Inglaterra

1 Títulos Oficiais
Seleç
Seleção Inglesa
Principais rivais Alemanha / Argentina / País de Gales / Irlanda
Apelidos English Team
Mascote Leão
Copa do Mundo

1966

Títulos conquistados

Títulos Mundiais

Competição Títulos Ano
Copa do Mundo 1 1966

História

Seleção Inglesa de Futebol: enorme tradição

Seleção Inglesa de Futebol uma das mais históricas.

A Seleção Inglesa de Futebol, é uma das mais tradicionais  do planeta, foi uma das primeiras a reunir seus principais jogadores na história deste esporte. Ao longo dos anos muitos grandes jogadores vestiram a camisa da seleção inglesa de futebol e ajudaram a escrever a história do escrete, mesmo com poucos resultados expressivos desde seus primeiros jogos.

Os primeiros registros sobre a história do futebol vêm da Inglaterra. O país se orgulha por ter inventado o esporte que se tornou o mais popular do planeta. Foi a partir da segunda metade do século 19 que o futebol começou a se consolidar e a ser disputado a partir da fundação de clubes que até hoje perduram e da FA (Associação de Futebol do país), em 1863.

Apesar de toda esta história, e de ser o primeiro país onde o futebol se difundiu, a seleção local nunca obteve muitos resultados expressivos que acompanham sua tradição no esporte. Seu único título importante foi a Copa do Mundo de 1966 disputada em casa, após uma final polêmica diante da Alemanha. O English Team nunca disputou uma final de Eurocopa, e seu melhor resultado no continente foi alcançar a semifinais em duas oportunidades apenas.

Surgimento e as primeiras décadas da Seleção Inglesa

Seleção Inglesa de Futebol em seus primórdios.

O crescimento da modalidade na Inglaterra e nos países vizinhos, levou os clubes e integrantes das equipes a criarem uma instituição para administrar os campeonatos. Assim, em 26 de outubro de 1863, os capitães secretários e outros representantes de uma dúzia de equipes criaram a FA (Footbal Association), com o objetivo de regular e criar um código de regras para as disputas futuras do jogo.

Esta é a primeira entidade voltada para o futebol que foi criada na história, e com ela as primeiras competições que atraíam grandes públicos. As disputas entre clubes escoceses e ingleses incentivaram a FA a promover uma partida entre os melhores jogadores de cada país.

Primeiros jogos da Seleção Inglesa de Futebol

A primeira partida entre eles não é considerada oficial, e foi vencida pelos ingleses por 1 a 0 em 2 de novembro de 1870. Dois anos mais tarde, em 30 de novembro de 1872, os dois países voltaram a se enfrentar com o aval do Queens Park Club da Escócia que concordou em organizar o primeiro encontro oficial dos países no futebol. E para um público de 4.000 pessoas, incluindo muitas mulheres, a partida terminou em 0 a 0 em um campo de críquete na Escócia.

Anos mais tarde, em 1884 os países pertencentes ao Reino Unido passaram a organizar uma competição entre eles, a Home Championship. O torneio durou um século e contava com País de Gales, Escócia, Irlanda e a Inglaterra, que ganhou o torneio em 54 oportunidades, confirmando a hegemonia de seu futebol nas ilhas britânicas.

A Seleção Inglesa de Futebol poderia ter colocado toda sua força a prova com a criação da Copa do Mundo pela FIFA a partir de 1930. Porém, por conta de problemas burocráticos envolvendo o atraso no pagamento de jogadores amadores pela FA, levaram a entidade a romper com a Federação Internacional, onde os ingleses não disputaram as primeiras 3 edições de Copa.

Em toda sua história a Seleção Inglesa de Futebol colecionou rivais em competições importantes. Começou com os vizinhos escoceses e se espalhou com os outros integrantes das ilhas britânicas, como Irlanda e País de Gales. Em mundiais consolidou a rivalidade com os alemães, inclusive com a disputa de uma final vencida pelos ingleses em 1966 e com a Argentina, grande pedra no sapato dos ingleses.

1923 – Estádio de Wembley: nascimento de um dos mais emblemáticos estádios do mundo

Mítico Estádio do Wembley, na Inglaterra.

A Seleção Inglesa de Futebol não possuía uma casa que remetesse a sua grandeza no início de suas disputas. As primeiras partidas da equipe eram disputas em um campo de críquete conhecido como The Oval, que existe até hoje e foi modernizado recentemente.

A partir de 1921, o bairro de Wembley, no subúrbio de Londres, ganhou importância no país pois abrigaria a Exposição do Império Britânico, e com isso um estádio seria construído para o evento. A FA logo soube da construção e assinou um contrato para sediar a final da FA Cup nos próximos 21 anos. A construção terminou em 1923 e passou a ser a casa do escrete inglês nos anos que sucederam.

O estádio é conhecido como um dos maiores templos do futebol mundial, na sua versão original, inaugurada em 1923 até sua nova versão após a demolição nos anos 2000, onde foi modernizado. Na inauguração, apenas 300 dias após o início das obras, o campo recebeu 127 mil torcedores na primeira final de FA Cup no local. No ano 2003 o estádio foi demolido para a reconstrução de uma nova arena modernizada e sustentável, reinaugurada em 2007.

O estádio é famoso por abrigar os jogos da seleção local e por disputas importantes de clubes do país, como as finais da FA Cup, Copa da Liga e playoffs de ligas de acesso e amadoras. Além disso, Wembley ficou famoso por shows inesquecíveis de grandes artistas britânicos e de ouros países. Um dos principais marcos foi a realização do Live Aid em 1985 com diversos concertos das maiores bandas e artistas da época.

Década de 1930 – Seleção Inglesa jogando contra a Alemanha de Hitler e Itália de Mussolini

Seleção Inglesa de Futebol em jogo contra a Alemanha em 1938.

O English Team é conhecido por muitos confrontos históricos ao longo da história do selecionado. Dois dos primeiros embates mais famosos foram contra seleções utilizadas como ferramentas políticas para promover regimes autoritários, como contra a seleção italiana e seleção alemã na década de 1930.

Em 1934 os atuais campeões mundiais, a Itália, foram convidados para a disputa de um amistoso em Londres, no estádio de Highbury do clube da cidade Arsenal. A partida conhecida como “Batalha de Highbury” foi considerada a “verdadeira” final do mundial devido a força de ambas as equipes e por conta de os ingleses não terem disputado o torneio. O ditador italiano ofereceu um carro Alfa Romeo para cada italiano em caso de vitória, mas a vitória foi inglesa pelo placar de 3 a 2.

Em 1938, o primeiro jogo contra a Alemanha em Berlim teve um contexto muito político. O governo nazista comandado por Adolf Hitler utilizou a partida como propaganda do regime autoritário do país. Antes do pontapé inicial, um dirigente informou que os ingleses deveriam fazer a saudação nazista antes da bola rolar. Alguns jogadores ficaram muito nervosos com a exigência do governo da Alemanha e não o fariam, mas um oficial da FA informou que a situação entre os dois países era delicada e que os atletas teriam que fazer a saudação.

Stan Cullis se recusou a fazer e foi retirado do time, em uma partida que contou com Hermann Göring e Joseph Goebbels nas arquibancadas com mais de 110 mil pessoas e vitória inglesa por 6 a 3.

Sir Stanley Mathews: a primeira e uma das maiores lendas do futebol inglês

O primeiro grande nome da Seleção Inglesa de Futebol foi Sir Stanley Mathews, um jogador que teve uma carreira longeva e disputou partidas muito importantes pelo English Team. Começou sua trajetória na seleção em 1934 e participou da Batalha de Highbury onde marcou um gol contra a campeã mundial Itália.

Fez parte do elenco que disputou a primeira Copa do Mundo pela Inglaterra em 1950 e posteriormente em 1954. Participou da campanha que classificou sua seleção ao mundial de 1958, mas apesar da pressão da imprensa não foi incluído no elenco que disputou a competição. Se tornou o jogador mais velho a defender o escrete inglês com 42 anos e 104 dias e em 1956 venceu a primeira premiação da Bola de Ouro da France Football.

Copa do Mundo de 1950: Seleção Inglesa finalmente disputa uma Copa

O ano de 1950 ficou marcado pela Copa do Mundo disputada no Brasil. Foi a primeira vez que os ingleses disputaram o torneio, e não realizaram uma boa campanha. Apesar de iniciarem com vitória sobre o Chile por 2 a 0, o English Team foi derrotado pelos Estados Unidos no jogo seguinte por 1 a 0, tirando as chances de classificação à próxima fase. A derrota foi considerada embaraçosa para um país sem muito histórico no esporte, e na última partida, nova derrota para a Espanha.

Apesar da não classificação para a fase decisiva da Copa, a equipe contava com grandes jogadores da época, como Stanley Mathews, Tom Finney e Stan Mortensen. O resultado contra os americanos foi uma surpresa para todos, visto que o futebol deles era praticamente amador e os ingleses profissionais em seu país.

Copa do Mundo de 1966: Seleção Inglesa é campeã em casa

Único grande título da Seleção Inglesa de Futebol: Copa do Mundo de 1966.

Para a Copa do Mundo de 1966, a Seleção Inglesa de Futebol tinha um elenco com muitos jogadores promissores e consolidados em seus clubes. Isso porque a equipe não podia fazer feio na competição disputada na própria Inglaterra, comandados pelo defensor Bobby Moore, capitão do time, Bobby Charlton ligando o meio campo ao ataque, Gordon Banks fechando o gol e se consagrando como um dos maiores goleiros da história, além dos gols decisivos de Geoffy Hurst.

A jornada rumo ao inédito título começou com um empate sem gols frente a forte Seleção Uruguaia em Wembley. Nas partidas seguintes, vitórias por 2 a 0 sobre México E os rivais locais França. Estes resultados habilitaram o English Team para disputarem a próxima fase.

Nas quartas de final embate contra a Argentina, o gol de Geoff Hurst na parte final da partida levou os ingleses a uma inédita semifinal, contra Portugal de Eusébio. Bobby Charlton definiu o confronto com 2 gols, e ainda viu Eusébio descontar o placar, mas era tarde, e os donos da casa chegaram a uma também inédita decisão de Copa do Mundo.

Grande final contra a Alemanha

A final contra a Alemanha é uma das maiores partidas da história dos mundiais. Antes da partida começar, uma forte chuva encharcou o gramado de Wembley e após o trabalho dos funcionários do estádio e da organização da partida, foi possível que a bola rolasse sem maiores problemas.

Os alemães abriram o placar no começo da partida, aos 12 minutos com Helmut Haller, mas Hurst empatou logo em seguida aos 18. No segundo tempo, Martin Peters virou para os ingleses, que viram de perto a taça chegando para suas mãos, mas aos 44 minutos do segundo tempo, Wolfgang Weber empatou novamente o marcador, levando a final para a prorrogação.

No tempo extra veio ocorreu uma das maiores polêmicas da história do torneio. Após chute de longa distância de Hurst, a bola bateu no travessão e quicou próxima a linha de gol. Após muita discussão de ambas as equipes a arbitragem deu gol para os ingleses. As imagens não dão certeza de que a bola entrou realmente, mas o tento foi confirmado. No último minuto da prorrogação Hurst fez mais fechando seu Hat-Trick e o placar em 4 a 2 e título em casa para a Seleção Inglesa de Futebol.

1970-1990: Seleção Inglesa de futebol passa por período ruim

O período que sucedeu a maior conquista do English Team não foi muito bom para os torcedores ingleses. Apesar de ter chegado à semifinais da Eurocopa de 1968 pela primeira vez, chegaram à Copa de 1970 como uma das seleções favoritas. Porém, nas quartas de finais sofreram uma derrota depois de abrir 2 a 0 contra a Alemanha Ocidental na prorrogação, onde os alemães vingaram a derrota do mundial anterior.

Nos mundiais seguintes, de 1974 e 1978, disputados na Alemanha e Argentina, respectivamente, a Seleção Inglesa de Futebol não passou das eliminatórias continentais. O mau momento da equipe enfatizou a necessidade  uma renovação no elenco. Na Eurocopa, o mesmo fracasso, nas edições de 1972 na Bélgica e 1976 na Iugoslávia as eliminatórias foram cruéis para o time, passando por um longo período fora de disputas importantes.

Gol de mão de Maradona na Copa de 1982.

Em 1982, na Copa disputada na Espanha chegou à fase de grupos, e após 3 vitórias chegou a fase seguinte, também de grupos, mas os dois empates não foram suficientes para ir adiante. Na Copa de 1986, novamente disputada no México, os ingleses alcançaram novamente às quartas de final, encontrando a Argentina pela frente.

Em maio ao conflito envolvendo os dois países na disputa pelas Ilhas Malvinas anos antes, a rivalidade entre eles se aflorou, e a partida foi mais tensa do que se previa. Com Maradona endiabrado, os argentinos levaram a melhor. O craque marcou dois gols antológicos, um driblando 6 atletas ingleses para colocar a bola na rede. O outro veio após uma bola levantada na área, o argentino usou a mão para empurrar a bola para o gol, chamando o lance de “La mano de Dios”. Nesta Copa o atacante Gary Lineker foi o artilheiro máximo com 6 gols, se tornando o primeiro inglês a alcançar tal feito individual na competição.

Década de 1990: Seleção Inglesa alcança algum destaque

Com Lineker, seu principal jogador e artilheiro dos últimos anos em fim de carreira, a Inglaterra precisou renovar seu elenco. Paul Gascoine, outro jogador de grande importância nos últimos anos também estava em vias de se aposentar, e a partir da década de 1990, uma nova safra muito promissora chegou ao primeiro time do país.

Na Copa de 1990 disputada na Itália, os ingleses alcançaram as semifinais depois de 24 anos, alcançando seu melhor resultado desde então, terminando na quarta colocação. Nas semifinais saiu derrotada nos pênaltis para a Alemanha e na disputa de terceiro lugar, derrota por 2 a 1 para a anfitriã.

Nova geração inglesa

Elenco da Seleção Inglesa de Futebol na Copa do Mundo de 1998.

A nova geração do escrete inglês trouxe jogadores que se destacaram muito em seus clubes, a partir da reformulação do futebol na Inglaterra e criação da atual Premier League. O goleador Alan Shearer destaque pelo Blackburn e Newcastle era o comandante do ataque. Rio Ferdinand que fez sucesso pelo Leeds United e depois se transferiu ao Manchester United era o comandante da defesa.

O Manchester United era a mina de ouro da seleção inglesa no período, com o meio campista Paul Scholes. Os irmãos Gary e Phil Neville eram os laterais. O grande astro da década David Beckham dominava o meio campo, além de ser o batedor de faltas e pênaltis. O Liverpool tinha uma joia que ao final da década de 1990 começou a fazer parte da seleção constantemente, o jovem Michael Owen, que marcou um gol antológico na Copa do Mundo de 1998 na França. No Arsenal, o goleiro David Seaman ganhou a posição e se consolidou pela equipe.

Em 1996 a Inglaterra foi sede de uma competição importante novamente, desta vez a Eurocopa. O English Team chegou às semifinais do torneio, mas acabou eliminado novamente pela Alemanha, após empate no tempo normal e disputa de pênaltis. Com a campanha, a seleção ficou em terceiro lugar na Eurocopa, seu melhor resultado na competição.

Pós-2000: Seleção Inglesa com novos talentos e desempenho aquém do potencial

Gerrard, Rooney e Lampard fizeram parte de uma lendaria geração inglesa.

Nos anos 2000, a Seleção Inglesa de Futebol era sempre apontada como uma grande favorita a conquista de títulos importantes. Mas na prática não era o que acontecia. Pela primeira vez em sua história um técnico estrangeiro assumiu o comando do time, o sueco Sven-Goran Ericksson, que contava com um dos melhores elencos em suas mãos.

Jogadores como Frank Lampard, de grande destaque no Chelsea, Steven Gerrard craque do Liverpool, Wayne Rooney do Manchester United rechearam o elenco.  Astros da década anterior como Michael Owen, Beckham e Ferdinand faziam parte do elenco, que era considerado um dos melhores do período. Mas as campanhas eram abaixo do esperado, nas Copas do Mundo de 2002 e 2006, quedas nas quartas de final para Brasil e Portugal, respectivamente. Os mesmo portugueses eliminaram a Inglaterra na mesma fase na Eurocopa de 2004.

Esse período marcou a transição da geração e 1990 para a de 2000, o que aumentou muito o potencial da equipe. Os veteranos que se juntaram a nova geração somaram ainda tinham futebol a oferecer. Porém, os resultados ficaram muito abaixo do talento que o time demonstrava no papel, o novamente os ingleses passaram por uma fase conturbada.

Copa do Mundo de 2002: Seleção Inglesa alcança as quartas

Inglaterra para no Brasil na Copa do Mundo de 2002.

A Inglaterra chegou ao Mundial de 2002, sediado no Japão e na Coréia do Sul, com um elenco recheado de craques. A equipe caiu no grupo F que ficou conhecido como o grupo da morte, ao lado da forte Suécia, da poderosa Argentina e da Nigéria seleção mais forte da África.

O elenco contava com alguns jogadores veteranos como o goleiro David Seaman, Sol Campbell, Emile Heskey, Robbie Fowler e Teddy Sheringham, além dos craques Beckham, Owen e Scholes.

Na fase de grupos, estreou com um 1 a 1 contra a Suécia, venceu a grande rival Argentina com um gol de pênalti de David Beckham, e encerrou a primeira fase com um 0 a 0 contra os africanos. Ficou com o mesmo número de pontos dos suecos, mas nos critérios de desempate ficou na segunda colocação. Portanto, os ingleses passaram paras as oitavas de final para enfrentar a Dinamarca.

O English Team venceu facilmente os dinamarqueses por 3 a 0. Nas quartas enfrentaram o Brasil, voltando a esta fase que não a disputava desde 1990. Os ingleses saíram na frente do Brasil com um gol de Michael Owen, mas viu o brasil virar o placar com um gol de Rivaldo no final do primeiro tempo e outro de Ronaldinho Gaúcho cobrado falta de longa distância encobrindo Seaman. Mesmo com um jogador a mais, os ingleses não foram capazes de buscar o resultado e acabaram eliminados deste mundial.

Copa do Mundo de 2006: Seleção Inglesa cai de novo nas quartas

Queda da Seleção Inglesa de Futebol para Portugal na Copa de 2006.

No ano de 2006, o English Team chegou à Copa do Mundo disputada na Alemanha como grandes favoritos, após campanha sem grandes percalços nas eliminatórias. O time capitaneado por Beckham, contava com um dos melhores meio campo do mundo, com Gerrard e Lampard ao lado do capitão.

No ataque, mesclou experiência e juventude com Owen e o jovem Wayne Rooney com o gigante de 2 metros Peter Crouch ao lado deles. O técnico era Erikisson, assim como no mundial anterior. E como ocorreu 4 anos antes, a Inglaterra chegou às quartas de final, depois de enfrentar o Paraguai, Trinidad & Tobago e a Suécia na primeira fase. Se classificou em primeiro lugar no seu grupo e enfrentou o Equador nas oitavas de final.

Os ingleses venceram os sul-americanos com um gol de David Beckham e encontraram novamente o  Luiz Felipe Scolari, agora a frente da Seleção de Portugal. Depois de um empate em 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, a pontaria inglesa nos pênaltis foi insuficiente e os portugueses venceram com o placar de 3 a 1. A polêmica da partida ocorreu após a expulsão de Rooney em lance que envolveu o companheiro de Manchester United dele Cristiano Ronaldo.

Copa do Mundo de 2010 e 2014: fiasco da Seleção Inglesa

Gol polêmico da Alemanha contra a Inglaterra na Copa do Mundo de 2010.

Após a saída de Sven-Goran Erikisson do comando técnico, o English Team passou a ser dirigido pelo italiano Fábio Capello, com passagens de sucesso em clubes europeus. O elenco contava com muitos veteranos e estrelas, como Gerrard, Lampard, Rooney, John Terry e Ashley Cole. O elenco já não contava mais com David Beckham que se aposentou da seleção e posteriormente dos gramados neste período.

Na Copa de 2010 na África do Sul, os ingleses passaram da primeira fase e encontraram a Alemanha nas oitavas de final. Quando a partida estava empatada em 1 a 1, Lampard chutou de fora da área e a bola bateu no travessão e quicou dentro do gol, mas a arbitragem não validou o gol. O placar terminou em 4 a 1 para os alemães, completando a vingança por conta de um lance polêmico e parecido contra eles em 1966.

Na Copa de 2014 no Brasil, o maior fracasso recente em mundiais. A equipe caiu na primeira fase e terminou em último lugar de seu grupo, atrás de Costa Rica, Uruguai e Itália respectivamente. O elenco comandado por Roy Hodson era considerado muito envelhecido, e as estrelas da equipe estiveram apagadas nos 3 jogos disputados, configurando o fracasso e necessitando de renovação.

Copa do Mundo de 2018: geração promissora leva Seleção Inglesa longe

Nova geração da Seleção Inglesa de Futebol fez boa campanha na Copa de 2018.

Depois de fracassos como do mundial de 2014, a Seleção Inglesa de Futebol buscou renovar sua comissão técnica e seu elenco. Jogadores veteranos como Frank Lampard e Steven Gerrard não faziam mais parte dos planos e deixaram a seleção, assim como Rooney. O técnico escolhido foi ex-defensor da seleção Gareth Southgate, que não era experiente a exemplo dos técnicos anteriores e decidiu apostar em jovens.

A ausência de medalhões na equipe deu certo, e Southgate conseguiu montar um elenco muito competitivo que apresentava um futebol agradável. No gol, o treinador barrou o experiente Joe Hart e apostou em Jordan Pickford do Everton. Na defesa os zagueiros era John Stones e Harry Maguire, muito fortes no jogo aéreo. Na lateral direita promoveu o eficiente Kieran Trippier, muito forte na bola parada. No meio campo estavam os talentosos Jordan Henderson, Jesse Lindgard e Dele Alli. O ataque contou com o capitão e grande goleador Harry Kane e outra jovem promessa Raheem Sterling.

Participação na Copa do Mundo de 2018

Na primeira fase do mundial de 2018 na Rússia, venceu a Tunísia e a Panamá e foi derrotada pela Bélgica, o que não impediu a classificação às oitavas de final. Na fase seguinte, empatou com a Colômbia por 1 a 1 e a partida foi decidida nos pênaltis, com vitória inglesa. Nas quartas de final, passou pela Suécia com gols de Maguire e Dele Alli para pegar a Croácia nas semifinais, fase que não alcançava desde 1990.

Após empatar no tempo normal com os croatas, mesmo saindo na frente do placar, os ingleses tomaram a virada no segundo tempo da prorrogação. Assim, não conseguiram chegar à final de uma Copa como em 1966, na única vez que disputou o título. Na disputa de terceiro lugar, nova derrota para a Bélgica, mas o time estava completamente alterado em relação as partidas anteriores. Dessa forma, o English Team igualou o melhor resultado em mundiais desde 1990, seu segundo melhor resultado no torneio.

Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/History_of_football_in_England

https://en.wikipedia.org/wiki/The_Football_Association

https://en.wikipedia.org/wiki/England_national_football_team#History

https://www.fifa.com/who-we-are/news/british-society-sports-history-71171

https://en.wikipedia.org/wiki/History_of_the_England_national_football_team#1870%E2%80%931900

https://www.thefa.com/about-football-association/what-we-do/history

https://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%A1dio_de_Wembley_(1923)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%A1dio_de_Wembley

https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_futebol_na_Inglaterra#:~:text=O%20futebol%20se%20desenvolveu%20na,escolas%20p%C3%BAblicas%20e%20universidades%20inglesas.&text=A%20Inglaterra%20ostenta%20a%20posi%C3%A7%C3%A3o,esporte%20em%20franc%C3%AAs%20(1314).

https://pt.wikipedia.org/wiki/Sele%C3%A7%C3%A3o_Inglesa_de_Futebol

https://en.wikipedia.org/wiki/Battle_of_Highbury

https://en.wikipedia.org/wiki/Stanley_Matthews

https://www.fifa.com/worldcup/archive/brazil1950/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/england1966/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/spain1982/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/mexico1986/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/italy1990/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Europeu_de_Futebol_de_1996

https://www.fifa.com/worldcup/archive/koreajapan2002/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/germany2006/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/southafrica2010/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/brazil2014/

https://www.fifa.com/worldcup/archive/russia2018/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *