a atuar pela seleção italiana

Longe dos gramados por dois anos por causa do escândalo de Totonero, Paolo Rossi deixou de jogar a Eurocopa de 1980 pela seleção italiana, e que foi realizada na própria Itália. A seleção terminou a competição na terceira colocação, vencendo a antiga Tchecoslováquia nos pênaltis. Com a suspensão, Rossi ainda perdeu as eliminatórias para Copa do Mundo de 1982, em que os italianos conquistaram a classificação ao ficar na segunda colocação de seu grupo.

Paolo Rossi voltou a campo com a camisa da seleção italiana apenas em amistoso contra a seleção da Suíça, na última partida antes da estréia na Copa do Mundo de 1982. Os italianos empataram em 1 a 1.

Paolo Rossi voltou a seleção italiana.

E assim como os melhores roteiros, dos melhores filmes, a Copa do Mundo de 1982, na Espanha, seria o palco onde Rossi teria a redenção na carreira, e que entraria definitivamente para a galeria das Lendas entre os maiores jogadores de todos os tempos.

Copa do Mundo de 1982: A volta por cima de Paolo Rossi!

Seleção italiana em 1982.

A seleção italiana estreou no grupo A contra a Polônia na Copa de 1982. Não só Paolo Rossi, mas todos os jogadores passaram em branco naquela partida, pois o duelo acabou em 0 a 0. O segundo jogo dos italianos foi contra o Peru, em mais um empate, dessa vez com gols, terminando em 1 a 1, mais uma vez sem gol de Paolo Rossi. No terceiro confronto, a Itália estava pressionada para garantir um resultado positivo contra Camarões e até conseguiu abrir o placar com gol de Graziani na metade do segundo tempo, mas um minuto depois, os camaroneses empataram o jogo.

Mesmo com o empate, a seleção italiana conseguiu se classificar para a segunda fase, que funcionava com três equipes em cada grupo. A Itália caiu no grupo 1, junto com Brasil e Argentina, sendo ambas as seleções sul-americanas favoritas no torneio. O Brasil de Telê Santana  jogava o futebol mais vistoso do mundo. A Argentina, de Maradona, era atual campeã do mundial. Apenas uma dessas seleções se classificaria para a semifinal.

Contra os argentinos, a Itália conseguiu marcar pela primeira vez dois gols em uma mesma partida naquela Copa, com Tardelli e Cabrini, a partida terminou em 2 a 1. A Azzurra de Dino Zoff, Paolo Rossi, Conti, entre outros, tinha um duelo considerado ainda mais difícil, dessa vez contra o Brasil.

A tragédia do Sarriá: Paolo Rossi vs Brasil

Sem marcar nenhum gol naquela Copa até aquele momento, Paolo Rossi vinha sendo bastante criticado, a pressão aumentou ainda mais no duelo contra a seleção brasileira. Um empate garantia a classificação do Brasil, que havia vencido a Argentina por 3 a 1. A seleção canarinho tinha grandes jogadores como Sócrates, Zico, Falcão, Junior, Leandro, entre outros.

O duelo disputado no Estádio do Sarriá, em Barcelona, começou agitado, logo nos cinco primeiros minutos, Paolo Rossi abriu o placar. Sete minutos depois, Sócrates tratou de empatar para o Brasil. Mas aquele parecia ser mesmo o dia de Paolo Rossi, que aos 25 minutos fez o segundo da Itália.

Aos 23 minutos do segundo, Falcão empatou para a seleção canarinho. Mas Rossi marcou o seu terceiro gol no jogo aos 29 minutos do segundo tempo, garantindo a vitória para a Itália e a vaga para semifinal da Copa do Mundo de 1982. A Itália havia superado as duas seleções favoritas!

Redenção de Rossi: Itália é a campeã do mundo

Itália é campeã do mundo!

Na semifinal, a Itália reencontrou a Polônia e dessa vez o resultado foi diferente, já que os italianos venceram o confronto por 2 a 0, com dois gols de Paolo Rossi, que realmente se empolgou na reta final daquela Copa.

Parecia que os duelos difíceis anteriores durante aquela Copa ensinaram a seleção italiana a conviver sob pressão. Assim,  a grande final foi o jogo mais tranquilo da Azzurra, com uma vitória por 3 a 1 em cima da Alemanha Ocidental. Naquela partida, Paolo Rossi marcou um gol, enquanto Tardelli e Altobelli marcaram os outros dois. A Itália comandada por Enzo Bearzot conquistava o seu terceiro título mundial.

1982: Rossi ainda conquista o Ballon d’Or

Rossi recebeu a Bola de Ouro em 1982.

A grande atuação na Copa de 1982 não passou despercebida. Paolo Rossi foi o artilheiro, melhor jogador e campeão, sendo o único jogador a conquistar esse feito numa mesma edição da competição.

Essas conquistas deram a Paolo Rossi o prêmio de melhor jogador do mundo, o Ballon d’Or, a Bola de Ouro. Premiação dada pela revista France Football. Rossi deixou para trás o francês Alain Giresse do Bordeaux e seu companheiro de equipe, o polonês Zbigniew Boniek. Paolo Rossi foi o terceiro jogador italiano da história a se tornar o melhor do mundo em uma temporada. Ele também foi eleito o melhor jogador da Europa pela revista francesa Onze Mondial.

