Didier Drogba

Atacante, Centroavante
797 Jogos Oficiais
17 Títulos Oficiais
365 Gols Marcados
Didier Drogba Costa do Marfim - Abidjan
Nascimento 10 de março de 1978
Falecimento -
Apelidos Rei de Londres, Mister Wembley, The Drog
Carreira Início: (1998) Le Mans
Término: (2018) Phoenix Rising
Características Altura: 1,88 m
Destro
Posição / Outras posições Centroavante / Segundo atacante
UEFA Champions League

2011-12

Melhor jogador da África

2006, 2009

Perfil / Estilo do jogador

Dono de muita imposição física, velocidade fora do comum e uma exímia finalização, Didier Drogba sempre obteve todos os atributos necessários para ser um grande atacante. Além disso, suas habilidades lhe permitiram jogar como segundo atacante ajudando sua equipe também na construção de jogadas. Sendo que inclusive, o jogador atuou como meia-atacante já no final de sua carreira. Como se não bastasse, para completar o manual de um excelente craque, o marfinense ainda sabia bater faltas, anotando alguns gols dessa maneira.

Categoria de base

Data Clube    
1988–1989 Tourcoing    
1989-1991 Abbeville    
1991-1993 Vannes    
1993–1997 Levallois    
1997–1998 Le Mans    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1998–2002 Le Mans 72 14
2002–2003 Guingamp 49 23
2003-2004 Olympique de Marseille 55 32
2004–2012 / 2014-15 Chelsea 381 164
2012–2013 Shanghai Shenhua 11 8
2013–2014 Galatasaray 53 20
2015–2016 Montreal Impact 41 23
2017–2018 Phoenix Rising 26 16

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
2002–2014 Costa do Marfim 86 65

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Chelsea Premier League 2004-05 , 2005-06 , 2009-10 , 2014-15
Chelsea Copa da Inglaterra 2006–07, 2008–09, 2009–10 , 2011–12
Chelsea Copa da Liga Inglesa 2005-06, 2006-07, 2014-15
Chelsea Supercopa da Inglaterra 2005, 2009
Chelsea Liga dos Campeões 2011-12
Galatasaray Campeonato Turco 2012–13
Galatasaray Copa da Turquia 2013–14
Galatasaray Supertaça Turca 2013

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Melhor Jogador da Ligue 1 2003-04 Olympique de Marseille
Copa da UEFA 2003-04 Olympique de Marseille
Equipe do torneio da Copa das Nações de África 2006, 2008, 2012 Seleção Marfinense
Jogador de futebol africano do ano 2006, 2009 Chelsea
Artilheiro do Campeonato Inglês 2006-07, 2009-10 Chelsea
Melhor em campo da Liga dos Campeões da UEFA 2012 Chelsea
Artilheiro Copa das Nações Africanas 2012 Seleção Marfinense
Melhor Jogador do Futebol Turco 2013 Galatasaray

Desempenho

0,45
Média
Gols por jogo
0,85
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
4
Passe
3
Controle de Bola
4
Drible
3
Velocidade
4
Técnica
4
Finalização
5
Condicionamento Físico
3

Biografia

Didier Drogba: Ídolo do Chelsea e herói da Costa do Marfim

Didier Drogba: ídolo da Costa do Marfim e do Chelsea.

Um dos maiores jogadores da história do futebol africano, o atacante marfinense Didier Drogba marcou uma geração. Dentre o inicio dos anos 2000 e o final dos anos 2010, o jogador encantou os amantes do futebol com seu poder de definição, velocidade, habilidades e uma força incomum.

Drogba começou sua carreira ainda em 1998, com a camisa do Le Mans da França. Logo depois, o atacante teve uma passagem pelo Olympique de Marseille, time de maior expressão do país, onde chamou atenção no cenário europeu. Assim, ele foi contratado pelo Chelsea, equipe onde teve maior destaque na carreira.

Pelos blues, o jogador conquistou os principais títulos que um grande atleta sonha em conquistar. Com a camisa do Chelsea, o marfinense conquistou 4 títulos da Premier League e o tão sonhado título da Liga dos Campeões na temporada 2011-12.

Na equipe, Drogba também conseguiu a façanha de se tornar artilheiro da Premier League nas temporadas 2006-07 e 2009-10. Além disso, ele se tornou o maior goleador não inglês da história do Chelsea, com 164 gols. Com todos esses feitos, o jogador foi eleito, segundo a Revista Chelsea, o maior ídolo da história do clube.

Já pela sua seleção, o atacante também marcou época ao ser o maior artilheiro da história da Costa do Marfim com 65 gols e ex-capitão da seleção. Dessa forma, ele é considerado o maior jogador da história do escrete, embora não tenha conquistado títulos. Ainda assim, Drogba conseguiu levar o seu país a três Copas do Mundo seguidas, um feito e tanto para um escrete que jamais havia ido ao mundial.

Infância, histórico e inspirações

Drogba nas categorias de base do Abbeville em 1989.

Didier Yves Drogba Tébily nasceu no dia 11 de março de 1978, na cidade de Abidjan, capital econômica da Costa do Marfim. Ele que faz parte do povo Bété, grupo étnico com mais de 3 milhões de adeptos em território marfinense.

Visando buscar melhores condições de vida em um país mais rico, aos 5 anos de idade, Drogba foi enviado à França por seus pais para morar com seu tio que era jogador profissional no país. O pequeno garoto foi enviado sozinho, com uma etiqueta no pescoço com os seguintes dizeres: “DIDIER DROGBA PARA ENCONTRAR MICHEL GOBA EM PARIS”.

Chegando lá, Drogba passou a jogar em suas primeiras equipes de futebol, mesmo que com pouca frequência. Através da influência de seu tio, o jovem começou a mostrar que futebol era negócio de família. No primeiro momento, ele atuou por clubes como Tourcoing e Abbeville.

Porém, após três anos na França, o pequeno garoto sentiu saudades de casa e resolveu voltar. Em seu país natal, ele passou a jogar futebol do jeito que dava, atuando em alguns campos perto de casa e nos estacionamentos da cidade. Mas, pelo mesmo motivo da primeira vez, o jovem teve que retornar à França mais uma vez.

De volta à França, Drogba passou a atuar em equipes como Vannes e Levallois. Foi nessa última equipe que o jovem jogador passou a mostrar o seu faro de artilheiro com apenas 15 anos de idade. Mais tarde, esse fato chamou a atenção do Le Mans, clube então da segunda divisão francesa, que o contratou quando ele completou 19 anos.

1998 – 2003: Início no Le Mans e no Guingamp

Em 1997, Didier Drogba chegou ao Le Mans aos 19 anos de idade, para atuar nas categorias de base do clube. Nos juniores, o jogador ficou por apenas um ano, sendo que, por mostrar muito potencial, logo subiu ao profissional.

Porém, sua estreia pelo profissional foi acontecer apenas no final da temporada 1998-99 contra o Cannes, pela segunda divisão francesa. Na equipe, o jogador atuou até 2002 e mesmo sem ser titular absoluto, anotou 14 gols em 70 jogos. Seu desempenho pelo Le Mans foi o suficiente para que Drogba despertasse a atenção do Guingamp, clube da primeira divisão francesa. Por lá, o jogador tomou conta do ataque e desandou em fazer gols. Tanto que em apenas 49 jogos, o marfinense anotou 23 gols.

Esse fato fez com que ele despertasse a atenção de uma equipe ainda maior na elite do futebol francês, o Olympique de Marseille. Assim, em 2003, Drogba acertou com sua nova equipe, deixando os torcedores do Guingamp com saudades, mesmo que atuando por apenas uma temporada.

2003 – 2004: Projeção mundial no Olympique de Marseille

Com status de artilheiro, Didier Drogba chega ao Olympique de Marseille como titular absoluto. Por coincidência, sua estreia pela equipe foi contra o seu ex clube, o Guingamp, com direito a uma assistência sua na vitória por 1 a 0.

Essa estreia positiva foi apenas um indicativo do que Drogba iria fazer com a camisa do Olympique de Marseille. Nos jogos seguintes, o jogador desandou em fazer gols, tanto no Campeonato Francês, onde se tornou o melhor jogador, quanto nas competições europeias. Para se ter uma ideia, o marfinense anotou 5 gols na Liga dos Campões e 6 gols na Taça da UEFA, tudo isso em apenas uma temporada.

Inclusive, na Taça da UEFA, o atacante esteve perto da conquista do título. Porém, sua equipe foi derrotada na grande final para o Valência pelo placar de 2 a 0.

Por conta de suas brilhantes atuações, principalmente nas competições europeias, Drogba passou a despertar a atenção de gigantes europeus. Porém, coube ao Chelsea, clube de grande investimento, contrata-lo no inicio da temporada 2004-05.

2004 – 2012: No Chelsea, Drogba chega ao auge da carreira

Histórica passagem pelo Chelsea.

Em uma quantia recorde à época, o Chelsea do magnata Roman Abramovich, desembolsou 50 milhões de dólares para contar com Didier Drogba. Valor mais do que justo para um jogador que na época chegava para ser a principal estrela do ataque da equipe.

Logo em sua estreia, Drogba deu a assistência do único gol da partida contra o Manchester United. Formando dupla de ataque com o islandês Eidur Gudjohnsen, o marfinense atuava muito mais pelos lados do campo, sendo importante ao fazer gols e ao construir jogadas. Foi dessa forma que ele conquistou o seu primeiro título de Premier League, conquista que o Chelsea não obtinha há 50 anos.

Na temporada seguinte, o atacante foi ainda mais decisivo, ao jogar mais centralizado, sendo servido por jogadores como Damien Duff, Joe Cole, Michael Essien, Frank Lampard e Claude Makélélé. Dessa forma, ele não apenas conquistou mais um título da Premier League como se tornou o artilheiro da competição com 20 gols.

Nos anos seguintes, o jogador continuou sendo importante, conquistando os títulos da Copa da Inglaterra e da Copa da Liga Inglesa. Porém, essas conquistas não foram suficientes para que José Mourinho permanecesse no cargo. Assim, para o lugar do português, foi contratado Luís Felipe Scolari, treinador com o qual Drogba não se entendeu, sendo considerado um dos principais responsáveis pela queda do brasileiro juntamente ao zagueiro John Terry.

Após a queda de Felipão, o atacante voltou a brilhar com o Chelsea, sendo mais uma vez artilheiro da Premier League na temporada 2009-10. De quebra, ele ainda conquistaria o título da competição, com direito a um hat-trick no último jogo contra o Wigan.

2011 – 2012: O ano mágico nos blues

Após bater na trave na briga pelo título da Liga dos Campeões de 2007-08, com final perdida para o Manchester United, Didier Drogba finalmente sentiu o gosto de conquistar a competição. Algo que viria a acontecer na temporada 2011-12, com o marfinense sendo determinante na conquista do título.

Sendo assim, Drogba foi um dos principais nomes de uma conquista que contou com importantes jogadores como Peter Cech, Ashley Cole, David Luiz, Juan Mata e Fernando Torres. Porém, em meio a esses craques, o marfinense é o mais lembrado pelos torcedores do Chelsea e com razão.

Na competição, Drogba anotou 6 gols, com direito a gol importante contra o Barcelona na semifinal e contra o Bayern Munich na final. Inclusive, no jogo decisivo contra os bávaros, o atacante anotou o gol de empate que levou o duelo para as penalidades. Para melhorar, foi dele o gol que garantiu o título do Chelsea nas cobranças de pênaltis.

Por conta de suas grandes atuações, Drogba ainda foi eleito o melhor jogador da competição. Um feito e tanto, que colocou o nome do jogador na história da equipe do Chelsea.

2012 – 2013: Breve passagem pelo futebol chinês

Drogba ao lado de Nikolas Anelka.

Na metade do ano de 2012, após conquistar a Liga dos Campeões, Didier Drogba foi contratado pelo Shanghaï Shenhua por valores não revelados. Apesar das cifras da transação não terem sido reveladas, o que se sabia é que o atacante receberia por volta de 15 milhões de dólares por ano.

Na equipe, Drogba reencontrou um velho parceiro dos tempos de Chelsea, o atacante francês Nikolas Anelka. Porém, mesmo com a parceria, o marfinense não ficou por muito tempo na equipe, embora estivesse jogando em alto nível. Tudo porque ele alegou não receber os salários que o clube chinês havia prometido e acionou a FIFA.

Dessa forma, o atacante deixou o Shanghai Shenhua após apenas 4 meses com a camisa do clube. Nesse meio tempo, Drogba atuou pela equipe em apenas 11 partidas, conseguindo mesmo assim, uma marca impressionante de 8 gols.

2013 – 2014: De volta à Europa, Drogba joga no Galatasaray

Após conseguir a liberação da FIFA em fevereiro de 2013 para acertar com o clube que quisesse, Didier Drogba acertou sua ida ao Galatasaray da Turquia. E como em suas outras estreias, o jogador estreou brilhando com a camisa da equipe ao marcar um gol e distribuir uma assistência no jogo contra o Akhisarspor pelo Campeonato Turco.

Essa estreia foi apenas um aperitivo do que seria a passagem de Drogba pelo Galatasaray. Sendo que em apenas metade de uma temporada, o atacante foi essencial na conquista do Campeonato Turco de 2012-13 e da Supercopa da Turquia do mesmo ano. O jogador ainda foi eleito o futebolista do ano em 2013 no país por conta de suas grandes atuações na temporada.

De quebra, o marfinense ainda conquistou a Copa da Turquia da temporada 2013-14, sendo peça fundamental ao lado de jogadores como o goleiro Muslera, Wesley Sneijder e Felipe Melo. Porém, na reta final da competição, Drogba se machucou, evidenciando os seus problemas físicos que já começavam a aparecer.

Dessa forma, esses problemas foram determinantes para a saída do jogador da equipe turca. Portanto, o Drogba deixou o Galatasaray com 53 partidas realizadas e 20 gols marcados.

2014: Volta ao Chelsea para uma temporada

Mesmo fazendo uma brilhante atuação na Liga dos Campeões 2011-12, Didier Drogba, que estava com 34 anos, resolveu fazer o seu pé de meia jogando na China. Assim, ele assinou com o Shanghai Shenhua  em 2013. Contudo, meses depois, acertou com o Galatasaray da Turquia.

O Chelsea, que inicialmente não fez muita questão de segura-lo por conta da idade, resolveu repatriar o jogador na temporada 2014-15. Uma decisão acertada, pois Drogba foi peça importante na conquista da Premier League, comandando o ataque da equipe.

Aquela seria a última conquista do jogador junto ao clube, ao lado da Copa da Liga Inglesa do mesmo ano. Assim, Drogba colecionou muitos títulos ao longo de suas 9 temporadas com a camisa do Chelsea. Dentre suas conquistas, o marfinense faturou a Liga dos Campeões 2011-12, 4 Premier League, 4 Copas da Inglaterra, 3 Copas da Liga Inglesa e duas Supercopas da Inglaterra.

Com tantos títulos e atuando em alto nível, Droga se tornou o maior ídolo da história do Chelsea. Segundo a própria revista do clube, o fato do jogador ter marcado o gol decisivo na final da Liga dos campeões foi um fator decisivo para que ele fosse eleito o maior ídolo. Dessa forma, o marfinense superou grandes craques como Kerry Dixon, Gianfranco Zola e Peter Osgood.

Como ídolo, Drogba encerrou sua trajetória no Chelsea ao final da temporada 2014-15, com 381 jogos e 164 gols.

Outros craques que brilharam ao lado do jogador no Chelsea

No período em que esteve no Chelsea, Didier Drogba não brilhou sozinho e contou com a parceria de outros craques para fazer sucesso. Frank Lampard e Fernando Torres foram os outros jogadores que também se destacaram nesse período importante da história dos blues.

O inglês Frank Lampard, entretanto, foi o verdadeiro garçom para que Drogba pudesse brilhar. O meia e ídolo do Chelsea, permaneceu na equipe até 2014, quando se transferiu para o Manchester City.

Já o atacante Fernando Torres , embora atuasse por menos tempo ao lado de Drogba, também foi um parceiro importante em determinados momentos. O espanhol fez uma boa parceria com o marfinense durante o título da Liga dos Campeões 2011-12.

2015 – 2018: Nos Estados Unidos, passagens por Montreal Impact e Phoenix Rising

Na reta final de carreira e longe do seu auge físico, Didier Drogba, que estava com 37 anos, acertou sua ida para o Montreal Impact do Canadá, que atualmente disputa a MLS, liga norte-americana de futebol. Na equipe, o jogador viveu altos e baixos, contrastando boas atuações e indesejáveis lesões na temporada 2015-16.

Para se ter uma ideia, Droga anotou dois hat-tricks enquanto esteve vestindo a camisa do time canadense, mas nesse meio tempo, o jogador colecionou diversas lesões. Dentre esses altos e baixos, o marfinense ficou no Montreal por apenas uma temporada, com 41 partidas e 23 gols anotados.

Após deixar a equipe canadense, Drogba acertou com o Phoenix Rising clube que atua na USL, liga de segundo escalão dos Estados Unidos. Aos 39 anos, o jogador continuou convivendo com incomodas lesões, sem perder o faro de artilheiro. Inclusive, por tamanha importância na equipe, o atacante ostentou a faixa de capitão em algumas ocasiões.

Assim, mesmo com as lesões, Drogba encerrou a sua passagem pelo Phoenix Rising com chave de ouro. Até porque ele levou a sua equipe até a final dos playoffs da USL, perdendo a final para o Louisville City. Esse jogo foi o último dos 26 que o atacante fez com a equipe norte-americana, na qual ele ainda anotou 16 gols.

“Valeu, Drogba”: a frustrada quase ida ao Corinthians

Em janeiro de 2017, um pouco antes de fechar com o Phoenix Rising, Didier Drogba teve seu nome especulado na equipe do SC Corinthians. Porém, ele preferiu negociar com a equipe norte-americana, onde ele pretendia se tornar um dos proprietários no futuro.

O grande problema é que na época, o interesse do Corinthians em cima do jogador tomou proporções gigantescas. Tanto que as notícias em relação à negociação do clube com o jogador tomou conta dos programas esportivos no Brasil.

Sendo assim, quanto maiores as proporções, maiores seriam as possíveis frustrações e dessa forma a resposta negativa do atleta rendeu piadas ao Corinthians. Para piorar, o clube escreveu uma nota agradecendo à Drogba, o que não foi visto com bons olhos por grande parte da torcida alvinegra. Na nota de agradecimento, a então cúpula corintiana começou com “Valeu Drogba” e agradeceu ao jogador pelas conversas da frustrada negociação.

Aposentadoria e carreira pós-aposentadoria

Carreira pós-aposentadoria como embaixador da boa vontade na ONU.

O último jogo oficial de Didier Drogba com a camisa do Phoenix Rising foi a grande decisão dos playoffs da USL. Aos 40 anos de idade, o marfinense anunciou a sua aposentadoria em fevereiro de 2018.

Porém, Drogba já encerrava a sua carreira com um novo empreendimento em vista. O ex-jogador, logo se tornou co-proprietário do Phoenix Rising, equipe onde pendurou as chuteiras.

Além disso, ao encerrar a carreira como jogador, Drogba pôde se dedicar melhor a outras causas nas quais ele já se empenhava. Como por exemplo, a propagação da paz em seu país natal, do qual ele foi porta voz em 2005, nas eliminatórias da Copa do Mundo na vitória contra o Sudão e também em 2007, quando em uma partida contra Madascar, interrompeu uma guerra civil. Por conta disso, o marfinense ainda foi nomeado como Embaixador da Boa Vontade pela ONU em 2007.

Ainda lutando por causas nobres, em 2014, Drogba participou da campanha “11 contra o Ebola”, ao lado de Cristiano Ronaldo, Neymar, Gareth Bale e Xavi. Dessa forma, como resultado de todo o seu trabalho como Embaixador da Boa Vontade, Drogba recebeu o título honorário da RUSTA (Rede de Universidades de Ciência e Tecnologia dos Países da África ao sul do Saara).

Didier Drogba na Seleção Marfinense

Explodindo como grande jogador na equipe do Guingamp, Didier Drogba recebeu a sua primeira convocação pela seleção marfinense em 2002. Porém, sua estreia só foi acontecer em 2003, em jogo amistoso contra Camarões, no qual o atacante anotou um gol, em vitória por 3 a 0.

A partir dali, o jogador não perdeu mais a posição e se tornou o líder técnico de sua seleção. Tanto que em 2006, ele era tido como a principal peça do escrete marfinense, levando a sua seleção à grande decisão da Taça Africana de Nações. Inclusive, naquela final contra o Egito, Drogba ostentou a faixa de capitão, embora não tenha conseguido evitar a derrota da sua seleção nos pênaltis.

Ainda em 2006, como capitão, Drogba levou à sua seleção pela primeira vez a uma Copa do Mundo. Mas, apesar de estrear marcando gol na Argentina, o jogador foi suspenso do terceiro jogo por conta de cartões amarelos. Para piorar, ele viu sua seleção ser eliminada ainda na fase de grupos.

Dois anos depois, Drogba levaria a sua seleção a semifinal da Taça das Nações, porém com mais uma eliminação para o Egito. Já em 2012, ele conduziu o seu país a mais uma final, se tornando ainda artilheiro do torneio. Porém, a derrota para a Zâmbia nos pênaltis acabou mais uma vez com o sonho do título.

Drogba ainda participou da Copa do Mundo de 2010 e de 2014 como a principal estrela de sua seleção. Porém, em ambas, a Costa do Marfim não passou da fase de grupos. Inclusive, foi no mundial de 2014, que o jogador realizou a sua última partida com o escrete, em derrota por 2 a 1 para a Grécia.

Assim, o atacante encerrou a sua carreira na seleção com 86 partidas e 65 gols marcados, sendo o maior artilheiro da história.

Outros craques que estiveram ao lado de Drogba na Costa do Marfim

Drogba é considerado a principal estrela da geração dourada da Costa do Marfim que participou de 3 Copas do Mundo. Ao lado dele, porém, outros grandes craques também marcaram esse período histórico do escrete marfinense.

O volante Yaya Touré foi um dos principais parceiros de Drogba na seleção e uma das grandes estrelas do selecionado marfinense. Já Salomon Kalou que também esteve ao lado de Drogba no Chelsea, também era considerado uma das referências na seleção.

Além deles, outros nomes como Gervinho, Emmanuel Eboué, Kolo Touré e Serge Aurier também marcaram a história da seleção marfinense. De alguma forma, todos esses atletas fizeram com que a estrela de Drogba brilhasse ainda mais, como referência técnica e liderança.

Quando Drogba parou uma guerra

Todos nós conhecemos a clássica história de que Pelé parou uma guerra civil na Nigéria, porém, o rei do futebol não foi o único a conseguir esse feito. Até porque, Didier Drogba também foi capaz de conseguir tal proeza, enquanto representava a seleção marfinense.

Em 2007, enquanto estava representando o seu país nas eliminatórias da Copa do Mundo, antes do jogo contra Madagascar, o jogador interrompeu uma guerra civil que perdurava havia 5 anos. Na cidade de Boauke, o jogador foi até a fortaleza dos rebeldes para pedir que eles largassem as armas para que o jogo pudesse ser realizado. Para a surpresa de muitos, eles o fizeram, por tamanho respeito a Drogba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.