Bobby Charlton

Meia-atacante
914 Jogos Oficiais
9 Títulos Oficiais
309 Gols Marcados
Bobby Charlton - Camisa Manchester United
Bobby CharltonInglaterra - Ashington
Nascimento 10 de outubro de 1937
Falecimento -
Apelidos Bobby, Sir Bobby Charlton
Carreira Início: (1956) Manchester United
Término: (1976) Waterford United
Características Altura: 1, 73 m
Ambidestro
Posição / Outras posições Meia-atacante
Copa do Mundo

1966

Melhor do Mundo/Bola de ouro

1966

Perfil / Estilo do jogador

Cheio de categoria, Bobby Charlton atuava como um meio campista, às vezes avançado, às vezes recuado, mas nunca sem perder a classe em sua forma de jogar. Jogava sempre com a cabeça erguida, sendo capaz de acertar arremates de longa e média distância com enorme precisão. Era um jogador muito limpo, e dificilmente era punido pela arbitragem, ficando conhecido pelo Fair Play que praticava. Era muito habilidoso e ambidestro, o que o tornava um jogador completo no meio campo. Dono de tamanha versatilidade, o Sir jogou muitas vezes na ponta esquerda.

Categoria de base

Data Clube    
1953-1956 Manchester United    

Clubes em que atuou

Data Clube Jogos Gols
1956-1973 Manchester United 758 249
1973-1975 Preston North End 45 10
1976 Waterford United 4 1

Histórico pela Seleção

Ano Seleção Jogos Gols
1958-1970 Inglaterra 106 49

Conquistas por Clubes

Clube Título Temporada
Manchester United Campeonato Inglês 1955–56, 1956–57, 1964–65, 1966–67
Manchester United Copa da Inglaterra 1962-63
Manchester United Supercopa da Inglaterra 1965, 1967
Manchester United Liga dos Campeões da UEFA 1967–68

Conquistas pela Seleção

Título Ano
Copa do Mundo 1966

Conquistas Individuais

Prêmio Ano Representando
Ballon d'Or 1966 Manchester United
Bola de Ouro da Copa do Mundo da FIFA 1966 Seleção Inglesa
All-Star Team da Copa do Mundo da FIFA 1966, 1970 Seleção Inglesa
FIFA 100 2004

Desempenho

0,33
Média
Gols por jogo
0,45
Média
Títulos / Anos de carreira (Profissional)
Força
3
Passe
5
Controle de Bola
4
Drible
3
Velocidade
3
Técnica
5
Finalização
4
Condicionamento Físico
3
Fundamentos Defensivos
1

Biografia

Sir Bobby Charlton: o mais respeitado jogador da história da Inglaterra

Bobby Charlton é um dos mais respeitados jogadores da história do futebol inglês.

O maior jogador da história do futebol da Inglaterra, uma lenda do esporte mundial, homem de muita classe, sobrevivente de um acidente aéreo e membro da Excelentíssima Ordem do Império Britânico, esse é Bobby Charlton. Reconhecido por seus feitos, dentro e fora dos gramados, é uma das principais personalidades da Grã-Bretanha.

Atingiu o auge da carreira durante a década de 1960 na selecão inglesa e no Manchester United, clube no qual dedicou a maior parte de sua carreira e se tornou um dos maiores ídolos da história. Nos Red Devils, participou de 758 jogos e marcou 249 gols, durante os anos de 1956 até 1973. 

Pela Seleção Inglesa, Bobby Charlton foi um dos principais jogadores da campanha que deu o único título mundial ao país, em casa no ano de 1966. Ao todo fez 106 jogos e marcou 49 gols pelo English Team. Ainda em 1966, ganhou seu principal prêmio individual, a Bola de Ouro , considerada a premiação de melhor jogador do planeta na época.

Sua carreira não ficou marcada apenas por seu futebol e classe de um verdadeiro “gentleman” inglês, mas por ser um sobrevivente de um trágico acidente aéreo que vitimou vinte e três pessoas após abastecer em Munique e não conseguir decolar, colidindo com uma casa. Oito destas vítimas era jogadores e três eram membros da comissão técnica. Mas Bobby sobreviveu e participou da reconstrução do grupo, iniciando uma grande era de ouro no clube

Sua geração no final dos anos 1950 e início dos anos 1960, era uma das mais fortes da Europa. As partidas no Old Trafford, casa do Manchester United, eram como espetáculos, com o campo em volta das cadeiras vermelhas e futebol de altíssimo nível. Com isso, Bobby apelidou o estádio de “Teatro dos Sonhos”.

Infância, histórico e inspirações

bobby Charlton em uma foto descontraída ao lado de sua mãe.

Robert Charlton nasceu no dia 11 de outubro de 1937 em Ashington, no condado de Northumberland na Inglaterra, próximo à fronteira com a Escócia. Sua vida sempre esteve relacionada ao futebol, ao ver seus tios por parte de mãe, Jack Milburn, George Milburn, Jim Milburn e Stan Milburn jogarem por grandes clubes do futebol inglês, como o Leeds United, Bradford United e Leicester City.

Além deles, um primo de sua mãe, Jackie Milburn é considerado uma lenda do futebol inglês, principalmente no Newcastle United por onde conquistou títulos importantes e marcou gols. Certamente a influência de Bobby para jogar futebol veio de seus tios e de seu irmão mais velho, Jack Charlton, que foi seu companheiro no mundial de 1966 e um dos maiores jogadores da história do Leeds United.

Charlton chamou a atenção jogando pelo time de sua escola pelo condado de Northumberland. Depois, mudou-se para Stafford para estudar em uma escola de garotos da cidade, e com 15 anos começou a fazer parte do Manchester United a partir de 1953. Mas sua mãe não estava segura com a ideia de Bobby ser profissional e assim ele agregou aos estudos o serviço de engenheiro elétrico. Voltou ao clube no ano seguinte nas categorias de base.

Carreira quase inteira pelo Manchester United

Quando chegou ao Manchester United, Bobby Charlton por lá ficou por quase 20 anos. Disputou 758 partidas no clube e marcou 249 gols, sendo o segundo maior artilheiro da história do clube, ultrapassado recentemente por Wayne Rooney em 2017.

Conquistou pelo clube três Ligas da Inglaterra, equivalente a Premier League atual, duas FA Cup, quatro Supercopas da Inglaterra e uma Champions League. O número que mais fez sucesso nas costas do craque foi o nove, eternizado na história do clube como uma das camisas mais importantes.

Ao longo de sua carreira no United teve Matt Bubsy como treinador em grande parte de sua jornada. O lendário técnico escocês foi o primeiro que Charlton teve na sua carreira profissional e o acompanhou desde sua estreia até 1969, retornado ao clube em 1970 e ficando até o ano seguinte.

Tudo começou na geração conhecida como os Bugsy Babes, que tinha uma média de idade de 22 anos na época que Bobby Charlton chegou à equipe. Teve diversos companheiros importantes no clube, quando integrou o time principal encontrou Duncan Edwards, Harry Gregg, Dennis Violet e Tommy Taylor. Mas os principais nomes que jogaram ao lado do meia foram George Best e Dennis Law, quando formaram um dos trios mais poderosos da história do futebol, com um título europeu.

É impossível falar do Manchester United e dos valores do clube sem mencionar Sir Bobby Charlton. Ele é uma das figuras mais importantes e todas as partidas que realizou pelo clube foram em memória às vítimas do acidente aéreo que sofreu ao lado de seus companheiros. Seu comportamento enquanto jogador, e posteriormente como dirigente e frequentador assíduo do Old Trafford simbolizam os valores que o clube prega e por isso, o craque jamais é esquecido.

1956 – Início da Carreira no Manchester United

Primeiros passos no manchester United.

O craque foi descoberto após demonstrar seu talento nos times de escolas por onde passou, despontando como um dos principais garotos dos torneios escolares. Chamou a atenção de Matt Bubsy, que comandava o elenco principal com jogadores jovens. Bobby seria muito importante, já que o clube vivia um período de reconstrução desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Chegou ao clube em 1953, mas só passou a fazer parte do elenco definitivamente no ano seguinte, após vencer em três anos seguidos a FA Youth Cup  (1954, 1955 e 1956). A estreia no time principal ocorreu em 1956 contra o Charlton Athletic, onde causou uma ótima impressão, marcando dois gols na vitória em casa por 4 a 2.

Ainda na estreia, Bobby escondeu de Bubsy uma lesão no tornozelo, e mentiu para o treinador após ser perguntado se estava tudo bem. A presença do atleta não foi das mais frequentes em sua primeira temporada no elenco principal. Conciliou o serviço militar no qual se inscreveu durante os dias úteis e atuava pelo clube nos finais de semana.

Marcou dez gols em sua temporada de estreia e ajudou o clube a vencer o título da Liga. Na temporada seguinte, começou com um hat-trick (três gols em uma partida) contra o Bolton Wanderers, assim ficou cada vez mais difícil que Matt Bubsy deixá-lo longe do time titular. 

1958 – Sobrevivente de desastre aéreo: Desastre de Munique

Desastre aéreo com a delegação do Manchester United em 1958.

Ainda no início de sua carreira, o craque que detinha grande habilidade, conseguiu driblar a morte em um trágico acidente aéreo que deixou vítimas no elenco e na comissão técnica do Manchester United. O acidente fortaleceu o clube que conseguiu uma rápida reconstrução, sem esquecer de seus membros que perderam a vida na tragédia.

O avião em que a equipe estava, retornava de Belgrado, na antiga Iugoslávia, após o confronto contra o Estrela Vermelha pela Copa dos Campeões (Champions League). Depois de vencer em casa, o jogo em Belgrado terminou 3 a 3 e o United voltava para casa com a classificação. Mas ao parar em Munique para reabastecer a aeronave, o tempo ruim repleto de neve impediu as duas primeiras tentativas de decolagem. Na terceira, o avião se chocou com uma casa e 23 pessoas acabaram falecendo.

Bobby Charlton perdeu oito companheiros de elenco e três membros da comissão técnica. Alguns atletas feridos não retornaram aos gramados devido às lesões causadas pelo acidente. O treinador Matt Bubsy ficou dois meses no hospital após o trauma, recebeu a extrema unção duas vezes, mas sobreviveu e voltou a comandar o time depois da recuperação.

Bobby Charlton foi salvo pelo companheiro Harry Gregg, que retomava a consciência na cabine conseguiu achar um buraco para passar nos escombros e ajudou a salvar Charlton e Dennis Viollet do incêndio da aeronave. Bobby sofreu uma concussão e foi levado ao hosítal, por onde ficou duas semanas internado se recuperando de outros ferimentos e do trauma.

Depois, de receber a solidariedade de muitos clubes ingleses e alguns atletas cedidos por empréstimo, o United não conseguiu resultados expressivos por conta da perda de seus atletas e outros lesionados seriamente. Mas, conseguiu se reconstruir com Bobby Charlton como pilar do time e jogando em memória dos companheiros vitimados.

Com George Best e Dennis Law, Bobby Charlton forma a Santíssima Trindade (Holy Trinity)

Após a reconstrução do elenco comandado por Bubsy, o United retomou seu lugar entre as melhores equipes do país e do continente. O forte time contou com um dos maiores trios da história do clube e do futebol, composto por Bobby Charlton, George Best e Dennis Law.

Conhecidos como Santíssima Trindade (Holy Trinity), começaram a atuar juntos na temporada 1963/64, mas foi no ano seguinte que trouxeram o título do Campeonato Inglês de volta a Old Trafford. O trio esteve junto até o início da década de 1970, quando Bobby Charlton já estava com idade avançada, Law demonstrava inconsistência e Best já estava com problemas relacionados ao alcoolismo.

Os três foram eleitos Bola de Ouro da France Football, algo inédito para jogadores do mesmo clube, o que demonstrou a grandeza de cada um em campo. Além disso, são homenageados com uma estátua com os três presentes, no lado de fora de Old Trafford com os dizeres “United Trinity”.

Booby Charlton e George Best: choque de estrelas

Apesar de combinarem muito bem dentro de campo, Bobby Charlton e George Best eram completamente opostos fora dele. Ao passo que Bobby era muito conservador e cuidadosos com seus atos, Best ganhou o apelido de “Quinto Beatle”, devido a sua fama e vida boemia.

Dennis Law deixou o clube em 1973 junto com Bobby Charlton, já apresentando decadência na forma de ambos jogarem. Charlton deixou de se comunicar com os outros dois membros do trio, e Best se recusou a atuar ao lado de Bobby em alguns momentos.

1966: eleito melhor jogador do mundo (Bola de Ouro) e campeão inglês

O ano de 1966 foi mágico na carreira de Bobby Charlton, possivelmente o melhor. Ao ver seu companheiro de equipe, Dennis Law, vencer a Bola de Ouro em 1964, o craque terminou a temporada de 1966 no topo do mundo, individualmente e coletivamente.

Pela Seleção Inglesa, foi o principal jogador da conquista mundial, e na temporada 1966/67, terminou como campeão inglês com seu clube. Ao ser o protagonista do mundial, ver sua seleção bater Portugal de Eusébio, os jurados o escolheram, mesmo que por uma pequena margem de votos diante do português.

Viu seu irmão e companheiro de seleção campeão do mundo, Jack Charlton ser campeão da Copa da Liga pelo Leeds United em 1968 e no ano seguinte campeão inglês, consagrando toda família no futebol.

1967-1968: eleito 2º lugar na bola (Bola de Ouro)

O craque continuou a mostrar toda sua classe dentro e fora de campo nos anos seguintes. Assim, Bobby Charlton ficou no quase nas premiações da Bola de Ouro em 1967 e 1968, ficando em segundo lugar em ambas as premiações.

Em 1967, o prêmio ficou com o húngaro Flórián Albert. “The Emperor”, como ficou conhecido atuava pelo Ferencvaros e venceu o campeonato de seu país em quatro oportunidades. Além disso, o craque húngaro marcou gols nas campanhas de sua seleção no Mundial de 1962 ficar em terceiro lugar na Eurocopa de 1964.

No ano seguinte, a premiação ficou com seu companheiro de clube George Best. O norte-irlandês foi um dos principais companheiros de Charlton e peça fundamental na conquista da Copa dos Campeões de 1968.

1968: Manchester United vence Champions League sob a liderança de Bobby Charlton

Bobby Charlton estava no auge, e contava com o elenco em alta no United. Dennis Law seguia marcando muitos gols ao lado de George Best em jogadas construídas muitas vezes por Charlton.

A vitória no campeonato nacional de 1966/67 qualificou o clube para a disputa da Champions League da temporada seguinte. E logo de cara o United eliminou o Hibernians de Malta e depois o Sarajevo da Sérvia, ambos com uma vitória e um empate. Nas quartas de final, venceu a primeira partida do Górnik Zabrze, e mesmo com a derrota na segunda avançou às semifinais.

Enfrentou o poderoso Real Madrid em dois jogos eletrizantes. No primeiro, Best macou o gol da vitória por 1 a 0 em Old Trafford. E na volta, o Madrid vencia por 3 a 1 ao final do primeiro tempo, mas o United conseguiu o empate, mesmo sem Law que estava machucado para ir à final da competição.

A frente dos ingleses estava o poderoso Benfica de Eusébio. E Charlton reeditou o duelo de dois anos antes com o português, ambos por suas seleções na Copa do Mundo do ano disputada na Inglaterra. O palco foi Wembley, o mesmo de dois anos antes, e o United saiu na frente com gol de Bobby Charlton, mas Jaime Graça empatou, levando o jogo a prorrogação.

No tempo extra, Best colocou o United de volta a frente do placar e Kidd ampliou no minuto seguinte. Charlton fechou o placar coroando sua atuação ao lado de seus companheiros da Holy Trinity que deu o primeiro título europeu para o clube, também o primeiro de um clube inglês.

1973: Saída do Manchester United

Em meio a alguns desentendimentos com seus companheiros de clube, principalmente na Holy Trinity, no início da década de 1970, o clima para o veterano já não era favorável. A queda de desempenho do clube e dele mesmo, foram outros fatores decisivos para a saída de Bobby Charlton do clube e os resultados já não eram os mesmos.

Sua última partida pelo clube foi contra o Chelsea no estadio do rival, em abril de 1973. A derrota diante dos Blues foi o ato derradeiro de Bobby com os Red Devils, e logo depois o astro foi para o Preston North End, um tradicional clube do país.

1973-1975: Bobby Charlton como jogador e técnico do Preston North End

Após saída do Man United Bobby Charlton foi jogar no Preston North End, tradicional time inglês que jogava a segunda divisão. Além disso, atuou ao mesmo tempo também como treinador da equipe. Porém, não chamou a atenção em nenhuma das posições no clube e acabou na penúltima posição da competição, o que rebaixou o clube à terceira divisão.

Ainda assim, o craque recebeu a condecoração para a Excelentíssima Ordem do Império Britânico pela Rainha Elizabeth II no mesmo ano de 1974, por todos seus serviços prestados ao país como jogador. 

1976: Aposentadoria no Waterford United

Bobby Charlton encerrou a carreira de jogador no pequeno Waterford United da Irlanda, com quatro partidas e apenas um gol marcado em 1976. Prestes a completar 39 anos, o físico do atleta já não era mais o mesmo e suas atuações eram muito abaixo do esperado.

Assim, terminou a carreira no clube irlandês com poucos jogos realizados e apenas um gol marcado. Não foi nem sombra do jogador de outros tempos, mas seu legado no futebol nunca foi esquecido por tudo que apresentou ao longo da carreira.

1958-1970: Bobby Charlton na seleção inglesa

Bobby Charlton defendendo a seleção inglesa.

A carreira de Bobby Charlton no English Team foi tão brilhante como foi no Manchester United. Estrou pelo escrete nacional em 1958, apenas dois meses depois de sobreviver ao acidente aéreo. Foi chamado para a Copa do Mundo de 1958, embora não tenha saído do banco de reservas.

No mundial seguinte, em 1962, marcou um gol contra a Argentina, mas logo depois foi eliminado pelo Brasil nas quartas de final. O mundial de 1966 foi disputado em casa, e Bobby Charlton era o protagonista ao lado de outros astros. O torneio terminou com o único título inglês no mundial e Charlton como melhor jogador da equipe.

Em 1970, seu último mundial acabou frustrado após um jogo épico contra a rival Alemanha nas quartas de final. Depois disso, deixou de vestir a camisa do English Team, mas colecionou alguns problemas extracampo com alguns companheiros como Bobby Moore e um eventual roubo de bracelete e substituições polêmicas na Copa de 1970.

Embora fosse um líder técnico dentro de campo, e uma das principais referências do elenco inglês, Bobby Charlton foi poucas vezes capitão do escrete inglês. O capitão durante a conquista de 1966 era Bobby Moore e posteriormente em 1970, no outro mundial. Charlton assumia a braçadeira na ausência do companheiro, o que se deu poucas vezes.

Na Seleção Inglesa, Bobby Charlton realizou 106 jogos, e hoje é o sétimo atleta que mais vestiu a camisa do English Team na história. Marcou 49 gols, sendo superado somente pelo atacante Wayne Rooney no ano de 2015.

Copa de 1966: Bobby Charlton lidera Inglaterra na conquista

Bobby Charlton lidera a conquista da Copa do Mundo de 1966.

O único título mundial inglês teve Bobby Charlton como protagonista e melhor jogador do torneio da FIFA. Na mais importante conquista inglesa, o craque esteve ao lado de seu irmão Jack Charlton, Geoff Hurst, o capitão Bobby Moore e o goleiro Gordon Banks entre os principais nomes do elenco.

Contra o Uruguai, na estreia, o empate de 0 a 0, decepcionou um pouco a torcida. Mas contra o México, Charlton abriu o caminho para a vitória marcando o primeiro gol na vitória de 2 a 0. Contra a França o placar se repetiu, mas dessa vez com dois gols de Roger Hunt.

Contra a Argentina, o  novo gol de Hurst classificou a Inglaterra para enfrentar Portugal do temido Eusébio. Bobby Charlton marcou os dois gols da vitória sobre a sensação do torneio e levou a equipe à inédita final contra a Alemanha Ocidental.

O camisa 9, não marcou contra os alemães, mas foi muito importante para anular o jogo do jovem Franz Beckenbauer. Com três gols de Hurst, o jogo foi dominado por uma polêmica, pois havia a dúvida se um de seus arremates entrou no gol ou não. Em seguida, a partida prosseguiu com uma nervosa prorrogação e o English Team se sagrou campeão. Bobby Charlton foi coroado como melhor do torneio e membro do time da competição.

Copa de 1970:  a despedida de Bobby Charlton da seleção inglesa

Em 1970, na Copa do Mundo do México, Bobby Charlton chegava a sua última competição com a Seleção Inglesa já com o status de estrela e veterano. Atuou nos três jogos da fase inicial, foram duas vitórias contra Romênia e Tchecoslováquia e uma derrota para o Brasil.

Mesmo assim, o English Team se classificou para a fase seguinte. Foi a revanche contra a Alemanha Ocidental, após a vitória em 1966 na final. Em uma nova partida muito nervosa, que colocou Beckenbauer frente à frente com Charlton, os ingleses abriram dois gols de vantagem. Mas, na etapa final, os alemães buscaram o empate e levaram o confronto à prorrogação.

Gerd Müller virou o placar para os alemães na prorrogação, mas Charlton já havia sido substituído por Collin Bell e não jogou o tempo extra. Assim, os ingleses foram eliminados e essa foi a última exibição de Bobby Charlton em mundiais e com a camisa da Seleção Inglesa.

Carreira pós-aposentadoria: eleito Sir e problemas de saúde

Depois de aposentado, Bobby Charlton esteve na direção do Manchester United na década de 1980, e ficou até o ano de 2018. Era comum encontrá-lo nas tribunas de honra de Old Trafford, sendo uma figura constante no estádio apoiando o time e vendo de perto as glórias recentes do time.

Em novembro de 2020, o Sir Bobby Charlton, que ganhara esse título oficial em 1994, após cerimônia Real, foi diagnosticado com demência e levantou grandes discussões acerca do tema na Inglaterra. Outro companheiro de Bobby, Nobby Stiles, sofreu com o mesmo mal, e faleceu em outubro de 2020. Seu irmão Jack, que também faleceu em 2020, sofreu de demência em seus últimos momentos assim como os companheiros.

Recebeu diversas homenagens nos últimos anos. Além da estátua do Holy Trinity no lado de fora de Old Trafford, o Sir dá nome a um setor de arquibancadas do estádio, o “Sir Bobby Charlton Stand” na ala sul do complexo. Foi eleito um dos quatro maiores jogadores da história do clube em eleição aberta no site do clube e na revista Inside United. A seu lado estiveram apenas Ryan Giggs, que bateu seu recorde de aparições com a camisa dos Red Devils, Eric Cantona e George Best.

Referências: 

https://www.lance.com.br/futebol-internacional/lenda-inglaterra-bobby-charlton-diagnosticado-com-demencia.html

https://en.wikipedia.org/wiki/Bobby_Charlton#Club_2

https://en.wikipedia.org/wiki/Ballon_d%27Or

https://en.wikipedia.org/wiki/United_Trinity

https://premierleaguebrasil.com.br/maiores-idolos-da-historia-do-manchester-united/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bobby_Charlton

https://en.wikipedia.org/wiki/Manchester_United_F.C.

https://www.manutd.com/en/players-and-staff/detail/sir-bobby-charlton

https://englandmemories.com/2017/11/09/englands-mexico-70/

https://www.uol.com.br/esporte/ultimas-noticias/afp/2010/04/20/bobby-charlton—sir-robert-o-afortunado.jhtm?cpVersion=instant-article

https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2020/07/campeao-mundial-com-a-inglaterra-jack-charlton-morre-aos-85-anos.shtml

https://www.francefootball.fr/news/1966-bobby-charlton/423378

https://trivela.com.br/inglaterra/quem-eram-os-oito-jogadores-do-manchester-united-que-morreram-em-munique-60-anos-atras/

https://trivela.com.br/inglaterra/premier-league/ferguson-sobre-demencia-entre-ex-jogadores-o-futebol-tem-o-dever-de-olhar-para-a-situacao/

https://trivela.com.br/inglaterra/premier-league/morre-jack-charlton-85-anos-estreou-na-selecao-aos-30-idolo-do-leeds-e-irmao-mais-velho-de-bobby/

https://www.imortaisdofutebol.com/2012/07/27/esquadrao-imortal-manchester-united-1965-1969/

https://premierleaguebrasil.com.br/maiores-idolos-da-historia-do-manchester-united/

https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2016/12/26/como-astro-do-manchester-united-encara-acidente-de-aviao-com-o-time-em-1958.htm

https://pt.wikipedia.org/wiki/Manchester_United_Football_Club

https://premierleaguebrasil.com.br/maiores-artilheiros-historia-manchester-united/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ta%C3%A7a_dos_Clubes_Campe%C3%B5es_Europeus_de_1967%E2%80%9368

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *