Evaristo de Macedo

Atacante
487 Jogos Oficiais
21 Títulos Oficiais
316 Gols Marcados
Evaristo de Macedo Brasil - Rio de Janeiro
Nascimento 21 de junho de 1933
Falecimento -
Apelidos Mestre
Carreira Início: (1950) Madureira
Término: (1967) Flamengo
Características 1,70 m
Ambidestro
Posição / Outras posições Atacante

Perfil / Estilo do jogador

Evaristo de Macedo foi um dos primeiros jogadores do Brasil a conseguir grande reconhecimento atuando em clubes europeus. Dono de um preparo físico invejável, apesar da baixa estatura para a posição (1,70m), o atacante impressionava pela velocidade, visão de jogo, habilidade com a bola nos pés e suas finalizações precisas imortalizadas em números com as camisas que vestiu ao longo de sua carreira. Era um atacante completo, sendo muito diferentes dos jogadores de sua função, que na época jogavam muito mais nas dependências da pequena área.

Categoria de base

Data Clube    
1950 Madureira    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1950-1952 Madureira 35 18
1952-1957 / 1965-1967 Flamengo 182 103
1957-1962 Barcelona 237 181
1962-1965 Real Madrid 19 6

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
1955-1957 Brasil 14 8

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Flamengo Taça dos Campeões Estaduais Rio-São Paulo 1956
Flamengo Campeonato Carioca 1953, 1954, 1955, 1965
Barcelona Pequena Taça do Mundo 1957
Barcelona Taça das Cidades com Feiras 1955-58, 1958-60
Barcelona Copa do Rei 1958-59
Barcelona Campeonato Espanhol 1958–59, 1959–60
Barcelona Troféu Ramon Carranza 1962
Real Madrid Campeonato Espanhol 1962–63, 1963–64, 1964–65

Conquistas pela Seleção

Título Ano
Taça Oswaldo Cruz 1955,1956
Taça Bernardo O'Higgins 1955
Campeonato Pan-Americano de Futebol 1956
Copa Roca 1957
Taça do Atlântico 1957

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Maior artilheiro brasileiro da história do Barcelona 1957-1962 Barcelona

Desempenho

0,64
Média
Gols por jogo
1,23
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
3
Passe
3
Controle de Bola
3
Drible
4
Velocidade
4
Técnica
4
Finalização
4
Condicionamento Físico
3

Biografia

Evaristo de Macedo: Ídolo de Barcelona e Real Madrid que nunca foi à Copa

Evaristo de Macedo um dos primeiros ídolos brasileiros na Europa.

Evaristo de Macedo foi um dos primeiros jogadores do Brasil a conseguir grande reconhecimento atuando em clubes europeus. Dono de um preparo físico invejável, apesar da baixa estatura para a posição (1,70m), o atacante impressionava pela velocidade, visão de jogo, habilidade com a bola nos pés e suas finalizações precisas imortalizadas em números com as camisas que vestiu ao longo de sua carreira.

Até hoje é um dos nomes mais respeitados do futebol tanto no Brasil, quanto na Espanha, onde atuou em seu melhor período da carreira. Ele se tornou ídolo dos maiores clubes do país ibérico, FC Barcelona e Real Madrid ao lado de nomes como Ladislau Kubala nos catalães e Alfredo Di Stéfano e Ferenc Puskás nos merengues.

Pela Seleção Brasileira jogou ao lado de Nilton Santos, Didi, Mané Garrincha e Zizinho, mas não esteve no elenco que venceu a primeira Copa do Mundo pelo país em 1958. Ainda assim, conseguiu um feito inédito, ao marcar cinco gols em uma partida contra a Colômbia, algo jamais repetido na história do escrete nacional.

Antes de se aventurar nos gramados europeus, Evaristo de Macedo foi um dos principais jogadores do Rio de Janeiro na década de 1950. Depois de despontar no Madureira, chegou ao Flamengo após defender o Brasil nos Jogos Olímpicos de Helsinque em 1952. Foram 182 jogos pelo Rubro Negro, com 102 gols marcados e três títulos do Campeonato Carioca em sequência de 1953 até 1955, marcando a história como ídolo na Gávea.

No total de sua carreira, contando atuações em clubes e seleção, Evaristo de Macedo jogou em 487 partidas e anotou 316 gols.

Infância, histórico e inspirações

Evaristo de Macedo Filho nasceu no Rio de Janeiro, na capital do estado, em 22 de junho de 1933. A capital fluminense fervia futebol na época, e muitos jovens praticavam o esporte nas ruas e na orla das praias. Evaristo era um destes jovens, e jogava bola com os amigos nos campinhos do Grajaú Tênis Clube.

Se interessou pelo futebol quando era criança, quando um tio o levava para acompanhar o Flamengo na Gávea, e se encantava com a linha rubro-negra com Zizinho, Perillo, Perácio e Vevé.

O jovem Evaristo de Macedo era o grande destaque quando jogava com seus amigos, e assim chamou a atenção do Madureira, após participar de um treino a convite de um amigo que jogava no clube. Foi muito bem no teste e chamado para retornar no dia seguinte, mas apenas se seu amigo reprovado Jorge Vieira, que também fez um teste, retornasse junto com ele. Para não perder o possível craque, o clube aceitou e ali começou a carreira de Evaristo nas categorias de base.

 

1950 – 1952: O início da carreira profissional – Madureira


Primeira passagem no futebol: Madureira.

Após chegar à base do Madureira, Evaristo de Macedo confirmou a expectativa criada ao redor de seu futebol nas partidas e nos treinos pelo clube. Assim, estrou no profissional do Tricolor Suburbano aos 17 anos. 

Foram apenas dois anos pelo clube, com um total de 18 gols em 35 partidas. Não conquistou nenhum título, mas conseguiu se destacar pelo clube e chamar a atenção da comissão técnica responsável pela Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Helsinque em 1952.

Após a eliminação para a Alemanha nas quartas de final em Helsinque, Evaristo retornou ao Rio de Janeiro, mas não mais atuou pelo Madureira. O atacante, com 20 anos, recebeu ofertas do Fluminense, Vasco e Flamengo e acabou optando pelo clube da Gávea, que admirava desde sua infância e se tornou o time de seu coração ainda jovem.

 

1953 – 1957: Destaque no Flamengo e tricampeonato Carioca


No Brasil, Evaristo de Macedo fez sucesso no Flamengo.

Aos 20 anos de idade, Evaristo de Macedo chegou ao CR Flamengo para defender seu time de coração. Quando jovem, acompanhava seu tio em partidas do clube e acabou se encantando pelo Rubro Negro e pelos jogadores da época.

O técnico Flávio Costa não dava muitas chances ao atacante, que só passou a atuar constantemente quando o lendário Fleitas Solich desembarcou na Gávea. Vestia a camisa 10 no Flamengo, mas de vez em quando vestia outros números para substituir outros companheiros em outras posições.

Logo em seu primeiro ano, o atacante conquistou o Campeonato Carioca ao lado de Zagallo, Esquerdinha, Benitez, Rubens e índio entre seus principais companheiros, em uma campanha que terminou à frente de Fluminense, Botafogo de Mané Garrincha e o Vasco da Gama.

A segunda conquista estadual veio no ano seguinte, em uma campanha de 44 pontos, à frente de América e Bangu. O tricampeonato veio após o Flamengo chegar à final depois de liderar os dois primeiros turnos, e encontrar o América na decisão. Evaristo de Macedo marcou o gol da vitória na primeira partida, mas o tri só foi consolidado após o terceiro jogo, com quatro gols do jovem Dida.

Em 1956, o atacante marcou sua primeira “manita” da carreira, ou seja, marcou cinco gols em uma partida. No Carioca deste ano, Evaristo de Macedo marcou cinco gols contra o São Cristóvão na goleada histórica de 12 a 2. Em 1957 deixou o Flamengo rumo ao Barcelona, somando ao todo 103 gols em 182 jogos.

 

1957 – 1962: Maior artilheiro brasileiro do Barcelona


No Barcelona, se torna um dos maiores ídolos da história.

O Barcelona tem em sua história muitos jogadores brasileiros que se destacaram ao logo de sua história. Pelo Barcelona, passaram jogadores como Romário,  Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho e Neymar.

Porém, o primeiro grande nome que atuou pelos Blaugrana foi Evaristo de Macedo, que se tornou  ídolo em um período  dominado pelo rival, o Real Madrid.

Evaristo chamou a atenção dos catalães após atuações de gala com a camisa da Seleção Brasileira nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1958. Josep Samiter, membro da comissão técnica notificou o clube a fazer uma proposta pelo atacante, que foi aceita por Evaristo.

Além do alto valor em dinheiro para a época, Evaristo recebeu uma casa e um carro pagos pelo clube, que fizeram parte da oferta de transferência. Chegou com status de estrela ao clube catalão, para fazer parceria com dois outros astros László Kubala e Luis Suárez, ídolos da agremiação.

Evaristo de Macedo teve a passagem pelo FC Barcelona muito vitoriosa, e conquistou alguns títulos importantes pelo clube, sendo um dos jogadores principais do elenco. Foram dois troféus do Campeonato Espanhol, uma Copa del Generalísimo (nome dado a Copa del Rey durante a ditadura de Francisco Franco) e duas Copas de Férias (campeonato disputado antes da criação da Copa da UEFA).

Além destas conquistas importantes que colocaram o Barcelona em evidência no país e no continente, Evaristo de Macedo é o brasileiro que detém o recorde de gols marcados em todas as partidas disputadas pelo Barça. Somente Rivaldo o supera em número de gols em jogos oficiais pela equipe, e assim marcou 181 gols em 237 ao todo. 

Autor de gols importantes e saída para o maior rival do Barcelona

Como vimos, Evaristo de Macedo marcou muitos gols pelo clube catalão, e alguns deles muito importantes e lembrados até hoje na Catalunha. Um deles foi responsável pela primeira eliminação do Real Madrid na Copa da Europa, atual Champions League, no final da partida de peixinho.

Contra os Merengues ele marcou três vezes na primeira conquista do Campeonato Espanhol da temporada 1958/59. Feito histórico, pois o Real era o grande time do momento , que havia conquistado os cinco primeiros campeonatos europeus.

O primeiro gol em partidas oficiais no Camp Nou, inaugurado em 1957 foi marcado por Evaristo de Macedo, assim como o primeiro hat-trick do estádio. Contra o Real Jaén, Evaristo marcou o primeiro gol oficial do estádio, uma vez que seu companheiro de time e goleador da equipe Eulogio Martínez marcou pela primeira vez no amistoso contra o Légia Varsóvia que inaugurou o campo.

Apesar de todo o sucesso conquistado em Barcelona, o atacante não tinha um relacionamento bom com a direção do clube. Primeiro por não ter sido liberado para defender a Seleção Brasileira para a Copa de 1958, e depois por não se naturalizar espanhol, que acabou sendo o estopim da relação, e assim Evaristo de Macedo deixou o clube para jogar no Real Madrid.

 

1962  – 1965: De Barcelona para o maior rival, Real Madrid para mais títulos no currículo


Evaristo de Macedo no Real Madrid.

Com a saída do Barcelona concretizada após não aceitar se naturalizar espanhol, por conta de uma regra imposta para atuar no país, Evaristo  queria se manter no futebol local. Sua família estava adaptada à Espanha e o atacante recusou ofertas de outros países, e assim fechou com o maior rival dos catalães, o Real Madrid.

A torcida do Barcelona lamentou a saída de seu ídolo, mas não direcionou seu ódio ao atleta, e sim a diretoria que não conseguiu mantê-lo. Uma vez em Madrid, Evaristo de Macedo chegou no grande clube do momento do futebol mundial, para atuar ao lado de estrelas como Alfredo Di Stéfano, Ferenc Puskas e outros astros que faziam parte do recheado elenco merengue.

No período que esteve em Madrid, porém, Evaristo pouco jogou. Por conta de uma lesão séria no joelho, participou apenas de 19 jogos e marcou apenas seis gols pelos Blancos. Ainda assim, colocou mais dois títulos do Campeonato Espanhol no currículo.

 

1966: Aposentadoria e carreira pós-aposentadoria


Com o acúmulo de lesões e decadência de seu preparo físico, Evaristo de Macedo retornou ao Brasil para atuar novamente em seu time de coração, o CR Flamengo. Mesmo com atuações abaixo do que o jogador apresentou durante sua carreira, conquistou novamente o Campeonato Carioca em 1965.

Evaristo de Macedo pouco jogou, e assim decidiu se aposentar dos gramados aos 33 anos em 1966. Assim começou a se preparar para sua longeva carreira como treinador nos anos seguintes. A frente de comissões técnicas, o agora treinador dirigiu 17 equipes diferentes entre os anos de 1970 e 2006 com passagens marcantes por Bahia, Grêmio, Santa Cruz, Flamengo e SC Corinthians.

Entre clubes e seleções se destacou com bons trabalhos e por seu estilo autêntico e durão com seus atletas comandados. Levou a Seleção do Qatar à dois Jogos Olímpicos, e a Seleção Brasileira Júnior ao terceiro lugar no mundial da categoria em 1977. Pela Seleção Brasileira principal ficou pouco tempo, e saiu durante as Eliminatória do Copa de Mundo de 1986 após desavenças com alguns atletas, incluindo Sócrates.

Conquistou muitos títulos como técnico, incluindo alguns campeonatos de Pernambuco pelo Santa Cruz e Baianos pelo Bahia, clube no qual teve algumas passagens. A mais marcante pelo tricolor baiano foi quando comandou o time na conquista do Brasileiro de 1988, que lhe rendeu uma homenagem em 2020 com o batismo do Centro de Treinamento do clube com o nome de Evaristo de Macedo.

Por outro tricolor, dessa vez o do Rio Grande do Sul, Evaristo conquistou alguns troféus. No Grêmio venceu um Campeonato Gaúcho, uma Supercopa do Brasil e uma Copa do Brasil depois de algumas passagens pelo clube. Encerrou sua carreira de treinador em 2006 e seu último trabalho foi no Club Athlético Paranaense.

 

Evaristo de Macedo na seleção brasileira


Evaristo de Macedo na seleção brasileira.

A carreira pela Seleção Brasileira de Evaristo de Macedo foi curta, mas o craque nunca se arrependeu disso. Estreou com a camisa de seu país nas Olimpíadas de 1952 em Helsinque, após se destacar pelo Madureira. O país foi eliminado pela Alemanha nos jogos, mas o jogador causou uma boa impressão.

Desde então fez parte das convocações para a disputa de torneios que o escrete disputou e para as Eliminatórias da Copa de 1958, na qual o atleta não participou. O FC Barcelona havia concordado em liberar o atleta que faria parte do elenco brasileiro no mundial, mas com a não classificação da Espanha, o Campeonato Espanhol não parou e os atletas não foram liberados pelos clubes para as suas seleções nacionais.

Assim, por atuar fora do Brasil, Evaristo de Macedo não era chamado para a Seleção por conta na dificuldade na liberação e na logística que era mais complicada para ele, uma vez que a maioria dos atletas atuava em solo nacional. Desta forma vestiu a camisa do Brasil  apenas 14 vezes, tendo marcou 8 gols.

Conquistou alguns torneios menores pela Seleção Brasileira, como a Taça Oswaldo Cruz, Taça Bernardo O’Higgins, Copa Roca, Campeonato Pan-Americano e Taça do Atlântico. Mesmo com poucos jogos, foi importante sempre que atuou, seja marcando gols ou ajudando seus companheiros com sua visão de jogo acima da média.

Evaristo de Macedo marca 5 gols em um mesmo jogo pela Seleção Brasileira

Os poucos jogos na Seleção Brasileira não o impediram de conseguir um feito jamais repetido pelo escrete nacional, mesmo com a abundância de craques do futebol mundial que vestiram a camisa do Brasil ao longo dos anos.

Evaristo de Macedo é o único jogador da história do país a marcar cinco gols em uma partida, que é conhecido como “manita”, uma alusão aos cinco dedos da mão preenchidos com gols. Contra a Colômbia em 1957, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1958, o atacante marcou cinco vezes na acachapante goleada brasileira por 9 a 0.

O primeiro dos gols, veio após passe de Didi e arremate sem chances para o goleiro colombiano. O segundo após receber de Zizinho, assim como o terceiro. O quarto de Evaristo veio após o rebote do goleiro em chute de Joel, onde o atacante só empurrou para o gol vazio. O último, completando os dedos da mão, ocorreu após um lindo passe de Nílton Santos, e Evaristo tocou na saída do goleiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.