1982 – No retorno a Juventus, Paolo Rossi ganha tudo

Rossi voltou a Juventus.

Mesmo longe dos gramados por causa do escândalo de Totonero, Paolo Rossi foi contratado pela Juventus em 1981. Na verdade, Rossi foi recomprado do Vicenza, ao qual havia sido vendido pela mesma Juventus em 1978 por valor recorde no mundo.

Enquanto aguardava o fim da suspensão, o jogador treinou em separado, antes de reestrear com a camisa da Velha Senhora.

Após dois anos sem jogar, Paolo Rossi volta aos gramados com a camisa da Juventus em maio de 1982. Dessa vez, já voltava como jogador maduro para marcar sua história no clube em que estreou como profissional. Na sua reestreia pela Juve, Rossi deixou a sua marca contra a Udinese, marcando um gol.

Nas temporadas após o retorno à Juventus, Paolo Rossi teve uma passagem bastante vitoriosa. Contando com companheiros bastante notáveis,  Rossi conquistou o titulo do campeonato italiano da temporada 1981-82, mesmo tendo jogado apenas as ultimas partidas da competição.

Na temporada seguinte, 1982-83, Rossi conquistou com a Juve, o titulo da Copa Itália.

Em sua terceira temporada, 1983-84, teve o resultado mais positivo com a Juventus. Nesta temporada, a Velha Senhora conquistou a Recopa Europeia, competição que reunia os campeões da taça nacional de cada país. No mesmo ano, o clube voltou a vencer o campeonato italiano. O revés mais sofrido na temporada foi  ter batido na trave contra o Hamburgo na grande final da Taça dos Campões (Equivalente à atual Champions League), com derrota por 1 a 0, em jogo realizado na Grécia.

Juventus formou um grande time.

Após o vice contra o Hamburgo, na sua quarta e última temporada, 1984-1985, o time comandado por Giovanni Trapattoni e com as estrelas Michel Platini, Boniek, Tardelli, Cabrini e Paolo Rossi, conseguiu pela primeira vez conquistar o titulo da Taça dos Campões. Platini marcou o único gol da decisão contra o Liverpool, na Bélgica. Ainda no mesmo ano, a Velha Senhora mostrou toda a sua força e voltou a vencer os ingleses do Liverpool e conquistou o titulo da Supertaça Europeia.

1985 – 1986 – No Milan e Hellas Verona, Paolo Rossi encerra a carreira em baixa

Rossi atuou no Milan.

Após uma grande passagem pela Juventus, com 44 gols marcados em 144 jogos, Paolo Rossi se transferiu para o Milan em 1985. Tanto o jogador, quanto a equipe, não viviam um bom momento, com Rossi sofrendo com constantes lesões.

Pelo Milan, Paolo Rossi não conquistou nenhum título, jogou 26 jogos e marcou apenas 3 gols. Após a Copa do Mundo de 1986, competição em que sequer entrou em campo, Rossi deixa o Milan.

Na temporada seguinte, em 1986, Paolo Rossi acerta com o Hellas Verona.  Pelo time de Verona, em sua última temporada, marcou apenas 7 gols em 27 jogos. Atormentado com as lesões, que continuaram atrapalhando sua carreira,  Rossi encerrou a carreira em julho de 1987, com apenas 30 anos de idade.

Pós-aposentadoria de Paolo Rossi

Após encerrar a carreira como jogador, Paolo Rossi se tornou comentarista esportivo na Itália nos canais Sky Sports e Rai. Por sua tamanha importância no futebol, Rossi foi eleito presidente honorário de Prato, a cidade onde nasceu, além de ter sido embaixador das Nações Unidas para profissionais do futebol contra a fome.

Fora dos holofotes, Rossi produzia vinho e azeite de oliva em sua farmácia e dirigiu uma imobiliária. Constantemente, o jogador é lembrado pelo grande feito contra o Brasil, tendo dado diversas entrevistas comentando sobre o assunto, inclusive para a imprensa brasileira.

A Itália chora com o falecimento de Paolo Rossi

No dia 9 de dezembro de 2020,  Paolo Rossi faleceu vítima de um mal súbito, causado por um câncer no pulmão, doença que o ex-jogador enfrentava há algum tempo. 

Rossi estava internado no hospital Santa Maria alle Scotte, em Siena. Após o seu falecimento, seu corpo foi levado para Vicenza, para um funeral público no Estádio Municipal Romeo Menti, onde o jogador fez muito sucesso atuando pela equipe da Lanerossi Vicenza. O funeral para amigos e familiares foi realizado na catedral da cidade.

Em sua cidade natal, Prato, discute-se a possibilidade de mudar o nome do estádio do time local para Paolo Rossi, como forma de homenagear o grande jogador que a cidade deu para a Itália.

 

REFERÊNCIAS:

https://calciopedia.com.br/

https://www.lanazione.it/

https://www.transfermarkt.com/

https://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/video/classic-players-paolo-rossi-1274412.ghtml

https://www.terra.com.br/esportes/cidade-quer-mudar-nome-de-estadio-para-paolo-rossi-diz-jornal,dd825184f864f85be33e0045c4b66806l7k8euys.html

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *